Início MANGÁ Crítica CRÍTICA | Astra Lost In Space – Vol. 3 (2020, Devir)

CRÍTICA | Astra Lost In Space – Vol. 3 (2020, Devir)

CRÍTICA | Astra Lost In Space - Vol. 3 (2020, Devir)

Nesse mês de outubro a editora Devir publicou Astra Lost In Space – Vol. 3, o mangá shōnen de ficção científica de Kenta Shinohara. Esse volume reúne os capítulos #19 à #28.

LEIA TAMBÉM:

CRÍTICA | Astra Lost In Space – Vol. 2 (2020, Devir)

CRÍTICA | Astra Lost In Space (2020, Devir)

ANÁLISE

Nesse terceiro volume de Astra Lost In Space após passarem por grandes dificuldades no planeta Shummoor, a tripulação segue rumo ao novo planeta, Arispade, que é um verdadeiro paraíso tropical cheio de alimentos e com água abundante à disposição.   

Apesar desse pequeno momento de paz que a tripulação passa neste planeta, mal sabem que os seus pais estão em grandes conflitos entre eles e perdendo a esperança de que ainda estejam vivos.

Além disso, já se passaram quarenta dias desde que os jovens desapareceram do planeta MCPA. O caso acaba chamando atenção pública porque os estudantes que participavam de um acampamento sumiram sem deixar vestígios. As buscas estão sendo abandonas e deixando para trás apenas mistério.

O roteiro do mangá continua em desenvolvimento crescente e o mangaká segue a desenvolver o backstory de mais três personagens, assim como foi feito na edição anterior; e vemos também como está a situação de seus familiares diante da suposta perda de seus filhos.

O que mais chama atenção nesse volume é o clima de série Malhação que Shinohara cria entre os personagens, seja com suas paixonites, triângulo amoroso e o poder da amizade. Além disso, temos a revelação de um personagem que é andrógeno. Com pitadas de situações sexuais para criar aquele típico um humor japonês.

Quanto ao traço de Kenta Shinohara, o mesmo continua com uma arte excepcional e este terceiro volume não apresenta queda na qualidade da obra.

 VEREDITO

Por fim, Astra Lost In Space – Vol. 3 segue com uma trama batida e repleta de clichês o que certamente pode acabar não agradando quem já tenha uma enorme bagagem de mangás shōnen.

Por outro lado, mesmo que com uma narrativa que continua apresentando mais perguntas que resposta, Shinohara segue com bom desenvolvimento de personagens.

Nossa nota

3,0 / 5,0

Autor: Kenta Shinohara

Editora: Devir

Páginas: 232



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.