Início FILMES Crítica CRÍTICA – A Jornada de Vivo (2021, Kirk DeMicco)

CRÍTICA – A Jornada de Vivo (2021, Kirk DeMicco)

A Jornada de Vivo é uma animação da Sony Pictures distribuída pela Netflix. O filme conta com Lin-Manuel Miranda e estreia em 6 de agosto

A Jornada de Vivo é o mais novo filme da Sony Pictures que chega pela Netflix no dia 6 de agosto. A animação é dirigida por Kirk DeMicco com o codiretor Brandon Jeffords e roteiro de Quiara Alegría Hudes (Em Um Bairro de Nova York). 

Assume como produtor executivo, letrista e compositor Lin-Manuel Miranda (Hamilton). Miranda também dá voz original ao personagem principal, Vivo.

Também fazem parte do elenco Zoë Saldaña, Brian Tyree Henry e Juan de Marcos González.

SINOPSE

O jupará Vivo (Lin-Manuel Miranda) e o seu dono Andrés (Juan de Marcos González) passam seus dias tocando música para uma multidão em uma praça animada em Havana, Cuba.

Apesar de não falarem a mesma língua, Vivo e Andrés se entendem através do amor pela música e formam a dupla perfeita.

Um dia, Andrés recebe um convite para o último show da famosa Marta Sandoval (Gloria Estefan) em Miami. Os dois já foram parceiros, e ela espera retomar o contato. No entanto, para chegar até ela, será preciso da ajuda de Gabi (Ynairaly Simo), uma adolescente enérgica.

ANÁLISE DE A JORNADA DE VIVO

As animações sempre foram um meio fácil e cativante de mostrar outros povos e nações. Ainda que, por muito tempo, os filmes infantis tenham ficado presos a aventuras estereotipadas, cada vez é mais presente animações que buscam representar diferentes culturas. A Jornada de Vivo faz parte desse movimento de resgate cultural que visa a atingir tanto crianças, como adultos.

O gênero infantil é o único capaz de passar ideias e significados que chegam na mesma potência para todas as faixas etárias. Por isso, o novo filme de Lin-Manuel Miranda é uma surpresa bem-vinda quando cria uma história que é divertida e, ao mesmo tempo, melancólica. 

Nesse sentido, a Jornada de Vivo inicia em Havana, em Cuba, mostrando um visual fantástico da região. Os detalhes trazem a cultura da América Latina, que se potencializa na música criada por Miranda. Logo, é uma grande pena quando o filme parte para Miami – o que salva é a forte comunidade latina que também ocupa a região norte americana.

Diante disso, a narrativa que envolve um forte senso de amizade é essencial para construir todos os aspectos visuais e musicais da animação.

As 10 músicas escritas por Lin-Manuel Miranda misturam os melhores estilos: hip hop, pop e ritmos latinos que dão à animação um tom divertido e criativo. São letras engajadas que exemplificam o que muitos personagens não podem dizer com palavras, especialmente Vivo.

Além de ser um ótimo compositor, é impossível imaginar Vivo sem a voz de Lin-Manuel Miranda. O personagem ganha todo o seu carisma e cresce a cada momento do filme.

A Jornada de Vivo é uma animação da Sony Pictures distribuída pela Netflix. O filme conta com Lin-Manuel Miranda e estreia em 6 de agosto

O mesmo acontece com Gabi, interpretada por Ynairaly Simo. A adolescente é ousada e espirituosa. Ambos encontram um no outro a parceria e o poder da amizade, que os fortalecem como personagens.

A jornada é cercada por aventuras que passam por um pântano, onde divertidas figuras surgem para ajudar os personagens e também para atrapalhar no seu objetivo final. Isso serve para que um vínculo seja criado, além de apresentar ótimos personagens ao longo da aventura. Destaque para as escoteiras ativistas ambientais que são uma graça.

Já a animação é extremamente colorida e ressalta importantes pontos de Miami, como Key West e Everglades. Os personagens têm características próprias, e a qualidade da animação da Sony mostra que o estúdio não pretende ficar atrás da Disney ou Pixar

Os melhores momentos da animação são os somados com a música, quando o filme assume aspectos lúdicos que brilham e garantem um show à parte. É notável que em A Jornada de Vivo tanto diretores, como roteiristas e produtores trabalham lado a lado para dar a melhor visão ao filme. O resultado é uma animação que encanta, comove e diverte. 

VEREDITO

A Jornada de Vivo é uma bela surpresa com um roteiro afiado e uma direção exorbitante. Destaque para as músicas de Lin-Manuel Miranda que dão o tom emocional no filme sempre na medida certa. É uma história simples, mas potente.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Assista ao trailer de A Jornada de Vivo:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Tattoo Fail (1ª temporada, 2021, Netflix)
Próximo artigoREVIEW – GameSir F8 Pro Snowgon (2021, GameSir)
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.