Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Top Secret: OVNIs (1ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Top Secret: OVNIs (1ª temporada, 2021, Netflix)

Top Secret: OVNIs é uma série documental da Netflix que aborda fenômenos ufológicos ocorridos a partir da Segunda Guerra Mundial

Lançada em 03 de agosto de 2021, Top Secret: OVNIs é uma série documental original Netflix que aborda um campo de estudo muito intrigante: a ufologia.

Roteirizado por Jan Stehlik e Petr Vachler, nesta primeira temporada o seriado inicia sua narrativa tratando sobre avistamentos ocorridos nas proximidades do fim da Segunda Guerra Mundial, até chegar em casos e repercussões nos dias atuais.

Top Secret: OVNIs foca principalmente em histórias ocorridas nos Estados Unidos, mas aborda também o fenômeno UFO na antiga União Soviética, na Rússia, na China e, brevemente, no Brasil.

SINOPSE

Há muitos anos, as histórias de contatos extraterrestres são desmentidas. Porém, muitos acreditam que a existência de OVNIs não só é provável, como também real.

ANÁLISE DE TOP SECRET: OVNIS

O que entusiastas da ufologia e pessoas que não creem em fenômenos extraterrestres mais querem é provas. Bem, Top Secret: OVNIs não apresenta nada de surpreendente.

A série documental da Netflix criada por Petr Vachler, que também é um dos roteiristas, é pautada principalmente pela narração (voiceover) sobre reconstituições digitais e entrevistas com dezenas de pessoas.

É óbvio que não se consegue novas provas visuais com frequência sobre um assunto tão polêmico e que até hoje divide opiniões. No entanto, a produção se baseia justamente em investigações independentes e documentos oficiais (vazados ou não) sobre fenômenos ufológicos.

O aspecto técnico de uma produção científica deixa a desejar. As reconstituições digitais poderiam ter qualidade muito superior, especialmente se tratando de uma produção original da Netflix. O principal aspecto que prejudica o resultado visual é o excesso do uso de blur na digitalização.

A produção digital desfocada dá a entender que a produção quer falar sobre os casos, mas ao mesmo tempo não quer.

Top Secret: OVNIs é uma série documental da Netflix que aborda fenômenos ufológicos ocorridos a partir da Segunda Guerra Mundial

As fontes também são um grave problema no documentário. Embora exista méritos na narrativa, muitas fontes pouco acrescentam ao que é fato e ao que é hipótese defendida pelos profissionais.

Há uma mulher especificamente que tem uma única fala como entrevistada e está ali apenas para trazer uma leitura sensacionalista sobre a atuação governamental. Em situações como essa, Top Secret: OVNIs acaba sendo um desserviço para a ufologia.

Há fontes interessantes e que realmente contribuem para a narrativa. No entanto, muito do que é falado não há qualquer prova, mesmo que documental, para embasar o que está sendo dito.

Pior do que isso. Há pessoas que afirmam terem avistado Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs), e duas que alegam terem sido abduzidas, que não relatam o que o público realmente teria interesse em saber.

Um deles diz ter implantes extraterrestres no corpo e ter feito dezenas de radiografias, mas tendo acesso ao resultado de apenas seis. O acesso foi apenas no momento do exame ou esteve de posse do resultado? Se esteve de posse, por que não o levou à entrevista?

São perguntas básicas que não seriam difíceis de serem respondidas ou de apresentarem algum tipo de comprovação, mas que infelizmente ficam de fora do documentário.

Top Secret: OVNIs joga luz ao interesse de empresas na ufologia

Acredito que Top Secret: OVNIs tenha dois méritos importantes: mostrar como importantes eventos ufológicos estão ligados a momentos cruciais da história, como a Segunda Guerra Mundial e a expansão de atividades nucleares; e uma análise que desperta curiosidade na audiência sobre por que parece haver uma transição das atividades de pesquisa, migrando do governo dos Estados Unidos para empresas privadas.

De fato, é só vermos o que vem acontecendo nos últimos meses. Os bilionários Jeff Bezos e Richard Branson viajaram ao espaço. Branson, inclusive, promete levar civis para conhecer o universo.

O seriado documental da Netflix também aborda as atividades da To The Stars Academy of Arts & Science, empresa fundada pelo líder da banda Angels and Airwaves e ex-vocalista do Blink-182, Tom DeLonge. A To The Stars iniciou os trabalhos com grande influência junto a políticos do Partido Democrata, fato que veio à tona em 2016 com o vazamento de e-mails de John Podesta, então coordenador da campanha de Hillary Clinton à presidência dos Estados Unidos.

Entretanto, o envolvimento de Tom DeLonge com a ufologia se limita a fala dos entrevistados e um momento em vídeo durante uma conferência. Sendo um documentário de um streaming tão prestigiado como a Netflix, é difícil de compreender por que Tom ou qualquer representante da To The Stars Academy of Arts & Science não participou da produção.

Essa ausência infelizmente também contribui para o resultado final negativo, especialmente porque há fontes que enaltecem o trabalho de DeLonge.

Narrativa confusa e superficial

Apesar dos dois méritos mencionados, Top Secret: OVNIs possui uma montagem confusa e uma narrativa superficial. A série documental aborda dezenas de casos da década de 1950 até os dias atuais, mas de modo muito rápido e, quase sempre, com pouco ou nenhuma evidência, mesmo que documental.

Um fato que comprova isso é a menção às falas de estudiosos como Bob Lazar. Lazar possui até mesmo documentário a respeito do seu trabalho, mas suas citações são mencionadas pelo locutor, ao invés de serem exibidas comprovações de que, de fato, ele falou o que está sendo indicado que é de autoria dele.

Outro ponto mal explorado por Top Secret: OVNIs é como o governo dos Estados Unidos historicamente atuou para que a ufologia fosse desacreditada e motivo de chacota. Fora as falas dos entrevistados e a locução, há um único vídeo que comprova que a mídia foi usada para fazer piada do assunto e promover uma ruptura entre cientistas e ufólogos.

É curioso que situações como essas ocorram, pois a Netflix possui boas séries documentais que mesclam bem entrevistas, repercussões midiáticas e documentos. Um bom exemplo é a série Os Filhos de Sam: Loucura e Conspiração.

Voltando para Top Secret: OVNIs, o quinto episódio, Segredos Soviéticos, dá a entender que aborda apenas avistamentos de OVNIs e outros eventos ufológicos relacionados à extinta União Soviética, certo?

Errado.

Em determinado momento do capítulo o Brasil entra em cena. São superficialmente abordados dois casos no país, um deles o do famoso ET de Varginha, além da conhecida Operação Prato. E aqui, novamente, há muitas falas sobre a vasta documentação que comprovam atividades extraterrestres em nosso país, mas nada relevante é apresentado.

VEREDITO

Com uma montagem confusa e narrativa superficial, Top Secret: OVNIs possui poucos méritos e muitos problemas. O resultado final agrega pouco ao debate sério sobre ufologia, muitas vezes caindo em clichês de teorias da conspiração que acabam sendo um desserviço ao tema.

Nossa nota

1,5 / 5,0

Assista ao trailer de Top Secret: OVNIs

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – O Último Mercenário (2021, David Charhon)
Próximo artigoCRÍTICA – Como Vender Drogas Online (Rápido) (3ª temporada, 2021, Netflix)
Jornalista pós-graduado em Jornalismo Digital, fã de Mr. Robot, Pokémon e com uma menção honrosa a 24 Horas, o seriado que me fez entrar no mundo de séries e filmes.