Início FILMES Crítica Noites Sombrias #19 | Espiral: O Legado de Jogos Mortais

Noites Sombrias #19 | Espiral: O Legado de Jogos Mortais

Espiral

O Noites Sombrias de hoje traz um dos filmes mais peculiares do ano, pois revive uma franquia controversa, mas que tem sucesso: a de Jogos Mortais. Confira a crítica sem spoilers de Espiral: O Legado de Jogos Mortais.

SINOPSE

O detetive Zeke Banks (Chris Rock) é pouco quisto em seu departamento, pois delatou um policial corrupto, ferindo o código interno.

Após a morte brutal de um de seus amigos por um imitador de Jigsaw, Zeke deve resolver o mistério que tem questões bem pessoais envolvendo ele.

ANÁLISE

Quando Espiral: O Legado de Jogos Mortais foi anunciado, houve um certo estranhamento, pois a ideia de que a franquia havia acabado era muito forte.

Chris Rock trouxe de volta algo que já estava morto e enterrado e, infelizmente, foi uma péssima ideia. Se a proposta era de renovação, o primeiro equívoco foi trazer de volta para a direção Darren Lynn Bousman, que dirigiu Jogos Mortais 2, 3 e 4.

A paleta de cores do filme traz um alaranjado forte que dá um ar mais sujo para as cenas, por exemplo. O azul traz uma mensagem ambígua de calmaria antes dos sequestrados serem trucidados pelas armadilhas. Aliás, as armadilhas são pouco inventivas dentro de um cenário já apresentado por Bousman.

Entretanto, o diretor só não é pior que a atuação caricata do elenco, com grande destaque negativo para Chris Rock. O nosso excelente comediante não consegue se desvencilhar dos maneirismos, entregando cenas constrangedoras, com caretas de quem parecia com prisão de ventre. Samuel L. Jackson está no automático e Marisol Nichols está tão estereotipada quanto Rock. O único que se salva é Max Minghella que consegue entregar uma boa atuação, pois é o tipo de papel que o ator domina de homem sério com ar de mistério.

VEREDITO

Espiral: O Legado de Jogos Mortais é o filme que não não queríamos, mas que foi entregue assim mesmo.

Com uma direção fraca e um elenco péssimo, só nos resta sentar e dar boas gargalhadas do que foi apresentado, pois o que nos resta, no fim, é a vergonha alheia daquilo que acabamos de ver.

Nossa nota

1,0/5,0

Confira o trailer de Espiral: O Legado de Jogos Mortais:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Em um Bairro de Nova York (2021, Jon M. Chu)
Próximo artigoLoki: Conheça o Deus da Trapaça da Marvel
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.