Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – American Gods (3ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

CRÍTICA – American Gods (3ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

American Gods

American Gods da Amazon Prime Video, é uma adaptação do livro de Neil Gaiman e apesar de não ser adorada por todos os fãs do material base, a influência de Gaiman na terceira temporada pode ser sentida desde seus primeiros momentos.

Nós do Feededigno, tivemos a oportunidade de assistir os quatro primeiros episódios da temporada, e trazemos abaixo, nossa opinião.

O cuidado de Neil Gaiman na adaptação do seu adorado e aclamado livro, fazem da terceira temporada de American Gods uma das mais fiéis em relação ao material base. A terceira temporada tem início alguns meses após o fim da segunda, com Shadow (Ricky Whittle) estabelecido como Mike enquanto tenta fugir da guerra dos deuses, após descobrir elementos importantes de seu passado.

Após a guerra dos antigos e novos deuses enfim o alcançar, Shadow se vê obrigado a fugir novamente, alguns eventos o colocam em trajeto de colisão com o terceiro ato do livro, o período em que Shadow se abriga na pacata cidade gélida de Lakeside.

Alguns dos arcos mais interessantes da história de Shadow Moon se desenrolam na cidade – pelo menos no material fonte -, estabelecendo de fato o personagem como o homem correto que ele é, que não quer tomar parte em uma guerra muito mais antiga que ele.

American Gods

Algumas das surpresas dessa temporada, vem da aparição de deuses que possuem um importante papel no desenrolar da guerra, e Wednesday (Ian McShane) faz questão de ir até eles enquanto necessita de todo apoio possível para derrotar os novos deuses, que parecem ter controle absoluto do mundo atual.

O papel de Shadow na trama continua mantendo o personagem no limiar da realidade, em que vemos pessoas negras marginalizadas, e isso se reflete no personagem.

Ricky Whittle mostra a razão de ter sido escolhido o protagonista da série, após ter sido demitido em um claro caso de racismo durante a produção da série The 100, mostra o quão longe é capaz de ir, entregando uma das atuações mais interessantes que você vai ver em uma série de TV em 2021.

Bilquis (Yetide Badaki) retorna e assim como no livro, tem um interessante arco de reconhecimento e crescimento. Nos entregando um dos mais imponentes arcos de reconhecimento histórico e cultural de uma série de TV.

A terceira temporada de American Gods nos deixa de boca aberta desde seu primeiro momento, nos maravilhando com elementos que claramente Gaiman tinha intenção de contar nos livros, mas ficaram de fora.

O retorno de personagens odiosos, mas adorados pelo público, tornam a trama da terceira temporada ainda mais leve e rica.

American Gods

A mudança de showrunner na série – a saída de Jesse Alexander e a chegada de Charles H. Eglee – nos faz ver a diferença que uma mente mais aberta à visão do autor da trama; Neil Gaiman que atua como um dos produtores executivos faz da terceira temporada da série uma das mais cativantes e mais bem adaptadas em relação ao material fonte na minha opinião.

A terceira temporada de American Gods estreia no dia 10 de janeiro de 2021 na Amazon Prime Video.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Confira o trailer:

LEIA TAMBÉM:

American Gods: Uma análise sobre a demissão de Orlando Jones, o Mr. Nancy

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.