Avatar: O Último Mestre do Ar | 17 curiosidades sobre a série sensação do momento na Netflix

    Apenas alguns dias após sua estreia, Avatar: O Último Mestre do Ar está na lista das Top 10 produções mais assistidas da Netflix em 92 países na última semana. A produção estreou no topo da lista de séries de língua inglesa mais vistas, entre os dias 19 e 25 de fevereiro, com 21,2 milhões de visualizações no mundo inteiro. Dar vida à releitura em live-action da famosa animação da Nickelodeon não foi tarefa fácil para o showrunner Albert Kim (Nikita), para o diretor, produtor executivo e supervisor de efeitos especiais Jabbar Raisani (Stranger Things, Game of Thrones, Perdidos no Espaço) e para toda a equipe envolvida. Da atenção especial às técnicas da dobra dos quatro elementos, passando pela maquiagem dos atores e pela recriação do Appa, o simpático bisão voador, desvende a seguir 17 curiosidades dos bastidores de Avatar: O Último Mestre do Ar.

    1. Cada uma das quatro nações reflete uma cultura real. A Tribo da Água espelha as culturas indígenas do Ártico. O Reino da Terra é baseado na China, Japão, Coreia e outras áreas da Ásia Oriental, bem como em algumas do Sul da Ásia (Omashu, por exemplo, foi inspirada na Índia e Paquistão). A Nação do Fogo tem raízes nas culturas do Sudeste Asiático, como Filipinas, Tailândia e Indonésia. Finalmente, os Nômades do Ar são inspirados pelas sociedades do Himalaia, como o Tibete, além das culturas monásticas do Sudeste Asiático.

    2. Para o figurino de cada nação, a estilista Farnaz Khaki-Sadigh e sua equipe mantiveram-se fiéis à paleta de cores da série animada original. Os Nômades do Ar vestem laranja, amarelo, ferrugem e açafrão. A Nação do Fogo varia em todos os tons de vermelho, inspirada por vulcões. O Reino da Terra evoca a primavera com verdes, tons terrosos, roxos e lilases. A Tribo da Água se inspira no Ártico, onde a água apresenta incontáveis tons de azul, seja congelada ou em estado líquido.

    3. Para Aang, o dobrador de ar interpretado pelo ator Gordon Cormier, era essencial que seu traje fosse leve e solto, permitindo liberdade de movimentos. A equipe experimentou dez tipos de tecidos diferentes até definir o corte, o caimento e o comprimento ideais.

    4. A maquiadora Rita Ciccozzi criou 17 esboços da icônica cicatriz da queimadura de Zuko antes de iniciar os testes. Mais adiante, após conversar com o ator Dallas Liu, ela decidiu fazer a cicatriz passar pela sobrancelha de Zuko em homenagem ao design da série animada original.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Maquiagem de Caracterização e seus filmes icônicos

    5. A flecha de Aang era uma tatuagem física que foi aplicada em sua cabeça e mãos, e depois a equipe de VFX fez com que essa tatuagem e seus olhos brilhassem para representar o estado Avatar.

    6. O ator Ian Ousley pratica artes marciais desde os oito anos e ganhou um campeonato mundial em 2016. Mas, para interpretar Sokka, ele teve que reduzir um pouco suas técnicas de luta para combinar com o jeito mais esforçado e menos refinado do personagem, o que foi um certo desafio para as equipes de cenas de ação.

    7. Dallas Liu também é um experiente artista marcial, com muitos anos de prática em caratê. A equipe ficou impressionada ao ver as habilidades dele se transformarem no dom da dobra de fogo de Zuko.

    8. Cada estilo de dobra de Avatar: O Último Mestre do Ar é baseado em uma disciplina real de artes marciais.

    • A dobra de água é inspirada em estilos de luta que enfatizam movimentos fluidos e controlados, como o Tai Chi e o Baguazhang;
    • A dobra de terra é baseada no estilo de artes marciais com raízes firmes das províncias do sul da China, conhecido como Nan Quan em chinês – especificamente estes dois estilos de Kung Fu: Hung Gar Kyun e Fut Gar; 
    • A dobra de fogo é baseada nos estilos do norte de Wushu, como Ba Ji Quan ou Cha Quan (“Punho Longo”) e
    • A dobra de ar combina categorias internas e externas e é baseada no estilo Bagua.

