Início SÉRIE Crítica CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

Veiculado esta semana na HBO, o quarto episódio de His Dark Materials, intitulado Tower of the Angels, é provavelmente um dos melhores do seriado desde sua criação. O capítulo marca a introdução de Andrew Scott na série, um momento muito aguardado pelos fãs.

SINOPSE

Will (Amir Wilson) e Lyra (Dafne Keen) fazem um plano, sem saber dos perigos ou dos custos envolvidos.

LEIA TAMBÉM:

His Dark Materials: S2E3 – Theft

His Dark Materials: S2E2 – The Cave

His Dark Materials: S2E1 – The City of Magpies

ANÁLISE

Tower of the Angels já começa com uma introdução à altura de sua complexidade. Contando a história da Guilda e da Torre degli Angeli, citadas no episódio anterior, a narração apresenta toda a complexidade em torno do surgimento da Faca Sutil (The Subtle Knife).

A ótima introdução é uma forma de situar os espectadores que não tiveram contato com a obra original de Philip Pullman e funciona muito bem. Contando como a ganância dos membros da Guilda corrompeu o real sentido da criação, a apresentação consegue passar toda a complexidade da missão que Will e Lyra estão prestes a embarcar.

Em Theft descobrimos que Boreal (Ariyon Bakare) aceita devolver o aletiômetro para Lyra se a dupla trouxer para ele algo que está na torre. E sim, o item que Boreal se refere é a Faca Sutil. Portanto, Lyra e Will começam uma caçada na cidade de Cittàgazze para descobrir como entrar na Torre degli Angeli.

Com a ajuda de Pan, a dupla encontra a entrada da torre. Ao adentrarem o local, Lyra e Will passam por uma grande biblioteca e percebem uma pequena portinha que leva a uma grande escadaria. Entretanto, ao chegarem ao topo, os dois percebem que há um homem amarrado e amordaçado num canto do cômodo.

Ao ajudarem o Giacomo Paradisi (Terence Stamp), a dupla descobre que um menino está na torre e que roubou a Faca Sutil. Em poucos minutos o menino aparece, e uma grande luta entre ele e Will começa. Lyra e Pan tentam ajudar, mas ela não é forte o suficiente, o que acaba deixando Will na linha de frente da briga.

CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

Em meio à troca de golpes, a faca atinge os dedos de Will, desaparecendo com parte de seus dedos. O Giacomo incentiva Will a seguir lutando, que vence a batalha ao fazer o menino fugir. Ao ver o sangue, Will desmaia, sendo acordado por Pan algum tempo depois.

O homem então explica para Will e Lyra o que é a Faca Sutil: ela é uma ferramenta que pode abrir janelas entre mundos — as mesmas que eles têm utilizado para viajar. Existe um portador destinado a cuidar desse item e ele tem como uma de suas responsabilidades proteger a faca a qualquer custo.

O Giacomo complementa que, quando foi escolhido pela Faca Sutil, também perdeu os mesmos dedos que Will havia perdido na batalha. Portanto, a Faca escolheu Will como novo portador e a partir de agora ele deve não só proteger o item, como também não usar para proveito próprio.

Essa reviravolta coloca Lyra e Will em um grande problema, pois eles entregariam o item para Boreal em troca do aletiômetro. Com a nova informação — e sabendo tudo que a faca é capaz de fazer — os dois montam um novo plano: roubar o aletiômetro.

Toda a missão dos protagonistas é interessante e possui uma pitada de ação certeira, fazendo o espectador passar nervoso enquanto as crianças lutam por sua sobrevivência. Não há um dia feliz no destino desses dois e, pelo jeito, não há nenhuma previsão de que sua sorte possa mudar.

Lee Scoresby e Grumman

CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

Após o encontro de Sra. Coulter (Ruth Wilson) e Lee (Lin-Manuel Miranda) na prisão, o aeronauta sai em busca de Grumman (Andrew Scott) em um rio próximo ao observatório que ele havia visitado no episódio anterior.

