Início ANIMES PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Círculo de Fogo: The Black (1ª temporada, 2021, Netflix)

PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Círculo de Fogo: The Black (1ª temporada, 2021, Netflix)

PRIMEIRAS IMPRESSÕES - Círculo de Fogo: The Black (1ª temporada, 2021, Netflix)

Assisti aos três primeiros episódios de Círculo de Fogo: The Black (Pacific Rim: The Black), anime ambientado no universo de Círculo de Fogo (2013) criado por Guillermo del Toro.

A trama mostrará os Kaiju (sim, o plural é sem S, igual Pokémon) novamente emergindo do mar e dessa vez invadindo a Austrália, colocando dois irmãos em busca da sobrevivência e na busca pelos pais desaparecidos.

O anime estreia amanhã (04/03), na Netflix.

SINOPSE

A humanidade derrotou os Kaiju há muito tempo; Mas eles retornaram e agora a Austrália está sendo evacuada. Nesse continente cheio de perigos, dois irmãos batalham pela sobrevivência em seu velho Jaeger enquanto buscam por seus pais desaparecidos.

ANÁLISE

Círculo de Fogo: The Black foi anunciado em julho de 2018 e é inspirado no filme de Guillermo del Toro; que chegou aos cinemas em 2013 com um orçamento de US$ 190 milhões e arrecadou US$ 411 milhões no mundo.

Agradando a crítica e o público, a produção ganhou uma sequência, Círculo de Fogo: A Revolta, em 2018, estrelada por John Boyega. Infelizmente, mesmo com os novos Kaiju e Jaegers a continuação não teve a mesma recepção de seu antecessor.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Círculo de Fogo: A Revolta – Conheça os novos Jaegers!

Voltando à batalha épica de Kaiju e Jaegers, esta série original de anime desenvolverá a história dos dois primeiros filmes live action ao seguir dois irmãos: Taylor, um adolescente idealista e sua ingênua irmã mais nova, Hayley, que são forçados a pilotar o Atlas Destroyer, um Jaeger abandonado, através um ambiente hostil em uma tentativa desesperada de encontrar seus pais desaparecidos.

A produção conta com Craig Kyle (Thor: Ragnarok) e Greg Johnson (X-Men: Evolution) como showrunners, além da produção da Legendary Entertainment.

VEREDITO

Os episódios: Desabrigados (28min), Rumo ao desconhecido (22min) e Bogan (20min) deixam claro que a nova produção da gigante do streaming busca caminhar com as próprias pernas sem ter como muletas personagens já conhecidos nos filmes live action; então não espere rever o Jaeger Gipsy Danger ou sua versão 2.0, Gipsy Avenger e nem os humanos Mako (Rinko Kikuchi), Dr. Newton Geiszler (Charlie Day) ou o Dr. Hermann Gottlieb (Burn Gorman).

Círculo de Fogo: The Black acerta ao buscar sua própria identidade sem contar com flashbacks para explicar o que já foi contado em dois filmes para o cinema e principalmente no tempo de duração de cada episódio, tornando fácil de ser assistido em maratona.

Com novos Kaijus dos diversos tipos, novos Jaegers cheios de armas – ou não – e personagens carismáticos, a série parece seguir no caminho certo para agradar aos fãs do kaijuverse.

Já na questão visual, o novo título da Netflix poderia ter sido mais ousado e ter apresentado algum tipo de inovação que brilhasse aos olhos dos fãs; mas, infelizmente, o visual 2D com cenas de combate em 3D torna-se mais do mesmo como já visto em outras produções do próprio catálogo, como por exemplo: O Príncipe Dragão e Dragon’s Dogma.

Como fã da franquia criada por del Toro, torço para que a produção agrade aos fãs, para ter uma segunda temporada; para que assim possa corrigir os problemas de sua temporada de estreia.

Nossa nota

3,0 / 5,0

Assista ao trailer legendado:

Círculo de Fogo: The Black estreia amanhã, dia 4 de março, na Netflix.

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta (2021, Amy Poehler)
Próximo artigoCRÍTICA | As Crônicas dos Quatro Cantos – A Pedra Negra (2020, T. H. Nolla)
Um carioca apaixonado por livros, cinema, games e que ama falar de nerdice.