CRÍTICA – Chucky (2ª temporada, 2022, Star+)

    Chucky chegou à sua segunda temporada com Don Mancini no comando novamente. A série está disponível de forma completa no Star+.

    SINOPSE DE CHUCKY

    Depois de ser sequestrado pelo exército de Chuckies, Andy (Alex Vincent) tenta escapara das garras do brinquedo assassino. Enquanto isso, Jake (Zackary Arthur), Devon (Björgvin Arnarson) e Lexy (Alyvia Alyn Lind) tentam superar seus traumas, mas algo inesperado acontece e agora eles estão presos em um internato.

    ANÁLISE

    Chucky chegou de mansinho em 2021 surpreendendo a todos com uma série que misturava elementos do cinema trash com todo o background construído por anos em diversos longas desde 1988.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Chucky (1ª temporada, 2021, Star+)

    Entretanto, se em seu primeiro ano, a produção foi consistente, abraçando o ridículo, mas de forma bem feita, criando uma atmosfera galhofa com qualidade, em seu segundo ato, parece que tudo foi por água abaixo.

    Na segunda temporada, Chucky tentou reinventar a roda e isso foi o motivo do colapso da série. Com um roteiro sem pé nem cabeça que focava demais no nonsense, destruindo todo o histórico do que foi feito nos filmes, a produção foi afundando de vez, deixando ainda mais claros os problemas.

    As atuações que outrora não incomodavam tanto por conta de um texto amarrado agora se sobressaem e atrapalham. Fora Alyvia Alyn Lind e Björgvin Arnarson que melhoraram bastante em relação a si mesmos, os demais continuam na mesma, o que gera um certo problema.

    Além disso, vários arcos estão completamente soltos e mesmo que existam boas participações especiais de personagens importantes da franquia muito bem representados aqui, de nada eles adicionam algo marcante.

    Um dos grandes desperdícios da segunda temporada sem dúvidas é o de Jennifer Tilly e Fiona Dourif, a segunda disparada a melhor atriz do elenco. Com uma trama completamente deslocada, elas não conseguem segurar suas histórias, o que nos faz perder o interesse.

    Contudo, há sim alguns acertos significantes. O primeiro deles é o excelente trabalho de Brad Dourif que dá voz ao Brinquedo Assassino. O dublador é o Chucky, com uma presença imponente. O texto do antagonista continua excelente, com piadas bem construídas e mudanças repentinas e completamente incríveis do vilão em suas características. Aqui temos todos os tipos de Chucky, desde o bombado até o Chucky calvo, o que traz cenas divertidas e completamente bizarras, oq eu condiz muito com o personagem. O gore é outro ponto alto, que aqui é muito bem trabalhado na estética trash.

    Outro ponto interessante é o peso da religião aqui. A constante discussão sobre o conservadorismo e o fanatismo é bem interessante, mostrando o quão prejudicial na vida de uma pessoa esses dois pilares podem ser. O fato de Mancini ser gay é bem relevante para a construção das analogias textuais, principalmente no que se refere à homofobia e a como combatemos vícios. O protagonista disso é Devon Sawa, que volta como um padre fanático que é a cereja do bolo desse arco e manda muito bem.

    VEREDITO

    Com uma falta de noção completa e acertos esporádicos, Chucky tenta criar algo novo, todavia, se perde demais nas invencionices que outrora não deram certo ao longo da franquia. Se tivesse jogado no simples e mantivesse a atmosfera tosca, homenageando tudo que foi feito e escalando o que funcionou, a série do Star Plus poderia ser melhor, mas ao que tudo indica, deve ser cancelada, pois seu final deixou portas abertas para isso.

    Nossa nota

    2,0/5,0

    Confira o trailer:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Séries e filmes coreanos para assistir na Netflix nos próximos meses

    A Netflix terá lançamentos para todos os gostos nos próximos meses: a maior e melhor variedade de conteúdo coreano disponível!

    CRÍTICA: ‘Lovely Runner’ é sobre o amor entre as linhas do tempo 

    Lovely Runner é a mais nova série de drama coreano lançada pelo serviço Viki Rakuten. A série é executada por Boo Sung Chul.

    As melhores séries de médicos que você precisa assistir

    Desde que a TV se tornou popular, as séries de médicos sempre foram classificadas entre os tipos de programas favoritos dos espectadores.

    The Acolyte: Conheça Tràkata, o estilo de luta usado por Qimir, o Estranho

    Tràkata é um estilo de luta muito particular. Chamado por muitos de injusto e indignos, foi o estilo de luta utilizar por Qimir, o Estranho.