Início SÉRIE Crítica PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Cruel Summer (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Cruel Summer (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

PRIMEIRAS IMPRESSÕES - Cruel Summer (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

Cruel Summer é a nova série teen da Amazon Prime Video que estreia no dia 6 de agosto. Criada por Bert V. Royal, o seriado investigativo é protagonizado por Olivia Holt e Chiara Aurelia. Nós tivemos acesso aos três primeiros episódios da produção, que apresentam um thriller instigante.

SINOPSE

Em uma pequena cidade do Texas, a popular adolescente Kate (Olivia Holt) é sequestrada. Paralelamente, uma garota chamada Jeanette (Chiara Aurelia) deixa de ser doce e estranha para se tornar a garota mais popular da cidade. Entretanto, sua popularidade dura pouco, e ela se torna a pessoa mais desprezada da América.

ANÁLISE

Cruel Summer possui uma premissa pouco convencional: situada em três anos diferentes, a história aborda o desenrolar do desaparecimento de Kate, além da ascensão e declínio de Jeanette. A trama é situada, em um primeiro momento, no dia 21 de junho dos anos de 1993, 1994 e 1995.

Conforme avançamos no tempo, percebemos como a vida de Jeanette é modificada por acontecimentos externos. O design de produção e a montagem do seriado refletem exatamente esses sentimentos, passando de um verão ensolarado e feliz de 1993 para um verão cinzento e obscuro em 1995.

Cruel Summer possui quatro roteiristas e três diretores. Entretanto, os episódios conseguem manter uma unidade consistente, sem perder a identidade visual criada para retratar cada um desses períodos de tempo. Os três primeiros capítulos que tivemos acesso foram apresentados na perspectiva de personagens diferentes.

Com cada personagem contando o seu lado da história, e como entenderam os acontecimentos fatídicos naqueles três verões, o espectador é desafiado a acreditar na palavra e nas memórias apresentadas em tela. É fácil contestar todos os envolvidos na trama, uma dinâmica bem comum em seriados de investigação.

É um pouco difícil precisar se o seriado é bom ou não, pois até agora só pudemos assistir a três episódios. Entretanto, o que foi apresentado até aqui demonstra que as duas meninas principais conseguem atuar muito bem. Destaque para Chiara Aurelia, cuja personagem Jeanette transita entre ingenuidade e depressão sem parecer forçado.

Apesar de tratar de assuntos sérios, Cruel Summer também abre espaço para alguns questionamentos, principalmente pelas motivações das duas personagens principais. Tratando de assuntos tão graves e sensíveis, como o que ocorre com Kate, é curioso termos umas motivações adolescentes tão banais em alguns momentos da trama.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES - Cruel Summer (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

Os produtores de Cruel Summer são os mesmos de The Sinner, uma série bem popular da Netflix. Com uma ótima avaliação de público e crítica, The Sinner era uma antologia que se aprofundava em investigar homicídios.

Pelo que pude avaliar nos três primeiros episódios de Cruel Summer, a série segue um ritmo bem instigante e inteligente, semelhante ao da produção da Netflix. Com a confirmação de que ela será renovada para uma segunda temporada pelo canal Freeform, sabemos que podemos esperar uma interessante condução dessa história.

VEREDITO

Os primeiros episódios de Cruel Summer são instigantes e muito bem produzidos, com destaque para as atuações de Olivia Holt e Chiara Aurelia. Estou ansiosa para assistir ao restante da temporada e acredito que vá agradar a audiência da Amazon Prime Video.

Nossa nota

4,0/5,0

Assista ao trailer de Cruel Summer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

 

Artigo anteriorTBT #135 | As Patricinhas de Beverly Hills (1995, Amy Heckerling)
Próximo artigoMostra Cinema em Movimento traz filmes com Direitos Humanos como temática
Relações-Públicas de formação. Com pós-graduação em Star Wars e universo expandido, mas Trekker de coração. Defensora de todos os Porgs, Ewoks e criaturas fofinhas da galáxia.