Início GAMES Crítica PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Pokémon Shining Pearl (2021, Nintendo)

PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Pokémon Shining Pearl (2021, Nintendo)

Confira nossa análise de Pokémon Shining Pearl e conheça as diferenças entre essa versão e o outro remake, Brilliant Diamond

Os primeiros remakes da franquia Pokémon para o Nintendo Switch chegaram na última sexta-feira, 19 de novembro. Pokémon Shining Pearl é a atualização da versão Pearl, lançada em 2006 para Nintendo DS. O jogo foi lançado junto com Brilliant Diamond, que traz para o console híbrido da Big N a reimaginação de Pokémon Diamond, também original do Nintendo DS.

Aqui neste texto de primeiras impressões focaremos na experiência jogando Shining Pearl. No entanto, há diversas similaridades entre as versões, então essa análise pode valer também para Brilliant Diamond.

Se desejar conhecer o que há de diferente entre ambas, confira no fim do artigo as diferenças entre Pokémon Brilliant Diamond (BD) e Shining Pearl (SP) – combo também conhecido como Pokémon BDSP.

E por falar em diferenças, os remakes foram desenvolvidos pela empresa ILCA, fugindo do tradicional desenvolvimento por parte da Game Freak. Apesar disso, o trabalho foi supervisionado por Junichi Masuda (Game Freak) e por representantes de Nintendo e The Pokémon Company.

SINOPSE

Vivencie a história nostálgica do jogo Pokémon Pearl Version em uma aventura reimaginada, Pokémon Shining Pearl, agora disponível no console Nintendo Switch!

As aventuras no jogo Pokémon Shining Pearl acontecerão na conhecida região de Sinnoh. Rica em natureza e com o poderoso Mount Coronet em seu núcleo, Sinnoh é uma terra de muitos mitos passados de geração em geração. Você poderá escolher Turtwig, Chimchar ou Piplup para ser seu primeiro parceiro Pokémon e, em seguida, partirá em sua jornada para se tornar o campeão da Pokémon League.

Ao longo do caminho, você irá se deparar com a misteriosa organização Team Galactic e poderá encontrar o Pokémon Lendário Palkia.

ANÁLISE DE POKÉMON SHINING PEARL

A estreia de remakes de Pokémon desenvolvidos para Nintendo Switch está repleta de mudanças. As alterações vão muito além da relação entre a Game Freak com a franquia, sendo inicialmente perceptível por conta dos gráficos. O estilo Chibi trazido ao universo Pokémon em um console de última geração da Nintendo também remete ao clássico Animal Crossing.

Por si, isso já é uma relevante quebra de paradigma. É natural que muitos tenham discordado dessa escolha, mas a mim agradou. Ao menos no que diz respeito aos personagens.

No entanto, há pontos negativos no estilo gráfico de Pokémon Brilliant, e eles são perceptíveis já no começo da jornada.

Excesso de blur prejudica a experiência gráfica pensada para Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl
Travessia em dupla na Eterna Forest

O uso de blur é excessivo em diversos momentos do jogo, especialmente em ambientes claros ao ar livre, em cavernas e florestas. Há cenários em que o game força você a olhar somente ao personagem, pois o entorno embaçado exige que sua atenção esteja ali, causando um incômodo visual.

Pokémon Shining Pearl é um jogo com cores vivas e bonitas, que poderiam ser muito satisfatórios de jogar apreciando a beleza dos cenários coloridos. No entanto, o blur combinado com a luminosidade e a saturação muitas vezes atrapalha.

Apesar disso, é preciso enaltecer a ambientação das batalhas. Tanto as partidas convencionais nas rotas, como as temáticas contra líderes de ginásio e outros adversários imponentes são maravilhosas. Os encontros com o Team Galactic são um dos meus favoritos.

A ambientação das batalhas com o Team Galactic é uma das melhores em Pokémon BDSP
Batalha contra a Commander Mars, do Team Galactic

Outro ponto de ruptura entre Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl quando comparado à maioria dos jogos da franquia é o Exp. Share ativado em tempo integral para compartilhar experiências entre os Pokémon utilizados na batalha e os demais que estão na sua equipe. Eu entendo a utilidade da mecânica no sentido de facilitar a jornada, acredito que é interessante, mas não ter a liberdade de desligá-la é algo negativo.

Quanto mais Pokémon seu adversário usa, mais a batalha se torna truncada, especialmente se dois ou mais monstrinhos da sua equipe passam de nível. A situação piora se esse contexto envolver aprendizado de novos ataques.

Por que digo isso?

Porque a cada Pokémon vencido a tela exibe a experiência conquistada por todos da equipe. Os jogos de Pokémon sempre foram assim, mesmo quando usando o Exp. Share, mas a diferença está justamente na capacidade de decidir usá-lo ou não.

Cabe destacar também o fim dos Hidden Moves (HMs), que agora fazem parte de um app integrado ao relógio inteligente Pokétch. Ou seja, você não precisa mais escolher um Pokémon específico para aprender determinados ataques como Cut e Rock Smash, bastando apenas usá-los no app para que um monstrinho selvagem o ajude.

Muitas horas de diversão com POKÉMON BDSP

As jornadas para se tornar um Mestre Pokémon nas diferentes regiões da franquia são tradicionalmente longas. Isso é ainda mais certo se você deseja completar as respectivas Pokédex ou atingir objetivos ainda mais desafiadores, como ter todos os shinies disponíveis.

A duração de Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl é um trunfo importante de ser destacado. Ambos jogos garantem muitas horas de aventuras pela região de Sinnoh, o que é sempre um fator relevante na hora de decidir comprar um jogo ou não.

