Início GAMES Crítica CRÍTICA – Star Wars Jedi: Fallen Order (2019, Respawn Entertainment)

CRÍTICA – Star Wars Jedi: Fallen Order (2019, Respawn Entertainment)

153
0
Star Wars Jedi: Fallen Order | Game se tornou o mais vendido da Respawn Entertainment

Star Wars é apenas uma das maiores franquias de todos os tempos, que teve início com a saga dos Skywalker em 1977 e culminou com seu fim em 2019. A franquia se tornou um fenômeno multimídia ao longo dos anos, tendo ganhado espaço em livros, quadrinhos, especiais de natal, e até mesmo games. Os games e os livros têm sido as partes mais interessantes da franquia desde seu lançamento. Games adorados como Knights of the Old Republic e para esse que vos escreve, até mesmo o Star Wars: Episode I Racer, isso mesmo. Se você ficou por fora da geração do Nintendo 64, próximo do lançamento da segunda trilogia em 1999, a LucasArts lançou um game de corrida com pod racers ambientado em todo aquele mote de mostrar como a habilidade de pilotar caças e naves era algo natural para os Skywalker.

Um Padawan e uma história inteiramente nova

Star Wars Jedi: Fallen Order é o mais novo game single-player da franquia. O primeiro game a ser desenvolvido pela Respawn Entertainment, desenvolvedora da EA responsável por um dos maiores sucessos atuais de Battle Royale, Apex Legends. O game nos coloca no controle do jovem Cal Kestis cerca de 5 anos após a ativação da Ordem 66, e o fim das Guerras Clônicas — caso você não esteja familiarizado, a Ordem 66 foi instituída pelo Imperador Palpatine, em que ordenava o extermínio completo da Ordem Jedi — no planeta-desmanche Bracca, enquanto ele trabalha atuando como um dos catadores e um dos principais mecânicos do lugar.

Star Wars Jedi: Fallen Order
Cal Kestis em disfarçado em Bracca, o planeta-desmanche

Em um trabalho comum, Cal e seu melhor amigo Prauf se vêem envolvidos em um incidente, que faz com que Cal use a Força para salvar Prauf de uma queda para sua iminente morte que é o estopim para toda a história que se desenrolará ao longo de todo o game.

Um rápido desenrolar e um grande aprendizado

Em uma rápida sequência, precisamos fugir de Bracca, e de uma das Inquisidoras do Império, a Segunda Irmã, que tenta nos impedir. Como um jovem portador de sabre de luz ainda sem muita experiência, Cal se vê perdido, até que sermos apresentados à Cere e Greez, que nos auxiliam nos levando a um dos mais distante planetas da Orla Exterior, Bogano.

Sem entrar muito na história para evitar qualquer maior spoiler que estrague sua experiência, Star Wars Jedi: Fallen Order é uma experiência obrigatória até mesmo se você não conhece muito da história da franquia — pode ter certeza que os acontecimentos do game te darão um ânimo maior para ir atrás do que você não conhece, a fim de ficar por dentro de todos os acontecimentos da história do jovem Cal Kestis.



Veredito

Com uma captura de movimento e dublagens dignas de games AAA, Cameron Monaghan se apresenta como um dos personagens mais cativantes da franquia, enquanto somos apresentados às aventuras ao lado do dróide BD-1. Ao ver o cuidado e esmero da equipe da Respawn, vemos que o game foi feito por uma equipe repleta de fãs da franquia. Desde pequenos itens, achados, linhas de diálogo e até mesmo o encontro com personagens icônicos assim como com diversos dos segredos mais bem guardados da galáxia.

Star Wars Jedi: Fallen Order
Cal Kestis luta contra um Scout Trooper

O game pode ser descrito como um dungeon crawler/souls like, por contar com muito backtracking para acessar áreas até então bloqueadas por habilidades ainda não adquiridas. Ao conseguir habilidades até então guardadas pela memória do personagem que controlamos, somos capazes de enfrentar inimigos antes imparáveis.

Vocês devem estar perguntando o que eu quis dizer quando citei o termo “souls like”. O game conta com fases e ações punitivas. Ao realizar parry, ao apertar o botão de defesa no momento correto, é possível contra-atacar, derrotando rapidamente até mesmo os inimigos mais difíceis.

Star Wars Jedi: Fallen Order
O encontro antes da batalha de Cal Kestis e a Segunda Irmã

As marcantes trilhas da franquia Star Wars também têm presença garantida no game. Star Wars Jedi: Fallen Order se mostra como um dos games mais importantes na franquia, por introduzir e apresentar os primeiros usuários da Força não-Jedi de forma canônica, e até mesmo habilidades mostrada no tão controverso Star Wars: A Ascensão Skywalker, como o que conhecemos como “Ecos da Força”, um dom recém-desenvolvido por Rey do Episódio VIII para o IX.

A Força nos é apresentada de maneira tão íntima, quanto grandiosa. Ao vermos que planetas importantes e imponentes Bogano, Kashyyk, Dathomir e Zeffo são ligados por segredos e por algo muito maior que o acaso. Star Wars Jedi: Fallen Order nos faz sentir como se não houvesse um desequilíbrio na Força. Apresentando de forma cuidadosa, porém única e inédita, a história de um jovem Padawan que precisa terminar sozinho seu treinamento, a fim de impedir o fim da próxima geração de Jedi.

Star Wars Jedi: Fallen Order foi lançado no dia 15 de Novembro para PlayStation 4, Xbox One e PC. O game segundo muitos foi o “único Star Wars que conta realmente esse ano”, já que o último filme da Saga Skywalker se tornou tão divisivo.

Nossa nota

Confira o trailer do game abaixo:

Já teve a oportunidade de jogar Star Wars Jedi: Fallen Order? Se sim, conta nos comentários o que achou e dê sua nota abaixo!

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto



Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários