Início GAMES Crítica CRÍTICA – Maneater (2020, Tripwire Interactive)

CRÍTICA – Maneater (2020, Tripwire Interactive)

267
0
Maneater

Seja o predador apex dos sete mares. Maneater é o mais novo ARPG que te coloca no controle de um… tubarão. Isso mesmo, você não leu errado.

Maneater, que é desenvolvido pela Tripwire Interactive e publicado pela Deep Silver, é um dos games mais improváveis e mais surpreendentes dos últimos anos, e como o Untitled Goose Game – que nos permite controlar um ganso – nos coloca no controle de um animal surpreendentemente divertido. Nos fazendo sentir tão recompensados quanto maravilhados, com os desafios e a forma como o game se desenrola.

HISTÓRIA

Maneater

Com uma história deveras diferente, somos apresentados a um documentário que conta a vida de um pescador de tubarões, Scaly Pete, e uma rixa que nasce a partir do momento em que “somos colocados no mundo”.

Maneater nos faz sentir extremamente a vontade, ao nos colocar a princípio no controle de um tubarão-cabeça-chata no ápice de sua vida, mostrando que não existe nenhum predador que o faça frente, a não ser o predador no topo da cadeia alimentar, o ser humano.

Com a intenção de variar a jogabilidade, e nos fazer sentir que precisamos mais do que apenas se alimentar de peixes menores e até mesmo caixa de mutagênicos, logo somos colocados em check, ao sermos capturados, e arrancados da barriga de nossa mãe. Não pare por aqui, por achar que isso é spoiler, esses acontecimentos se desenrolam nos primeiros 5 minutos do game.

Scaly Pete tem como intenção marcar o filhote de tubarão assim que retirado da barriga de sua mãe com um corte, para que possa identificá-lo em um futuro próximo. Mas ao fazê-lo, perde a mão direita em uma atitude egoísta e impensada, o que dá início a toda a rixa que é o mote do documentário Maneater, cujo personagem central é Pete e nosso tubarão.

Se um caçador experiente foi capaz de capturar um tubarão no ápice de sua vida, com toda sua força e capacidade, que chances um filhote tem contra ele?

LEVELING UP

Maneater

O próximo arco do game consiste na evolução e desenvolvimento do tubarão cujo nascimento você acabara de testemunhar. No lugar que lembra muito os Everglades, um parque nacional da Flórida, somos apresentados a algumas mecânicas novas, e algumas outras que podemos esquecer, que só faziam sentido e funcionavam apenas com o outro tubarão, quando já adulto.

Indo desde os pântanos mais profundos, até mesmo ao mar aberto, Maneater nos apresenta uma vasta gama de possibilidades no que se refere ao subir de level do nosso tubarão, sendo possível comer desde os menos peixes, até mesmo jacarés, e como citado acima, algumas caixas de mutagênicos.

A evolução e progressão do game, depende inteiramente do que o jogador como tubarão consome, desde animais menores, até outros predadores como outros tubarões, jacarés e peixes carnívoros.


CRESCIMENTO

Maneater

Os vários estágios da vida de um tubarão no game são representados além de um número para expressar o nível, assim, podemos ir além de um filhote de tubarão de apenas um metro, para um mega-tubarão, com mais de 9 metros de comprimento. As mecânicas de RPG se mostram presentes a todo momento no game, com árvore de habilidades e upgrades a serem feitos para que possamos nos tornar o mais apto e mais forte predador dos sete mares.

Os upgrades vão desde dentes elétricos, até uma carapaça externa feita de pedra. As melhorias vêm como conquistas ao derrotarmos nossos adversários caçadores de tubarões.

A coleta de recursos que proporcionam a melhoria das habilidades e das evoluções, vem ao nos alimentarmos de animais cujos elementos estão dispostos e sinalizados em suas barras de vida, tal como óleo ou cristais.

PEQUENOS PROBLEMAS

Maneater

Como o lançamento do game se dá hoje, 22 de Maio de 2020, algumas melhorias ainda hão de ser feitas ao longo da pós-produção do game. Tal como a melhoria de mecânicas que deviam estar disponíveis desde o primeiro momento, como a necessidade de pressionar o botão R2 para mastigar, quando o menu aponta que a ingestão dos animais se daria ao segurar o mesmo botão após a mordida inicial, quando isso infelizmente não acontece.

Por se tratar de um mapa muito colorido, a distinção das missões e objetivos se torna um pouco confusa, quando deviam ser claras desde o início. Mas com um tempo, a progressão, e o costume, tais elementos se tornam comum aos olhos, se tornando fácil encontrá-los depois de um tempo.


VEREDITO

Ainda que conte com uma proposta diferente, Maneater se mostra divertido no que se refere a jogabilidade e o sistema de recompensa. O game se faz extremamente necessário no atual cenário de games, em que as empresas insistem em tentar reinventar a roda e falham miseravelmente, quando na verdade, tudo que precisamos é um divertimento justo e honesto. Após quase 9 horas de gameplay, o game ainda se mostra divertido, ao nos introduzir a novas mecânicas referentes a upgrades e melhorias.

Maneater é um game divertido e vale apontar que sua dublagem torna o game muito mais interessante. Com até mesmo a citação de memes da internet brasileira “Se eu pudesse eu matava mil!”, se o abordarmos de maneira mais simplista, como ele parece ter sido desenvolvido, o game se torna ainda mais divertido.

Nossa nota

Confira o trailer do game:

Maneater foi lançado hoje, 22 de Maio de 2020 para todas as plataformas da atual geração, PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Confira a nossa gameplay:

E vocês, o que acharam do game? Hoje vai ter live às 19:00 em nosso canal no YouTube. Deixe sua nota e opinião nos comentários!

Nota do público
Obrigado pelo seu voto



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.