CRÍTICA – The House (1ª temporada, 2022, Netflix)

    The House é um especial original da Netflix, feito totalmente no formato stop-motion, abordando de uma forma bem inusitada três histórias em uma casa em épocas diferentes.

    SINOPSE

    Conforme a plataforma explica essa é uma comédia de animação de humor ácido, uma família humilde, um arquiteto ansioso e uma senhoria cansada ficam presos à mesma casa misteriosa em épocas diferentes.

    O que é stop-motion?

    Assim como qualquer outra animação esse modelo de produção também reúne vários frames (cortes de filmagem) e exibe de forma rápida, mas o que difere é o seu nível maior de complexidade.

    Animações em si já são muito trabalhosas e demoradas, portanto, é sempre importante estarmos atentos sobre os responsáveis por fazer esse tipo de obra de arte que tanto amamos, e reconhecermos a importância do seu árduo trabalho.

    Stop-motion não utiliza desenhos e sim fotos de fantoches ou bonecos feitos especialmente para aquela narrativa, por causa desse método tão artesanal, o processo é ainda mais lento e dificultoso.

    ANÁLISE

    E, de dentro, ouvia-se o tecer de uma mentira

    Nessa história acompanhamos uma família bem simples, que constantemente recebe críticas dos parentes por serem pobres e consequentemente viverem de forma humilde. Mas a vida prepara uma surpresa para esses familiares e assim, possuem a oportunidade de viver em uma mansão, e assim, passam a ter contato com um estilo de vida bem mais luxuoso.

    De forma bem lúdica, o filme pontua o quanto nós como integrantes da sociedade somos vaidosos com dinheiro e artigos caros a ponto de distanciarmos do que realmente somos, daqueles que amamos e que nos tornamos parte da futilidade.

    Perdida está a verdade que não pode ser conquistada

    Um rato arquiteto é extremamente focado em dar os toques finais na reforma de uma casa, para que assim, possa vendê-la e viver tranquilamente e com conforto.

    Ao longo desse processo, podemos observar um profissional perfeccionista, um rato ansioso, com indícios de certa quantidade de carência e necessidade constante de se provar ser útil.

    Dessa forma, fica bem fácil ser vítima de pequenos golpes e sujeitos nada bem intencionados, assim, a narrativa muda o tom, deixando mais sombrio enquanto faz nos sentirmos desconfortáveis até com a presença de visitas queridas.

    O clima de desse pequeno horror utiliza-se de gatilhos que incomodam o nosso conforto, passando a ser acompanhado de um toque mais niilista, onde mostra que podemos ser levados para o nosso instinto mais primitivo, que não cria expectativas ou procura realizar sonhos, mas sim, só deixa a vida guiar e atender as necessidades mais básicas e simples.

    Ouça novamente e busque o Sol

    Uma gata idosa e cansada de tantas adversidades, busca constantemente superar os empecilhos da falta de recursos e reformar a sua mansão tão antiga e querida, e assim, realizar todos os projetos que tem para ela.

    Porém, a estar tão focada no que quer, ignora a situação da cidade, e os vínculos que adquiriu com seus atuais inquilinos, que mesmo não cumprindo com todo acordo, se tornaram amigo, ou quem sabe pode-se chamar família.

    Como o próprio nome, essa história também é extremamente poética e tocante.

    VEREDITO

    Com roteiro de Enda Walsh e uma equipe de diretores formado por: Emma de Sweif, Marc James Roels, Niki Lindroth von Bahr e Paloma Baeza, essa produção é divida em três histórias.

    The House é descrito como um trabalho de comédia ácida, mas, o tom de humor em si ficou bem perdido tanto na primeira quanto na segunda animação; onde só podemos ver o humor na última, na qual abandona o clima sombrio das outras, e aborda uma mensagem mais positiva.

    A qualidade do stop-motion é indescritível de tão boa; em tantos momentos é tão fiel às sensações que querem transmitir, as emoções praticamente humanas, e na última narrativa e de uma beleza tão ímpar devido à fotografia, que fecha com chave de ouro.

    Porém, a falta de humor foi responsável por retirar alguns pontinhos dessa obra.

    Nossa nota

    3,8 / 5,0

    Assista ao trailer original de The House:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTube. Clique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Love, Death and Robots (3ª temporada, 2022, Netflix)

    Criaturas aterrorizantes, surpresas bizarras e humor ácido. Finalmente a terceira temporada de Love, Death and Robots está entre nós!

    CRÍTICA – Night Sky (1ª temporada, 2022, Prime Video)

    Night Sky é a nova série do Prime Video que traz em seu elenco principal os atores J.K. Simmons e Sissy Spacek. Confira nosso review!

    CRÍTICA – Vampiro no Jardim (1ª temporada, 2022, Netflix)

    A 1ª temporada de Vampiro no Jardim chegou ao catálogo da Neflix no dia 16 de maio. Veja o que achamos do anime!

    CRÍTICA – O Poder e a Lei (1ª temporada, 2022, Netflix)

    O Poder e a Lei é uma série baseada na saga literária de Michael Connelly sobre Michael "Mickey" Haller, um advogado de defesa. Uma...