CRÍTICA – À Segunda Vista (2021, Kimmy Gatewood)

    À Segunda Vista é uma produção original da Netflix, dirigida pela estreante Kimmy Gatewood e conta com as comediantes Iliza Shlesinger (Pieces of Woman) e Margaret Cho (Sob Medida) no elenco.

    SINOPSE

    Andrea (Iliza Shlesinger) é uma comediante de sucesso que quer atuar como atriz em algum projeto de destaque e crescer mais. Entretanto, seu outro objetivo é sair da solteirice e ela acaba encontrando o seu “príncipe encantado”. Todavia, será que ele é tão perfeito assim?

    ANÁLISE

    À Segunda Vista é o tipo de comédia romântica diferentona que temos visto nos últimos anos, uma vez que sua estrutura é um pouco diferente por conta das quebras de expectativas apresentadas ao longo das 01h34min de filme.

    O seu formato se diferencia por apresentar flashes de um show de stand-up, algo que Shlesinger domina pro ser do ramo há muito tempo. 

    Como destaques, temos a dupla de amigas Andrea e  Margot, interpretadas por Iliza Shlesinger e Margaret Cho tem uma boa dinâmica e suas personagens são bastante divertidas, mesmo que Andrea passe do ponto na ingenuidade.

    Contudo, se as personagens funcionam muito bem, o roteiro é o grande vilão de À Segunda Vista, pois ele testa nossa paciência. A inocência da protagonista é tamanha que ficamos com raiva dela em alguns momentos, uma vez que o vilão deixa um caminho gigantesco de mentiras estapafúrdias em suas histórias.

    Entendemos que relacionamentos são complicados e que as mulheres tem muita dificuldade hoje em dia de achar um bom partido dentre os homens, mas aqui o absurdo é levado ao extremo, nos deixando muito incomodados com a tamanha falta de noção de Andrea.

    Além disso, por mais que a discussão seja válida e gostemos das caricaturas de homens “machos”, viris e que tentam se mostrar bons partidos, aqui o exagero prejudica bastante a trama.

    O personagem de Ryan Hanssen é um estereótipo ambulante e nos incomoda bastante em diversos aspectos, sendo mais irritante do que propositivo para a história.

    VEREDITO

    À Segunda Vista é um filme de comédia romântica que começa irreverente, mas que ao longo do tempo se torna irritante e cansativa. 

    Com uma boa protagonista, porém, um roteiro que fica andando em círculos, o longa infelizmente desperdiça um elenco afiado e que traz boas risadas, apesar do vários problemas. Tomara que tenhamos a oportunidade de ver os atores em projetos melhores para termos a certeza de que eles podem muito mais.

    Nossa nota

    2,3/5,0

    Confira o trailer de À Segunda Vista:

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Dupla Jornada (2022, J. J. Perry)

    Dupla Jornada enfim mostra suas presas na Netflix. O filme de ação de vampiros é estrelado por Jamie Foxx, Dave Franco e Snoop Dog.

    CRÍTICA – Treze Vidas: O Resgate (2022, Ron Howard)

    Treze Vidas: O Resgate traz a história real que ocorreu na Tailândia, quando 12 meninos e seu técnico de futebol ficaram presos numa caverna.

    CRÍTICA – Gêmeo Maligno (2022, Taneli Mustonen)

    Gêmeo Maligno é um filme de terror que está disponível nos cinemas brasileiros e conta com Teresa Palmer no elenco.

    TBT #189 | Beleza Americana (1999, Sam Mendes)

    Dirigido por Sam Mendes, Beleza Americana é um filme norte-americano de drama, que arrebatou os corações do público. Confira nosso TBT!