CRÍTICA – De Volta ao Baile (2022, Alex Hardcastle)

    De Volta ao Baile é uma comédia romântica original da Netflix e conta com Rebel Wilson (Jojo Rabbit) no papel principal.

    SINOPSE DE DE VOLTA AO BAILE

    Stephanie (Angourie Rice/Rebel Wilson) é uma jovem que tem o sonho de ser popular e ter uma vida perfeita no futuro com o homem dos seus sonhos.

    Após conseguir realizar algumas metas desse plano, a garota acaba sendo sabotada em uma apresentação das líderes de torcida, se acidentando e entrando em coma por 20 anos. Agora, ela tenta recuperar o tempo perdido, tentando reviver sua noite mágica do baile de formatura.

    ANÁLISE

    De Volta ao baile é uma espécie de De Repente 30 com uma roupagem noventista, uma vez que tem diversos elementos dessa época da qual fizemos parte. O longa usa muitos artifícios estéticos referenciais do momento e acerta demais nesse quesito.

    Quanto às questões técnicas, as atuações não são nada demais, tampouco o texto é inspirado ou até mesmo a própria direção que usam e abusam dos clichês como, por exemplo, a protagonista que busca algo a vida toda e quando está perto de conseguir, entende que sua felicidade estava ao seu lado o tempo inteiro, os amigos que ela nunca valorizou, mas que se decepcionam, entretanto, acabam voltando e tudo mais. O grande diferencial aqui é fazer uma crítica ao passado e ao presente, usando todos os estereótipos como uma arma sarcástica do roteiro.

    Em dado momento, o filme fica bastante cansativo e parece não sair do lugar, só entrando nos trilhos mais próximo do final com algumas mensagens edificantes, porém, nada muito além disso. De Volta ao Baile não é um desastre, contudo, está longe de ser bom também.

    Há duras críticas para a positividade a todo o custo, ao politicamente correto e toda a questão de como somos escravos dos nossos celulares e de uma vida baseada na futilidade dos likes. A disputa de egos e da falta de visão do que realmente importa estão escancarados aqui, além de mostrar como nós, millenials, somos frustrados por conta de uma adolescência dura em que se aceitar era muito difícil, nos tornando muito frágeis, passando isso aos nossos filhos.

    VEREDITO

    Com um roteiro que busca brincar com a positividade tóxica mas que, ao mesmo tempo, se baseiam em todos os clichês de comédias românticas, com um texto que é bem óbvio em diversos momentos, De Volta ao Baile é divertido, só que é extremamente raso e longo demais para uma história tão fechada.

    Se em alguns momentos o longa não adotasse uma postura tão séria e tentasse fugir do que ele é, talvez a experiência fosse melhor, todavia, como ele não faz isso, a obra tem apenas o objetivo de entreter, o que até consegue se você realmente embarcar em uma história absurda de uma mulher de 37 anos que quer viver como se tivesse 17.

    Nossa nota

    2,5/5,0

    Confira o trailer de De Volta ao Baile:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    TBT #266 | ‘Protegendo o Inimigo’ mostra o que o gênero de espionagem tem de melhor

    Protegendo o Inimigo de 2012 é estrelado por Ryan Reynolds e Denzel Washington. O longa conta uma história de gato e rato entre espiões e a CIA.

    CRÍTICA: ‘O Menino e a Garça’ é um desabafo sobre passado, presente e futuro

    O Menino e a Garça é dirigido por Hayao Miyazaki. O longa conta a história do jovem Mahito que precisa resgatar sua mãe em um mundo fantástico.

    CRÍTICA: ‘O Mal que nos Habita’ um álbum de death metal em formato de filme de terror

    O Mal que nos Habita é o mais novo longa de horror argentino que tomou o mundo. Repleto de body horror e sequências de terror, você se surpreenderá.

    TBT #265 | ‘Kill Bill’ é um clássico atemporal de vingança

    Kill Bill Vol. 1 é estrelado por Uma Thurman no papel da Noiva, uma heroína em busca de vingança por tudo que foi tirado dela.