Início SÉRIE Artigo O Hóspede Americano: Conheça a nova minissérie brasileira da HBO Max

O Hóspede Americano: Conheça a nova minissérie brasileira da HBO Max

O Hóspede Americano: Conheça a nova minissérie brasileira da HBO Max

Trazendo talentos brasileiros e internacionais de peso, como Chico Diaz e Aidan Quinn, a minissérie brasileira O Hóspede Americano será exibida na HBO Max e HBO.

Baseada em uma história real, a produção criada e dirigida por Bruno Barreto, com roteiro de Matthew Chapman, apresenta a jornada de Theodore Roosevelt (Aidan Quinn) e Cândido Rondon (Chico Diaz) no início do século XX em terras brasileiras.

O elenco conta ainda com Dana Delany, Trevor Eve, Theodoro Cochrane, Gene Jones, Jeff Pope, Nick Westrate, Maya Kazan, Cláudio Jaborandy, Arilson Lucas, João Côrtes, Michel Gomes, Arieta Corrêa e Luisa Rosa.

Durante uma coletiva de imprensa da HBO Max, o elenco internacional e os criadores da produção comentaram sobre como foi a experiência de trazer essa história à vida, além de contarem algumas curiosidades sobre o seriado.

Sinopse de O Hóspede Americano

Depois de uma dura derrota na campanha presidencial americana, Roosevelt parte em busca de sua juventude perdida na selva brasileira, ao lado de seu amigo de longa data Farrel Nash (David Herman) e do filho Kermit (Chris Mason), com o objetivo de explorar o último rio não cartografado do país: o Rio da Dúvida, em Rondônia.

Numa viagem repleta de perigos mortais, o ex-presidente conta com o apoio de Cândido Rondon, responsável por interligar as regiões mais remotas do país. Nesta jornada, os dois homens de perfis distintos terão que testar os seus limites físicos e morais, além de aprenderem a lidar com suas personalidades conflitantes para sobreviver.

Como surgiu a ideia de O Hóspede Americano

Durante a coletiva, Bruno Barreto e Matthew Chapman comentaram sobre o processo de criação dessa minissérie. Pensada originalmente como um filme de 2 horas, o projeto se tornou uma minissérie graças ao interesse do executivo Roberto Rios e da HBO Max.

A ideia inicial era que o filme contasse apenas a jornada de Roosevelt e Rondon no Brasil, ao passo que o seriado mostra também os erros e acertos do presidente durante seus mandatos nos Estados Unidos.

Bruno sempre teve vontade de contar essa história, principalmente por Roosevelt ser um político diferente. “O presidente encarna algo muito raro nos dias de hoje, que é a complexidade. Em um mundo de polarização, Theodore traz algo novo, apesar de ter vivido muitos anos atrás”. Para o criador da série, tanto Roosevelt, quanto Rondon, são grandes personagens.

O Hóspede Americano: Conheça a nova minissérie brasileira da HBO Max

Para Chapman, Rondon e Roosevelt são personagens semelhantes e, ao mesmo tempo, diferentes. “Rondon era muito otimista e o Theodore também, porém no final do show o presidente já havia perdido essa característica”, afirma o roteirista.

Para ele, as visões de ambos os personagens sobre a natureza e a ganância dos seres humanos eram distintas, pois Rondon acreditava na evolução das civilizações, ao passo que Roosevelt só enxergava pessoas querendo lucrar com esses recursos naturais. “Tristemente a América do Norte estava mais certa sobre isso”, pontua Chapman.

O Hóspede Americano: Conheça a nova minissérie brasileira da HBO Max

Bruno comenta que muitos americanos não conhecem a figura de Theodore Roosevelt: “Eles sabem muito sobre o governo, mas não sobre o presidente. Não sabem que o ursinho Teddy se chama assim por causa dele, e que se não fosse ele, o Grand Canyon não existiria”. O seriado vem como uma forma de apresentar ainda mais essa figura histórica, elencando suas conquistas e mostrando um lado mais humano do político.

A criação do cenário histórico e dos personagens

Construir uma série de época não é tarefa fácil, principalmente com gravações em locações externas. A ambientação é um fator determinante para produções deste gênero, envolvendo não só cenários, como também a caracterização e concepção de personagens.

De acordo com Bruno, Matthew Chapman conseguiu criar um balanço entre linguagem coloquial e diálogos entendíveis por diversos públicos, de diferentes idades: “Aidan, Chris e Dana (do elenco internacional) tornaram o coloquial bem acessível para a audiência de hoje, buscando não tornar o texto em algo shakespeariano, de difícil compreensão”.

“Matthew fez essa combinação perfeita entre moderno e antigo, o que é algo muito único desse trabalho”, afirmou ainda o showrunner.

Por sua vez, Aidan comentou que o que mais chamou a atenção dele nesse papel foi a questão política dessas diferentes nações. “É o trabalho mais difícil que já fiz, mas que eu precisava fazer”, completou o ator, que estava há algum tempo fazendo papéis coadjuvantes na televisão.

O Hóspede Americano: Conheça a nova minissérie brasileira da HBO Max

O amor real de Roosevelt pela natureza foi outro ponto importante para Aidan, que se sentiu animado em assumir o papel. De acordo com ele, se não fosse pelas ações de Roosevelt há décadas, muitas coisas seriam diferentes: “Ele trabalhou contra pessoas poderosas com tanta vontade e virou esse homem que realmente acreditava que todos deviam ter um bom país para viver. E só seria um bom país se fosse bom para todos”.

“Roosevelt é um personagem muito difícil de interpretar. Ele tem que sair de uma personalidade frágil e se tornar presidente, se empoderar do trabalho. O empoderamento que ele tem é incrível. É um personagem muito desafiador, e Aidan fez um grande trabalho”, complementou Chapman durante uma série de elogios para o ator principal da produção.

A conscientização sobre a importância da natureza

Durante a coletiva, a equipe também comentou sobre como a preservação da natureza é um tema importante da série, e como a produção poderia causar algum efeito na audiência nesse sentido.

“Eu torço que razão, ciência e compaixão irão prover esse entendimento. É uma análise de como seria se Rondon e Roosevelt estivessem vivendo até hoje. Eu espero que a série consiga mostrar a beleza da natureza”, disse Chapman. Em concordância, Aidan afirmou que sempre há esperança enquanto vivermos. “Pessoas que riram das mudanças climáticas estão vendo a diferença nos últimos anos, então não há mais espaço para negação”, acrescentou.

“Se você der à natureza um pouco de chance, é impressionante como ela se restaura. Não é fácil, mas precisamos trabalhar nisso”, complementou Bruno.

Confira o trailer:

O Hóspede Americano estreia dia 26 de setembro na HBO Max.

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – PEN15 (2ª temporada, 2020, Paramount+)
Próximo artigoCRÍTICA – A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais (2021)
Relações-Públicas de formação. Com pós-graduação em Star Wars e universo expandido, mas Trekker de coração. Defensora de todos os Porgs, Ewoks e criaturas fofinhas da galáxia.