CRÍTICA – Sorte de Quem? (2022, Charlie McDowell)

    Sorte de Quem? é o novo suspense da Netflix com direção de Charlie McDowell (The Discovery) e roteiro de Justin Lader e Andrew Kevin Walker. No elenco estão Jason Segel (How I Meet Your Mother), Lily Collins (Emily em Paris) e Jesse Plemons (Ataque dos Cães). 

    SINOPSE

    Um jovem homem (Jason Segel) decide invadir a casa de veraneio de um bilionário, tudo ocorre como planejado. Mas quando está prestes sair, o dono da casa (Jesse Plemons) chega com sua esposa (Lily Collins) para um fim de semana romântico no local. O homem rende o casal pedindo dinheiro para que o casal seja solto, mas certo dinheiro só chegará em 36 horas – e muitas coisas podem dar errado nesse meio tempo.

    ANÁLISE

    Com um trio de estrelas, orçamento baixo e uma história simples, mas potente, Sorte de Quem? é o típico filme feito para atores brilharem. Jason Segel, Lily Collins e Jesse Plemons entregam personagens intrigantes. Contudo, o diretor Charlie McDowelll consegue manter o ritmo de suspense com um humor sutil até a metade do longa.    

    O espectador sabe muito pouco sobre os personagens. Segel faz um bandido empático, que não busca violência, apenas ter um pouco do que os ricos têm. Plemons, por outro lado, é um CEO arrogante, que se acha acima de todos e tudo. Já Collins faz a esposa passiva e mediadora, mas nem tudo é o que parece. 

    Filmes em que os personagens estão isolados rendem boas tramas com conflitos internos sendo sempre a máxima do longa. Em Sorte de Quem? não é diferente. Ainda que nenhum personagem coloque um contra o outro, a medida que as horas passam, a situação começa a revelar os problemas do casal que parecia tão unido e também as motivações do bandido. 

    Por isso, o filme se mantem em boa parte. Os atores estão empenhados e o roteiro funciona, contudo, há uma quebra de expectativas da metade para o fim. A falta de sagacidade nos personagens vividos por Segel e Collins ressalta a intensidade do personagem de Plemons, logo, quando o ator sai de cena por uns minutos, tudo parece monótono demais. 

    Depois disso, o filme corre para chegar ao seu clímax, mesmo que não saiba dar um fim apropriado aos personagens. Além disso, faltam situações conflitantes, que pudessem levar aqueles personagens aos seus extremos. Acrescente mais alguns arranjos desnecessários e uma simbologia desinteressante e Sorte de Quem? vai de um bom suspense ala Hitchcock para um filme amargo em seus minutos finais. 

    VEREDITO

    Sorte de Quem? aposta em um bom elenco com trama de suspense que consegue prender a atenção do público. Porém, o filme se perde ao criar situações desinteressantes e em nunca colocar, de fato, aqueles personagens em ação.

    Nossa nota

    3,0 / 5,0  

    Assista ao trailer:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Superman: Possíveis vilões do novo filme do Homem de Aço

    Superman ganhará um novo filme. Apesar de quase todo o elenco do filme ter sido anunciado, os vilões ainda são mantidos em segredo.

    TBT #272 | ‘O Exterminador do Futuro’ é terror desesperador e ação absoluta

    'O Exterminador do Futuro' foi criado como um temor em relação ao futuro. E se as máquinas dizimassem a humanidade e colocasse nossa única...

    TBT #271 | ‘Dupla Explosiva’ já é clássico de ação com explosões e comédia exagerada

    Dupla Explosiva é clássico de ação repleto de absurdo e estrelas do cinema. Nele, acompanhamos Michael Bryce e Darius Kincaid.

    Duna: Parte Dois consegue a maior estreia desde Barbie, e já se consagra como um dos grandes sucessos de 2024

    Apesar de estarmos no terceiro mês do ano, Duna: Parte Dois conseguiu, em quatro dias desde a sua estreia, tornar-se a maior bilheteria de 2024.