Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Post Mortem: Ninguém Morre em Skarnes (1ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Post Mortem: Ninguém Morre em Skarnes (1ª temporada, 2021, Netflix)

Post Mortem

A mais nova série da Netflix, Post Mortem: Ninguém Morre em Skarnes, conta a história de uma família na pacata cidade Norueguesa de Skarnes, onde estranhos eventos começam a se desenrolar nos dias que sucedem a estranha morte e o retorno da jovem Live Hallangen (Kathrine Thorborg Johansen).

SINOPSE

A trama de Post Mortem começa quando a protagonista Live Hallangen é declarada morta. Horas depois, ainda na mesa de autópsia, a jovem acorda e sente uma repentina sede de sangue.

ANÁLISE

A história de Post Mortem se passa em diversas frentes de forma lenta, mas rapidamente pega um ritmo que nos encaminhará para uma trama por vezes confusa, perturbadora e desapontadora.

Os dois primeiros episódios de Post Mortem se desenrolam de maneira extremamente promissora, nos levando por caminhos curiosos, colocando uma pulga atrás das nossas orelhas a cada curva que toma.

Post Mortem

Os atores principais da trama, ou melhor, o núcleo que compõe a principal família da história, os Hallangen, são convincentes e nos fazem desenvolver um certo vínculo/elo com eles desde o momento em que a história tem início.

O começo da trama, e o desenvolvimento do arco da morte de Live e seu retorno, permeiam toda a trama, e ainda que testemunhemos uma das cenas mais perturbadoras de uma série de tv, não parece ser necessária para que criemos um vínculo com a personagem central da trama, mas sim com seu irmão, Odd (Elias Holmen Sørensen).

O cuidado que a direção de arte tem com a série é visto em momentos escassos, e torna possível uma comparação da série com outra série de TV da própria Netflix como Santa Clarita Diet e até mesmo o filme lançado em julho, Céu Vermelho Sangue.

Os maiores elementos referentes ao cuidado de roteiro, e repetição de ciclos dentro de uma mesma trama, tornam o ritmo da série tão cansativo quanto ineficaz.

VEREDITO

Post Mortem

Com um roteiro que foca nos elementos errados, nas horas erradas, Post Mortem nos faz focar em personagens que não parecem levar a trama para lugar nenhum. Com uma trama que passa a ficar confusa de seu quarto episódio em diante, e parece ser perder perto de seu encerramento no sexto episódio.

A nova série da Netflix parece ter mirado nas estrelas em grandes séries de suspense, mas parece ter acertado na dramédia pastelão, que em seus primeiros episódios possuía tanto potencial, mas acabou descambando na primeira oportunidade.

Nossa nota

2,0 / 5,0

Post Mortem: Ninguém Morre em Skarnes estreou na Netflix no dia 25 de agosto.

Confira o trailer da série:

 

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – O Quinto Set (2021, Quentin Reynaud)
Próximo artigoOnly Murders in the Building: Conheça a nova série do Star+
27 anos, apaixonado por cinema, quadrinhos e games!