É por causa da longa jornada que decidi fazer esse texto de primeiras impressões ao invés de uma crítica definitiva. No momento que escrevo este texto estou recém no segundo ginásio de Shining Pearl, em Eterna City. No entanto, já farmei muito na Eterna Forest e iniciei a aventura na grande novidade dos remakes: o Grand Underground.

Antes de falar do Grand Underground, é fundamental destacar que ainda há outros recursos além da jornada tradicional. As batalhas e o sistema de trocas pela internet (disponíveis para assinantes do Nintendo Switch Online) e local agregam muito. Também há outros elementos que garantem lazer e desafios mais leves para a jornada, como o Super Contest Show.

Customização do avatar com diferentes tons de pele e cabelos é um ponto importante em Pokémon BDSP
Customização do avatar com diferentes tons de pele e cabelos é um ponto importante em Pokémon BDSP

Falando no Super Contest Show, a customização para seu próprio avatar também é um ponto positivo, especialmente por ser mais inclusivo, tanto nas caracterizações masculinas, como nas femininas.

Grand Underground é a melhor adição aos remakes

Todo o subterrâneo de Sinnoh é jogável em Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl. O novo Grand Underground tem como diferencial ser uma gigantesca região com biomas e mini-jogos em seus caminhos abaixo da terra.

Nos biomas é possível encontrar diversos Pokémon de gerações diferentes, elevando a experiência a um nível mais interessante. Mas não apenas isso: os monstrinhos são visíveis nas áreas, o que torna tudo muito, muito, muito mais atraente e divertido.

Grand Underground é a melhor adição aos remakes Pokémon BDSP
Bioma de fogo no Grand Underground

Imagine vasculhar uma área vendo perto de você um Pokémon que você deseja? Ou se surpreender ao encontrar um baby como Togepi? É essa experiência incrível que o Grand Underground oferece, ampliando muito as possibilidades de montar equipes em Pokémon BDSP.

Além disso, o mini-jogo de quebrar diversas paredes para encontrar recompensas é desafiador e divertido. Também é uma forma de receber itens importantes, como pedras de evolução. Há ainda a caçada a 40 Digglet, que possibilita encontrar prêmios melhores nas escavações pelas paredes.

Ou seja: se ao natural Pokémon Brilliant Diamond e Pokémon Shining Pearl já são jogos extensos, imagine tendo uma Sinnoh subterrânea inteira para explorar? Com certeza Grand Underground é a melhor adição aos remakes!

VEREDITO

Pokémon Shining Pearl, assim como seu parceiro de combo Brilliant Diamond, é um jogo que traz rupturas relevantes ao que existia nas versões originais de 2006 e ao universo Pokémon em geral. As principais mudanças dizem respeito a escolhas gráficas, que possuem pontos positivos no estilo Chibi, mas negativos no que deveria complementar bem a experiência fofa.

O grande trunfo dos remakes de Pokémon Pearl e Diamond é a adição do Grand Underground que é, basicamente, um mundo à parte, mas interligado com a aventura principal de modo que faz total sentido. Em um contexto que já era positivo por conta das boas experiências com os títulos originais, a região subterrânea de Sinnoh é uma criação que, por si, já vale conhecer as versões exclusivas para Nintendo Switch.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Pokémon BDSP: Diferenças entre as duas versões

A principal diferença entre os jogos diz respeito aos Pokémon que estampam as capas. Em Brilliant Diamond, Team Galactic está em busca de conquistar Dialga e, portanto, esse é o lendário que você irá capturar. Por sua vez, em Shining Pearl, o lendário destacado é Palkia.

No entanto, há outras diferenças entre Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl, também relacionadas a monstrinhos exclusivos – inclusive lendários! Confira a seguir.

Exclusivos Pokémon Brilliant Diamond:

  • Caterpie
  • Metapod
  • Butterfree
  • Ekans
  • Arbok
  • Growlithe
  • Arcanine
  • Seel
  • Dewgong
  • Scyther
  • Scizor
  • Elekid
  • Electabuzz
  • Electivire
  • Murkrow
  • Honchkrow
  • Gligar
  • Gliscor
  • Entei
  • Raikou
  • Suicune
  • Larvitar
  • Pupitar
  • Tyranitar
  • Ho-oh
  • Seedot
  • Nuzleaf
  • Shiftry
  • Mawile
  • Zangoose
  • Solrock
  • Kecleon
  • Cranidos (via Skull Fossil)
  • Rampardos
  • Stunky
  • Skuntank
  • Dialga

Exclusivos Pokémon Shining Pearl:

  • Weedle
  • Kakuna
  • Beedrill
  • Sandshrew
  • Sandslash
  • Vulpix
  • Ninetales
  • Slowpoke
  • Slowbro
  • Slowking
  • Magby
  • Magmar
  • Magmortar
  • Pinsir
  • Articuno
  • Zapdos
  • Moltres
  • Misdreavus
  • Mismagius
  • Teddiursa
  • Ursaring
  • Stantler
  • Lugia
  • Lotad
  • Lombre
  • Ludicolo
  • Sableye
  • Seviper
  • Lunatone
  • Bagon
  • Shelgon
  • Salamence
  • Shieldon (via Armor Fossil)
  • Bastiodon
  • Glameow
  • Purugly
  • Palkia

Assista ao trailer de Pokémon Brilliant Diamond e Shining Pearl:

Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

Artigo anteriorHouse of the Dragon: Conheça Meleys, a Rainha Vermelha
Próximo artigoCRÍTICA – Crysis Remastered Trilogy (2021, Crytek)
Jornalista pós-graduado em Jornalismo Digital, fã de Mr. Robot, Pokémon e com uma menção honrosa a 24 Horas, o seriado que me fez entrar no mundo de séries e filmes.