#52filmsbywomen 14 – Primeiro Mataram Meu Pai (2017, Angelina Jolie)

0
48
views

Primeiro Mataram o Meu Pai é um longa de 2017 dirigido por Angelina Jolie. Baseado nas memórias de Loung Ung, ativista e escritora cambojiana, filme conta a história de sua infância, com Sarem Srey Moch, Phoeung Kompheak e Sveng Socheata no elenco; o longa foi indicado ao Globo de Ouro na Categoria Filme Estrangeiro.

Em sua carreira de atriz, Angelina é muito bem sucedida, tendo vencido diversos prêmios, inclusive um Academy Awards (Oscars), e lançado grandes sucessos de público. Jolie também realiza trabalhos humanitários junto a ONU, como embaixadora da Boa Vontade. Em 2007 a atriz iniciou sua carreira na direção com um documentário, e em 2011 dirigiu seu primeiro longa-metragem. Primeiro Mataram Meu Pai é seu quinto e mais recente filme como diretora.

angelina jolie

Primeiro Mataram Meu Pai é um filme brutal. A jovem Loung Ung (Sareum Srey Moch) vê sua vida e família se deteriorarem sob um regime autoritário, que os coloca no campo em trabalho forçado, e a treina como uma soldada na guerra de Agkan contra o Vietnã. A câmera em diversos momentos se posiciona na altura do olhar da jovem, oferecendo uma perspectiva singular e opressora das situações e espaços. Ao mesmo tempo, a câmera aérea é muito utilizada, focando na igualdade entre os locais e a simetria esmagadora que tenta remover a noção de individualidade através da padronização.

Do ponto de vista narrativo, o filme deixa a desejar em substância e contexto. A decisão de explorar apenas o ponto de vista de Loung enquanto vivendo os eventos, foca no drama vivido por ela e sua família, e não se debruça sobre as implicações sociais e políticas do conflito, que não é muito conhecido pelo público internacional. As frases iniciais dizem que o longa é o relato de uma filha do Camboja que se lembra. Nesse sentido, o filme se apoia nas lembranças da protagonista e sues irmãos e irmãs, mas oferece pouco desfecho, parecendo desconectado e pouco expressivo em promover debate e conhecimento aqueles distantes da história do país, principalmente da ditadura do o Khmer Vermelho que, de acordo com dados históricos, dizimou um quarto da população do Camboja entre os anos de 1975 e 1979.

Angelina Jolie se confirma como uma excelente diretora, e interessada em contar histórias apagadas ou pouco exploradas no mundo. Porém, com uma história que merece ser contada, Jolie não a conta da melhor maneira possível. Apesar de claramente consciente, a decisão de não contextualizar o longa dificulta o envolvimento do público que desconhece os eventos que levaram ao conflito. Mesmo assim, as descrições biográficas da autora e ativista Loung sobre sua infância são indignantes e cruéis. É uma pena conhecermos tão pouco sobre a história, e tanto apenas sobre seu sofrimento.

Confira o trailer:

Como nota de curiosidade, Maddox, um dos filhos adotivos de Jolie e Brad Pitt, é do Camboja e trabalha como produtor executivo de Primeiro Mataram Meu Pai. O longa está disponível na Netflix.

E aí, já começou a campanha #52FilmsByWomen? Tem ideia de algum filme nos indicar? Deixe-nos seu comentário e lembre-se de compartilhar esse post com seus amigos.