    9. Dar vida às sequências de dobra envolveu uma mistura de efeitos práticos no set e visuais gerados por computador adicionados na pós-produção. Para a dobra de ar, em particular, a equipe de efeitos visuais se inspirou na distorção de alta frequência dos propulsores de aviões de caça F-22.

    10. Antes de começar as filmagens, os atores participaram de um treinamento intensivo de dobra que durou seis semanas. Lá, eles aprenderam o histórico de cada disciplina, praticaram condicionamento físico e, em apenas duas semanas, já estavam prontos para exibir suas novas habilidades em uma performance ao vivo.

    11. As sequências de ação foram cuidadosamente criadas com base em uma ampla pesquisa de artes marciais. Uma equipe composta por 19 especialistas em rigging e artistas marciais de diferentes estilos se dedicou a assegurar que cada técnica de luta apresentasse identidade e características próprias.

    12. Havia no set uma réplica em tamanho real do Appa, com sela e tudo mais. Os atores subiam e se posicionavam nela a uma altura de 6 metros, seguros por cabos. Para dar vida à criatura, a equipe buscou referências em bisões e peixes-boi, sendo que o movimento de voo foi inspirado em filhotes de hipopótamo nadando.

    13. Já Momo foi 100% criado com efeitos visuais, inspirado em lêmures e macacos. Uma pequena bola peluda foi usada no set apenas como referência / marcação para que os atores pudessem gravar as cenas, mas nada além disso.

    14. O ator James Sie gravou sua icônica fala “Meus repolhos!” várias vezes e de diversos ângulos. A equipe aplaudiu após cada gravação. Ele foi uma das maiores celebridades no set.

    15. A Avatar Kyoshi é famosa por ter sido uma das Avatares mais altas. Sua altura foi estimada entre 2,03m e 2,13m. Embora a atriz Yvonne Chapman já fosse bem mais alta que Gordon Cormier (Aang), para filmar suas cenas como Kyoshi ela ficou em cima de caixas para parecer ainda mais imponente perante o jovem dobrador do ar.

    16. O diário de Zuko é inspirado no caderno de Indiana Jones. Consultores culturais desempenharam um papel essencial para garantir que a caligrafia e o visual do diário fossem autênticos. Durante a produção, foram usadas cinco versões diferentes do diário para criar a peça que aparece na série.

    17. A trilha sonora original de Avatar: O Último Mestre do Ar, composta por Takeshi Furukawa, foi executada pela Synchron Stage Orchestra and Choir e gravada no Synchron Stage em Viena. O tamanho da orquestra foi de 98 músicos, um número extraordinário para uma série e imenso até mesmo para os padrões de filmes blockbuster. O coro contou com 72 cantores (36 sopranos e contraltos + 36 tenores e baixos). Sessões adicionais de gravação ocorreram em várias cidades em todo o mundo.


    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘The Last Days of Ptolemy Grey’ é sobre fins, começos e reflexões

    'The Last Days of Ptolomy Grey' é uma joia escondida na AppleTV. Estrelada por Samuel L. Jackson, e grande elenco, o acompanhamos em uma jornada emocional e profunda.

    CRÍTICA: ‘Unicorn: Warriors Eternal’ dos épicos de fantasia aos filmes de artes marciais

    Unicorn: Warriors Eternal nos lança por uma história e por um visual deslumbrantes. Criado por Genndy Tartakovsky.

    Elektra: 10 curiosidades sobre a personagem nos quadrinhos

    Desde a estreia nas HQs da Marvel, Elektra tem sido uma das personagens mais intrigantes e complexas do universo dos super-heróis.

    Lançamentos Netflix: Veja o que chega em abril

    Abril já está chegando e nada melhor que ficar por dentro dos próximos lançamentos Netflix! Veja as produções da gigante do streaming.