PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Achilles: Legends Untold (2022, Dark Point Games)

    Tivemos acesso antecipado ao beta de Achilles: Legends Untold e vamos compartilhar um pouco de nossas impressões do jogo que está previsto para ser lançado no segundo trimestre de 2022.

    Dark Point Games, o estúdio indie polonês responsável pelo game, apesar de novo, é composto por quatro nomes de relevante experiência, com passagens pela THQ Nordic (de Biomutant e Destroy All Humans) e CI Games (da série Sniper Ghost, Tails of Iron e Lords of the Fallen).

    SINOPSE

    Participe da jornada de Achilles, que está no meio de um conflito de séculos entre Hades e Ares. O jovem herói está sendo enviado para lutar contra o filho do Deus da Guerra – Phobos. Sua jornada vai levar ele a muitos cantos diferentes de terras mitológicas, onde obterá artefatos poderosos que o ajudarão em sua busca. Aquiles não está sozinho, pois Hefesto – o Deus dos ferreiros – está sempre pronto para fabricar novas armas em troca de materiais.

    ANÁLISE DE ACHILLES: LEGENDS UNTOLD

    Antes de fazer qualquer consideração sobre o jogo em si, preciso ressaltar o interesse do estúdio e da distribuidora em colher feedbacks de usuários com este beta. Ao contrário de outras situações com versões prévias, no beta de Achilles: Legends Untold senti a todo momento que existia o real interesse em saber se algum bug ou falha havia sido experienciado.

    Além disto, testando o sistema de comunicação de falhas, me surpreendi com a simplicidade e funcionalidade do formulário. Era nítido o objetivo de fazer com que os usuários conseguissem reportar suas insatisfações facilmente, sem maiores burocracias ou impeditivos.

    Conheça nossas impressões sobre Achilles: Legends Untold e saiba mais sobre esta elaborada trama que retrata um conflito entre Hades e Ares.

    Semelhanças e boas inspirações

    Ao jogar Achilles: Legends Untold pude notar certas semelhanças com os primeiros God of War, obviamente, mas sobretudo com Spartan: Total Warrior (2005) e o antigo jogo King Arthur (2004), baseado no filme homônimo contemporâneo. O estilo hack and slash embebido em cultura greco-romana certamente ajuda na identificação.

    Além de características culturais, nota-se muito a inspiração no gênero soulslike. No combate e na sua forma de reprodução, com inimigos separados em grupos de 3 ou 4 e foco em estudo de movimentos e danos punitivos. Some estas características ao level design com áreas desafiadoras e boss fights pontuais e bem demarcadas.

    A árvore de habilidades, ainda incipiente em termos de variedade, lembra muito a proposta vista em Skyrim. A representação de constelações simbolizando as várias habilidades e status que podem ser aprimorados leva o jogador imediatamente para essa lembrança. A ainda pequena variedade de melhoramentos certamente pode ser creditada ao fato de ainda não ser a versão final do jogo.

    Proposta conservadora, mas promissora

    Conheça nossas impressões sobre Achilles: Legends Untold e saiba mais sobre esta elaborada trama que retrata um conflito entre Hades e Ares.

    É claro que é arriscado criar um jogo com uma temática parecida a de tantos outros. Ainda mais arriscando a semelhança com uma franquia gigante como God of War. Mas Achilles: Legends Untold não se intimida. O jogo oferece mecânicas desafiadoras e uma proposta um pouco menos fantasiosa em comparação à saga do filho de Zeus e Calisto.

    O esforço de um jogo indie entregar um beta acessível e com a intenção de fazer melhor é muito louvável. Com o pouco que pude experimentar até agora, posso dizer que estou ansioso. Quero logo saber quais as novas mecânicas e habilidades que Achilles poderá aprender e quais os novos inimigos que teremos para enfrentar. Aguardo, com esperança, o segundo trimestre deste ano para poder explorar ainda melhor os bonitos cenários de Achilles: Legends Untold e penetrar na boa trama que o jogo promete.

    Confira o trailer de Achilles: Legends Untold:

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Sker Ritual’ combina terror com muita ação

    Sker Ritual é um fps de terror repleto de ação. O game é o sucessor espiritual do game do mesmo estúdio Maid of Sker.

    EU CURTO JOGO VÉIO #8 | ‘The Darkness’ era uma escapada da rotina dos FPS

    The Darkness é um jogo FPS desenvolvido pela Starbreeze e publicado pela 2K, lançado em 2007 para PlayStation 3 e Xbox 360.

    Indie World: Confira todos os anúncios da conferência da Nintendo

    A Indie World chegou rapidinho e trouxe incríveis anúncios. O evento anunciou indies que chegarão ao Switch durante todo o ano.

    CRÍTICA: ‘Harold Halibut’ é aventura sci-fi stop-motion com narrativa profunda e envolvente

    Harold Halibut é uma aventura única. Em uma viagem ao desconhecido, somos lançados na história de Harold à bordo da Fedora, uma nave submersa.