Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Missa da Meia-Noite (Minissérie, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Missa da Meia-Noite (Minissérie, 2021, Netflix)

Missa da Meia-Noite é uma minissérie original da Netflix do diretor Mike Flanagan (Doutor Sono) que já foi responsável pelas séries a Maldição da Mansão Hill e a Maldição da Mansão Bly.

SINOPSE

O jovem padre Paul (Hamish Linklater) vai para uma ilha pacata, pois está substituindo o padre anterior que não voltou para lá, e começa a fazer diversos milagres. Entretanto, será que as suas intenções com essa humilde comunidade são as melhores?

ANÁLISE

Missa da Meia-Noite é o tipo de série que traz diversas reflexões sobre alguns pilares coléricos da nossa sociedade: o fanatismo e o vício. 

As alegorias que são apresentadas por Flanagan são bem inventivas, pois por meio da fantasia e de personagens inspirados, vemos o pior das pessoas. As atuações são competentes, principalmente de Samantha Sloyan, uma vez que a sua entrega é poderosa em uma antagonista que é uma religiosa fervorosa, preconceituosa e que demonstra uma personalidade passivo-agressiva. Hamish Linklater entrega um carisma interessante, mas, ao mesmo tempo, consegue ser ameaçador quando necessário.

A estrutura textual da série é inspirada, pois mostra como o fanatismo destrói por completo uma comunidade. Líderes carismáticos e mitológicos podem com sua voz levar à ruína os seus seguidores e Missa da Meia-Noite apresenta isso de forma bastante eficaz, com uma fotografia lavada e amarelada que lembra de forma filosófica o período da inquisição, além de mostrar o eterno embate da fé x religião de maneira bastante filosófica, mesmo que em diversos momentos a trama arrastada nos afaste um pouco do que a série está nos mostrando.

VEREDITO

Com uma história pesada, mas muito rica em detalhes e filosofia, Missa da Meia-Noite possui bastante qualidade. Se tivesse uns minutos e personagens a menos em seus episódios, com certeza a série ganharia ainda mais seguidores, mas, mesmo assim, há muito de coisa boa para se assistir aqui.

Nossa nota

4,0/5,0

Confira o trailer de Missa da Meia-Noite:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – O Hóspede Americano (Minissérie, 2021, HBO Max)
Próximo artigoCRÍTICA – Um Ninho Para Dois (2021, Theodore Melfi)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.