No meio da mata, Lee encontra o daemon de Grumman — curiosamente dublado por Phoebe Waller-Bridge, que é para o fanservice ficar completo — que o guia até a casa onde o xamã vive. Lá, Lee descobre que não era ele que estava buscando por Grumman (ou Jopari), mas sim o contrário. Jopari estava com um anel que pertenceu à mãe de Lee (item que Lee não via há 20 anos) e o utilizava para invocar o aeronauta até sua localização.

O episódio não tenta explicar como Jopari conseguiu o anel, mas a dupla segue o diálogo chegando ao tema da Faca Sutil. O xamã explica para Lee o que a faca faz, e que ela e seu portador necessitam ser entregues a Lord Asriel (James McAvoy). A ironia é que o portador da faca agora é o filho de Jopari, o mesmo que ele abandonou por causa de seu trabalho.

Lee não concorda com o posicionamento de Jopari, pois ele não gosta de Asriel e se importa apenas com a segurança de Lyra. Ele expõe o fato de Asriel ter abandonado Lyra, o que desencadeia em um grande desabafo do xamã sobre os vários anos em que buscou conhecimento para tentar retornar para a sua família em Oxford (sem sucesso).

Após a longa conversa, a dupla chega a um acordo sobre a proteção de Lyra e vão juntos encontrá-la (e Will, mas isso Jopari não parece saber ainda).

As Feiticeiras e Sra. Coulter entram em ação

CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

Depois de ter sua família dizimada pelo Magisterium, finalmente as feiticeiras resolvem entrar em ação. Em um acordo para salvar Lyra e a profecia, as feiticeiras atacam os dirigíveis do Magisterium e atravessam a fenda de luz aberta por Asriel. Assim como Jopari e Lee, elas também estão a caminho de Cittàgazze.

Por outro lado, Sra. Coulter se encontra com Boreal. O homem explica o que aconteceu com Lyra e como manteve a menina presa à promessa de retornar para Oxford com a Faca Sutil. Boreal deixa claro para Coulter que ele possui algo que Lyra quer e que ela fará de tudo para recuperar.

Ao convencer Coulter a atravessar com ele pela janela aberta em Oxford, a mãe de Lyra finalmente descobre um mundo novo. Enquanto passam por Cittàgazze — sem saber que Lyra está lá naquele momento —, Coulter visualiza um espectro voando pela cidade…

Mary e a descoberta angelical

CRÍTICA | His Dark Materials: S2E4 – Tower of the Angels

Muita coisa aconteceu ao longo desse episódio. Além de Boreal já ter amarrado Lyra e Will em seus planos, ele também faz uma rápida visita a Mary Malone (Simone Kirby) e seu projeto sobre a matéria escura (ou pó). Uma proposta indecente sobre financiar o projeto para uso militar faz com que Mary desconfie de Boreal e o convide gentilmente para dar o fora de sua sala.

Porém, nem tudo é desgraça em His Dark Materials. Motivada pelo desaparecimento de Lyra, Mary resolve fazer mais uma tentativa de se comunicar com a matéria escura. E, dessa vez, ela consegue!

A ironia está no fato de que Mary desistiu de ser freira por não acreditar na instituição e acabar nas mãos de… anjos. Após conseguir dialogar com o pó, ela descobre que, na verdade, se tratam de anjos manipulando a vida dos seres humanos por vingança. Típico, né?

VEREDITO

Prometendo muita emoção e ação no próximo episódio, Tower of the Angels consegue inserir muito bem toda a mitologia da Faca Sutil e da Guilda, sem deixar os outros arcos pendentes de explicação.

Devido ao excesso de acontecimentos, muita coisa poderia ser melhor desenvolvida, principalmente o arco que introduziu Jopari na história. Mesmo assim, Tower of the Angels funciona e entrega um ótimo resultado final.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.