Início LIVROS Crítica CRÍTICA – Mil Dias Em Veneza (2010, Marlena de Blasi)

CRÍTICA – Mil Dias Em Veneza (2010, Marlena de Blasi)

381
0
Livro Mil Noites Em Veneza e macarrão
A obra que poderia se chamar “Viaje para Veneza sem sair de casa”.

 

Marlena de Blasi não é uma autora de best sellers, nem top da lista do The New York Times. Entretanto, ela é uma mulher de meia-idade, colunista culinária, jornalista e chef de cozinha, que mais tarde se tornou guia de excursões gastronômicas na Itália.

O livro Mil Dias Em Veneza é uma autobiografia romantizada, baseada na história de vida da autora. Inicialmente foi publicado nos Estados Unidos no ano de 2002, pela editora Allen&Unwin, com o título A Thousand Nights In Venice. No Brasil foi só em 2010, pela editora Sextante.

Acima de tudo, ela conta de modo muito real o que aconteceu entre esse processo de trocar de país, casar-se novamente (e se acostumar com os hábitos de outra pessoa) e as reviravoltas que a vida dela sofreu em decorrência do amor.

Confira a sinopse:

“Este livro pode parecer um conto de fadas, mas é uma história de amor verídica – o amor entre uma mulher e um homem, o amor pela comida e o amor por uma cidade. Por muito tempo, Marlena de Blasi resistiu a ir a Veneza. Até que, em 1989, seu trabalho como chef e crítica gastronômica tornou impossível continuar adiando a viagem. Assim que pôs os pés na cidade, ela ficou completamente seduzida. Seu encantamento foi tão grande que decidiu voltar todos os anos.

Desde aquela primeira visita, Marlena sempre tinha a sensação de que estava indo a um encontro. Em 1993, o encontro finalmente aconteceu. Ela almoçava com amigos quando um garçom se aproximou e lhe disse que havia uma ligação para ela. Do outro lado da linha estava Fernando, um veneziano que, um ano antes, vira Marlena passeando pela Piazza San Marco e se apaixonara à primeira vista. Alguns meses depois, Marlena largava toda a sua vida nos Estados Unidos e se mudava para Veneza, para se casar com o ‘estranho’, como costumava chamar Fernando. Ele não falava quase nada de inglês. O italiano dela se resumia a algumas palavras relacionadas a comida. Ele abrira mão de seus sonhos e levava uma vida monótona e previsível. Ela era mestre em recomeçar e se reinventar. Ele gostava de tudo muito simples, inclusive as refeições. Ela adorava cozinhar pratos elaborados.

À medida que eles superam essas diferenças e Marlena vai se familiarizando com as peculiaridades da cultura veneziana, os leitores são presenteados com uma descrição deliciosa e às vezes cômica de duas pessoas de meia-idade que, apesar de tudo, conseguem criar uma relação maravilhosa. Em Mil Dias Em Veneza, Marlena evoca vividamente as imagens, os sons e os aromas de uma das cidades mais românticas do mundo e divide com os leitores as receitas que estiveram presentes em alguns dos momentos mais importantes de sua vida.”

Inclusive devo confessar que o que me atraiu para ler o livro foi a capa, e comecei sem maiores pretensões. Para a minha surpresa, a autora detalha tão bem as paisagens da Itália que eu me sentia lá. Caminhando pelas ruas de Veneza, conhecendo pessoas diferentes, novos sabores da gastronomia e me adaptando a uma nova cultura.

Eventualmente, ela conhece Fernando de um modo que nem parece real. Ele a viu caminhando por uma praça no ano anterior e ficou esperando reencontrá-la, até que, de súbito, um tempo depois, aconteceu. Porém depois que se conheceram, tudo aconteceu muito rápido. Ela largou sua vida estruturada nos Estados Unidos e se mudou para a Itália. Desse modo, os dois iniciaram uma vida juntos.

Ademais, vários momentos são marcados pela comida e pelas paisagens. Esses elementos são tão importantes na narrativa que ao final do livro há um mini livro de receitas. Ele contém instruções de como preparar alguns dos pratos e bebidas que apareceram no livro. Bem como um mini guia turístico, com lugares e melhores horários para visitar em Veneza.

Portanto, a única coisa que me impede de dar nota máxima para Mil Dias Em Veneza é a forma da escrita. Em alguns momentos acontece um super detalhamento que atrapalha a fluidez da leitura. Como por exemplo a descrição de sua casa nos Estados Unidos, que conta com cada detalhe do lugar, mais as visitas dos possíveis compradores. E em outros casos, acaba sendo superficial. Como a descrição dos filhos dela, que foi rasa e me deixou curiosa para saber mais sobre a vida deles, e como eles se sentiram com a partida da mãe para outro país.

Confira abaixo a capa de Mil Dias Em Veneza e os detalhes da obra de Marlena de Blasi:

Capa do livro Mil Dias Em Veneza

Autora: Marlena de Blasi
Editora: Sextante
1ª Edição: 2010
Páginas: 231

Avaliação: Bom

Quer conhecer outros livros? Então confira mais das nossas críticas literárias clicando aqui.

E aí, já leu Mil Dias Em Veneza? Ficou curioso? Nos conte a sua opinião aqui nos comentários! Se achou legal, compartilhe com os seus amigos nas redes sociais:

Facebook – Twitter – Instagram – Pinterest

Curte eBook? Aproveite a oportunidade da Amazon e experimente gratuitamente por 30 dias o novo Kindle Unlimited, clicando aqui! Nele você terá acesso ilimitado a milhares de eBooks para ler à vontade. Aproveite!