CRÍTICA – Recruta (1ª temporada, 2022, Netflix)

    A série Recruta conta a história do jovem Owen Hendricks (Noah Centineo), um advogado que, após se juntar a CIA, se vê envolto em uma trama que vai além da já “tradicional” espionagem em estilo Guerra Fria.

    Após o sucesso de Wandinha, que estrelou por muitas semanas o Top 1 da Netflix, Recruta desbancou a série dos Addams. A série nos lança por diversas tramas que por muitas vezes tentam romantizar a relação que a CIA tem com muitos governos pelo mundo, tratando-os os por vezes como descartáveis quando os colocamos sobre uma ótica imperialista.

    SINOPSE

    Recém-contratado pela CIA, um advogado se envolve em um mundo de espionagem internacional quando uma ex-colaboradora ameaça expor os segredos da agência.

    ANÁLISE

    Recruta

    A série nos lança por tramas que o cinema de espionagem já utilizou à exaustão, bem como outras mídias. Recruta permeia toda sua trama por jargões enquanto “brinca” com derrubar governos da América Latina, ou países do Leste Europeu – o que historicamente falando, aconteceu diversas vezes no passado.

    O primeiro trabalho de Noah Centineo que tive a oportunidade de assistir, foi Adão Negro, no qual o ator acabou por falhar ao atuar como alívio cômico. O roteiro colocou um personagem tão poderoso quanto o Esmaga-Átomo como uma piada e o ator pareceu preferir chafurdar neste detalhe, limitando sua profundidade e sua história a quase nada.

    PUBLICAÇÕES RELACIONADAS:

    CRÍTICA – Adão Negro (2022, Jaume Collet-Serra)

    Conheça Albert Julian Rothstein, o Esmaga-Átomo

    Algo muito semelhante foi feito na série da Netflix. Mas não no sentido ligado ao alívio cômico da trama, mas sim na falta de profundidade do ator.

    Hendricks é algo próximo do 007 de Daniel Craig, pelo menos no primeiro filme do personagem em Casino Royale. Uma espécie de personagem irresistível às mulheres e inexperiência elevada à enésima potência.

    Enquanto o elenco de apoio da série – Laura Haddock, Aarti Mann e Colton Dunn – tente dar uma maior profundidade à trama, a série se mostra infeliz tanto na escolha do elenco, como no roteiro raso e infeliz em suas escolhas narrativas.

    VEREDITO

    Para além de um romantismo exagerado, Recruta não funciona nem mesmo como uma “comédia dramática” – categoria essa que a Netflix parece colocar a série com orgulho. A série parece optar por queimar todas as pontes que considera “nociva” – de acordo com a visão imperialista dos Estados Unidos -, e talvez nos permita até “criar um bingo”, citando Cuba, Bielorrúsia, Rússia, México e muitos outros países.

    O cuidado da trama é quase zero, e a série não parece se importar em regurgitar os mais diversos clichês de espionagem atuais e mais antigos que a roda. Elementos que datam desde a Guerra Fria, como se houvesse um perigo iminente, que tentasse causar o fim dos Estados Unidos a qualquer momento.

    A primeira temporada da série está disponível na Netflix.

    Nossa nota

    1,5 / 5,0

    Confira o trailer da série:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Séries e filmes coreanos para assistir na Netflix nos próximos meses

    A Netflix terá lançamentos para todos os gostos nos próximos meses: a maior e melhor variedade de conteúdo coreano disponível!

    CRÍTICA: ‘Lovely Runner’ é sobre o amor entre as linhas do tempo 

    Lovely Runner é a mais nova série de drama coreano lançada pelo serviço Viki Rakuten. A série é executada por Boo Sung Chul.

    As melhores séries de médicos que você precisa assistir

    Desde que a TV se tornou popular, as séries de médicos sempre foram classificadas entre os tipos de programas favoritos dos espectadores.

    The Acolyte: Conheça Tràkata, o estilo de luta usado por Qimir, o Estranho

    Tràkata é um estilo de luta muito particular. Chamado por muitos de injusto e indignos, foi o estilo de luta utilizar por Qimir, o Estranho.