Início FILMES Crítica CRÍTICA – A Princesa e a Plebeia 3: As Vilãs Também Amam...

CRÍTICA – A Princesa e a Plebeia 3: As Vilãs Também Amam (2021, Mike Rohl)

CRÍTICA - A Princesa e a Plebeia 3: As Vilãs Também Amam (2021, Mike Rohl)

O terceiro filme da saga A Princesa e a Plebeia (2018) chega na Netflix para dar início a temporada de filmes de Natal do streaming. Repetindo o sucesso de seus antecessores, o novo longa traz de volta Vanessa Hudgens (Sucker Punch), Nick Sagar e Sam Palladio.

Na direção está Mike Rohl e o roteiro é de Robin Bernheim.

SINOPSE

A Princesa Stacy (Vanessa Hudgens) pede a ajuda de Fiona (Vanessa Hudgens) e sua parceira de trocas Margaret (Vanessa Hudgens) para recuperar uma relíquia de valor inestimável que foi roubada. Porém, para recuperar a joia, ela encontra um misterioso homem do passado e acaba reacendendo a chama de um romance natalino irresistível.

ANÁLISE

A Princesa e a Plebeia 3: As Vilãs Também Amam é a continuação do segundo longa, de 2020, com Vanessa Hudgens interpretando não uma, nem duas, mas três personagens. A produção é um dos primeiros a iniciar a temporada de filmes de Natal deste ano na Netflix e apesar de não trazer nada de novo para a história, consegue ser ao menos divertido.

É a vez de acompanhar a vilã Fiona em uma aventura a pedido de sua prima, Lady Margaret Delacourt, Rainha de Montero, e da Princesa Stacy Wyndham de Belgravia. Para recuperar a confiança da princesa e da rainha, Fiona precisará recuperar a peça Estrela da Paz, emprestada pelo Vaticano ao reino de Montero para as festividades de Natal.

No caminho, Fiona reencontra um antigo amor de infância Peter (Remy Hii) que a ajudará no plano para recuperar a joia. Dessa forma, o terceiro filme da franquia mostra que ainda tem mais histórias para contar, ainda que o clima natalino seja somente um pano de fundo para os acontecimentos.

As Vilãs Também Amam não foge dos seus clichês e é nitidamente um filme família, para assistir sem grandes pretensões. O mais interessante no longa é obviamente o poder de síntese de Vanessa Hudgens ao interpretar três personagens ao mesmo tempo, dando detalhes pessoais a cada uma para diferenciá-las.

É também Hudgens com seu carisma que consegue manter o filme até os minutos finais, visto que, apesar do resto do elenco ser esforçado, são facilmente ofuscados. Ainda assim, A Princesa e a Plebeia 3: As Vilãs Também Amam mantém a produção de design dos filmes anteriores com belos figurinos e lindos ambientes decorados com o clima do Natal.

O terceiro filme dessa saga que provavelmente não acabará por aqui é espirituoso e divertido, mesmo não entregando nada novo ou surpreendente. Logo, enquanto render aos cofres da Netflix, continuaremos vendo a três personagens de Vanessa Hudgens.

VEREDITO

A Princesa e a Plebeia 3: As Vilãs Também Amam é um filme natalino mediano com uma história pouco empolgante, mas que se mantém fiel aos seus dois antecessores.

Nossa nota

2,0 / 5,0

Assista ao trailer do filme:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anterior10 músicas que marcaram o cinema
Próximo artigoHouse of the Dragon: Conheça Meleys, a Rainha Vermelha
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.