CRÍTICA – Policial ou Bandido: O Enigma de Eirik Jensen (1ª temporada, 2022, Netflix)

    Policial ou Bandido: O Enigma de Eirik Jensen (Mr. Good: Cop or Crook?, em inglês) é uma docussérie de true crime original da Netflix com 4 episódios.

    Dirigida por Trond Kvig Andreassen e Ragne Riise, a produção documental foi lançada em 3 de junho de 2022 e retrata um dos crimes mais complexos e chocantes da história da Noruega.

    Leia nossa análise sem spoilers.

    SINOPSE

    Um renomado policial norueguês suspeito de traficar drogas deixa os investigadores na maior dúvida: será que ele é um bom policial ou um grande criminoso?

    ANÁLISE DE POLICIAL OU BANDIDO: O ENIGMA DE EIRIK JENSEN

    As histórias de Eirik Jensen e de seu julgamento são situações daquelas que você não acredita no que está vendo. Entre tantos pontos que chamam atenção nesse famoso caso da Noruega, talvez o mais incrível seja perceber que essa história aqui no Brasil estaria longe de ser chocante.

    É importante se distanciar um pouco do contexto sociocultural brasileiro para melhor compreender o impacto dessa história na sociedade norueguesa. A narrativa desse curto seriado documental ajuda a fazer isso.

    A docussérie Policial ou Bandido: O Enigma de Eirik Jensen é muito efetiva em sua narrativa. Isso se deve principalmente ao fato de ser praticamente todo baseada em entrevistas com fontes relevantes relacionadas a todos os lados da história.

    Os dois primeiros episódios são bastante dedicados a explicar os detalhes da atuação da polícia norueguesa com informantes, além de mostrar como as pessoas percebiam a personalidade e a conduta de Eirik Jensen. De modo resumido, informantes são criminosos que aceitam essa posição “secreta” para auxiliarem as autoridades a pegarem outros bandidos e, assim, reduzirem suas penas.

    Existem regras que os policiais devem seguir para que a atuação com informantes sejam feitas com ordem e transparência. No entanto, o perfil de Eirik Jensen nunca foi de seguir regras. E as fontes entrevistadas sempre deixam isso bem evidente.

    É realmente complexo e, de certa forma, fascinante essa história. A docussérie também me fascinou por parecer muito desafiador construir a narrativa de modo coeso, sem julgamentos por parte da equipe de documentaristas e com uma montagem que não se perca na linha do tempo. E Policial ou Bandido: O Enigma de Eirik Jensen obteve êxito em todos esses pontos.

    Aliás, linha do tempo é uma palavra-chave para a narrativa, o que torna o resultado ainda mais notável.

    Embora a produção seja amplamente construída a partir de entrevistas com dezenas de fontes, o uso de imagens genéricas é um tanto excessivo. No último episódio isso é um pouco incômodo, mas nada que prejudique o desenrolar dos fatos.

    Você pode olhar para a quantidade de episódios e a duração de cada um (55 minutos em média) e pensar que se trata de uma minissérie. Até poderia ser, mas como é um caso totalmente fora da curva, não é de se duvidar que novos acontecimentos resultem em mais temporadas de Policial ou Bandido: O Enigma de Eirik Jensen.

    Isso fica bem evidente na virada do terceiro episódio para o quarto.

    Um ponto negativo do último capítulo é a falta de registros do que ocorreu nos julgamentos apresentados. Após vermos as audiências do primeiro julgamento em detalhes, acaba sendo estranho os demais terem pouco aproveitamento.

    Outro aspecto que merece atenção, mas da Netflix apenas, diz respeito às legendas.

    Essa é mais uma produção documental em idioma estrangeiro que não identifica a maioria das fontes. Os nomes e cargos aparecem em norueguês, mas a legenda não traduz as informações.

    Já havia apontado isso no documentário coreano Cyber Hell: Exposing an Internet Horror (2022), e agora mais um caso igual. Isso prejudica muito a experiência, especialmente por não ter como saber facilmente a relevância das fontes ouvidas.

    VEREDITO

    Policial ou Bandido: O Enigma de Eirik Jensen é uma série essencial para amantes de true crime e profissionais da área do Direito. Também é uma ótima opção de entretenimento que compensa o tempo investido, pois essa história que ainda choca a Noruega é surreal demais e merece ser assistida.

    Além, claro, dos méritos da produção, que construiu muito bem a narrativa ouvindo fontes muito importantes e montou tudo com muita eficiência.

    Nossa nota

    4,8 / 5,0

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTube. Clique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    NOITES SOMBRIAS #73 | Ranking de Monstros de Stranger Things

    Stranger Things trouxe muitos monstros icônicos que fazem parte do seu Mundo Invertido. Confira nossa lista do pior ao melhor deles.

    Stranger Things enlouquece fãs ao som de Metallica

    A 4ª temporada - Parte 2 de Stranger Things já está disponível no catálogo da Netflix e com ela o sucesso do Metallica: Master of Puppets!

    Dragon Ball: Os 10 melhores episódios para assistir no Globoplay

    Após mais de 10 anos sem a TV Globinho, Dragon Ball chegou ao Globoplay. Confira a lista com os 10 melhores episódios.

    Veja o Clube Hellfire jogando D&D de verdade

    Eddie reina como o Mestre do Clube Hellfire em Stranger Things; mas o ator Joe Quinn, nunca havia jogado RPG antes... bom, até agora!