Início QUADRINHOS Crítica CRÍTICA – Incorruptível: Justiça a Qualquer Preço (2019, Devir)

CRÍTICA – Incorruptível: Justiça a Qualquer Preço (2019, Devir)

130
0
CRÍTICA – Incorruptível: Justiça a Qualquer Preço (2019, Devir)

O renomado autor Mark Waid criou um universo onde tudo o que estamos acostumados a ver torna-se algo desconstruído a partir da sua visão subversiva dos termos relacionados ao heroísmo. O premiado autor de O Reino do Amanhã realizou o trabalho de apresentar uma linhagem familiar ao leitor para explicar a sua premissa sobre a moral e ética em cada um de nós. Também apresenta uma trama chamativa e já nos prepara para uma sequência que não parece ser tão simples de solucionar. É recomendado ao leitor que, antes de iniciar Incorruptível, já ter lido Imperdoável antes, pois ambos fazem parte do mesmo universo, ou seja, uma história complementa a outra para a sua evolução. Sendo assim, faremos uma breve introdução à obra anterior de Waid.

Normalmente os super-heróis são seres que representam aquilo que há de mais nobre em nós. Mas será possível existir alguém tão perfeito assim? Na trama de Imperdoável: O Poder do Medo, quando o Plutoniano, o maior super-herói da Terra, enlouquece e se torna o pior vilão do planeta, apenas os seus ex-aliados de combate ao crime tem uma chance de deter a sua onda de violência.

Lembrando que Mark Waid ganhou o prêmio Eisner de Melhor Roteirista em 2012 por esse trabalho, sua visão dá ao leitor o senso de urgência própria do foco da história e uma atmosfera de desconfiança, pois desconstrói o estereótipo de super-heróis que formam um grupo coeso, de grandes amizades e que se unem apenas para o bem da humanidade. Sem falar que uma porcentagem da sua história é inspirada em Miracleman, de Alan Moore.

A arte de Peter Krause é formidável, com uma boa colorização e um padrão de desenhos que segue o que há de mais moderno nos quadrinhos americanos. Ele cria cenas ótimas com uma narrativa gráfica que consegue prender o leitor com o objetivo bastante satisfatório ao decorrer da obra.

Em Incorruptível, somos introduzidos por Max Destrutor, o vilão mais famoso do mundo. Célebre por crimes que vão de homicídio à terrorismo, ele jamais teve seu desejo por caos superado por ninguém. Porém, isso foi antes do Plutoniano (acontecimento em Imperdoável), o maior herói do planeta, dar as costas à humanidade e matar milhões. Agora, enquanto tudo está desmoronando, Max abraça a missão de aplicar a lei em sua plenitude. Quando há tantos que precisam da sua ajuda, conseguirá o novo justiceiro proteger os poucos que dependem dele, ou ele será forçado a descobrir o alto preço da justiça?

Aparentemente a origem específica de Max não é apresentada, deixando isso a cargo para uma possível sequência, e a sua motivação ainda não apresenta o significado explícito do porquê ele decidiu mudar a sua ética, mas ao mesmo tempo, ele persiste nos mesmos atos do seu passado, pois a questão filosófica colocada como as barbáries são justificadas por um bem maior.

Durante a leitura da obra, podemos notar facilmente homenagens à editora DC Comics recheado de inspirações. Porém, ao final desse primeiro volume da Devir, quem está acompanhando a trama percebe que aquele universo funciona por si, tendo toda a sua dinâmica. Todo personagem tem suas características e sua personalidade própria. Os coadjuvantes são bem conduzidos durante toda a narrativa com boas escolhas na forma de criar o sarcasmo e humor na trama.  

Nesta edição, a arte fica responsável por Jean Diaz,  que não compromete ou atrapalha, evocando o traço bem habitual do gênero, incluindo erros anatômicos ou de perspectivas e proporções. Em poucos momentos de virada, ele brilha. A arte da capa fica a critério de Horacio Dominguez que utiliza os tons mais escuros e quentes de forma notável.

Título: Incorruptível: Justiça a Qualquer Preço
Autores: Mark Waid, Jean Diaz e Horacio Dominguez
Editora: Devir
Ano de Publicação: 2019
Páginas: 232

Nossa nota


Com um bom gancho, que mantém o interesse para os próximos volumes, Incorruptível é um experimento moral e intelectual interessante. Contando com um roteiro inspirado e que faz o leitor acompanhar atentamente uma história com questionamentos e dúvidas sobre as ações do seu protagonista e com a esperança de uma redenção na sua trajetória.

E você, já leu a mais nova HQ da Devir? Se ainda não, corra e garanta seu exemplar de Incorruptível: Justiça a Qualquer Preço e se já leu, deixe seus comentários e sua avaliação.

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Comentários