CRÍTICA – O Soldado que Não Existiu (2022, John Madden)

    História sempre foi uma das matérias que sempre fui apaixonado na época da escola. Mas com o passar dos anos, aprendi que não apenas a História em si me cativava, mas sim, a forma como era contada. Com o passar dos anos, a Segunda Guerra Mundial se tornou motivo de fascínio para mim e conforme aprendo mais, essa fascinação só aumenta. O Soldado que Não Existiu é um dos filmes que esmiúça uma das operações que tinham como intuito enganar o exército nazista, e se tornou um dos pontos mais importantes para a retomada pelas Forças Aliadas da Europa.

    Entender que a Segunda Guerra Mundial foi não apenas o maior conflito armado da história, mas também um dos maiores genocídios da história mundial, bem como seus mais diversos aspectos históricos e filosóficos, nos ajudam a entender a problemática ligada à ascensão de governos ultranacionalistas e fascistas.

    SINOPSE

    Dois soldados britânicos criam uma estratégia bizarra para enganar os nazistas e alterar o curso da Segunda Guerra Mundial. Baseado em uma história real de desinformação.

    ANÁLISE

    A Operação Mincemeat, ou em tradução livre “Carne Moída”, é considerado até os dias de hoje como um dos planos de contrainformação mais bem sucedidos da história. Não apenas pela repercussão da operação, mas também pelo fato de um simples plano ter salvo a vida de dezenas de milhares de soldados na costa da Sicília.

    Ewen Montagu (Colin Firth) e Charles Cholmondeley (Matthew Macfadyen), bem como a jovem Jean Leslie (Kelly Macdonald) são um dos pontos mais altos do filme. Suas atuações dão ao longa um imediatismo necessário para a trama, e nos faz entender o quão perigoso um plano que não era nada promissor acabou sendo o único plano de enganação na manga do governo britânico.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | O Soldado que Não Existiu: Quem é o elenco do filme da Netflix?

    Os planos do filme, bem como as decisões criativas causam no espectador a ansiedade necessária para testemunhar o desenrolar daquela trama. E esse desenrolar é feito magistralmente.

    A forma como o diretor dirige não apenas Colin Firth, mas Matthew Macfadyen parece destoar em determinados momentos, pois Macfadyen parece exprimir uma gama muito mais vasta em sua atuação do que Firth, que parece se sentir mais à vontade no papel do que o desejado.

    VEREDITO

    O Soldado que Não Existiu conta uma história real, com o devido respeito de uma das mais bem sucedidas operações. Glyndwr Michael – o corpo usado na operação Carne Moída -, foi em sua morte um dos elementos mais importantes para a virada na Segunda Guerra Mundial, e foi o que deu início à uma retomada que parecia impossível.

    Nossa nota

    4,5 / 5,0

    O Soldado que Não Existiu está disponível na Netflix. Confira o trailer do filme:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Noites Sombrias #67 | Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira 13 (1993, Adam Marcus)

    Jason Vai Para o Inferno é o sexto filme da franquia de um dos ícones da cultura pop e que trouxe um misto de sentimentos na crítica.

    Top Gun: Maverick | Quem é o elenco do novo filme?

    Mais de 30 se passaram do clássico Top Gun, agora Tom Cruise está de volta em Top Gun: Maverick! Conheça o elenco.

    TBT #177 | Clube dos Cinco (1985, John Hughes)

    Clube dos Cincos é um daqueles clássicos dos anos 80 e seria uma heresia se não estivesse no TBT do Feededigno.

    Cannes: 5 filmes cotados para dominar o festival

    Começou nesta terça-feira (17) a 75ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes. Conheça alguns filmes para ficar de olho!