Início FILMES Crítica #52filmsbywomen 24 – What happened, Miss Simone? (2015, Liz Garbus)

#52filmsbywomen 24 – What happened, Miss Simone? (2015, Liz Garbus)

112
0
what happened, miss simone? #52filmsbywomen

What happened, Miss Simone? é um documentário dirigido por Liz Garbus e disponível na Netflix. A produção foi indicada ao Oscar de melhor documentário em 2016 e ao Grammy Awards de mesmo ano na categoria Melhor Filme Musical.

Em What happened, Miss Simone? somos guiados por Liz em uma jornada sobre a vida e obra de Nina Simone. Baseado em filmagens antigas, como entrevistas, bastidores de shows e atos políticos da cantora; além de depoimentos da família e de amigos próximos, a produção permite que as próprias cenas de vida de Nina narrem a sua história. Da infância pobre ao estrelato inesperado, o documentário consegue expor os percalços e sofrimentos que uma mulher negra passa na nossa sociedade.

Nina Simone é, sem dúvidas, uma das grandes vozes de sua geração. Cantora que vivenciou e foi ativa no movimento negro que defendia os direitos civis nos Estados Unidos, Nina usou de seu talento e sua cor para dar voz ao sofrimento da comunidade negra. Sendo parte ativa dos grupos de pensadores da época, como Martin Luther King Jr. e Malcom X, Nina aproveitou sua visibilidade para fazer mais do que apenas entretenimento: ela queria mudar a história e garantir reais direitos a sua comunidade. Mas como fazer isso sendo mulher e negra em uma época tão turbulenta como a década de 60?

“Eu vou te dizer o que é liberdade para mim, sem medo! Quero dizer, sem medo. Se eu pudesse ter metade da minha vida, sem medo.”

Com 101 minutos de duração, What happened, Miss Simone? apresenta pensamentos, dúvidas e angústias eternizadas nos diários de Nina, nos dando a oportunidade de entender um pouco mais do que se passava na mente de uma das pianistas mais talentosas da história da música. Em muitos momentos – principalmente quando aborda o relacionamento entre Nina e seu marido – é possível vermos um contraponto entre o sonho de Nina em ser a primeira pianista clássica negra dos Estados Unidos com seu real trabalho, fazendo algo que já não lhe trazia prazer, única e exclusivamente por pressão psicológica de seu marido e das pessoas que dependiam de seu sucesso. A falta de uma razão e a carga excessiva de trabalho transformaram Nina em uma prisioneira – mesmo sem amarras.

A jornada de solidão de uma mulher negra na indústria fonográfica é escancarada neste documentário. O mesmo pode ser dito do papel que elas devem desempenhar, aos olhos comerciais, no entretenimento. Em entrevistas, cartas e acontecimentos da vida de Nina é facilmente perceptível que, tudo aquilo o que não se encaixa como algo fabricado ou que faça pensar, de fato, sobre a vida, não serve. E, não servindo para os meios comerciais, é banalizado e escanteado. A solidão de Nina em não enxergar na sociedade pessoas iguais a ela – e aqueles em que ela se vê, acabam por ser caçados e assassinados -, é tão grande que invade a tela, com um misto de tristeza e angústia.

What happened, Miss Simone? é deslumbrante em sua narrativa e montagem. A mescla de filmagens históricas com áudios colocam o espectador como parte fundamental do desenrolar da trama e nos faz questionar se, ainda nos dias atuais, a batalha travada por Nina e seus companheiros foi vencida e seus direitos conquistados.

Confira abaixo o trailer legendado:

What Happened, Miss Simone? está disponível na Netflix. Já assistiu ao documentário? Deixe sua opinião nos comentários e lembre-se de conferir nossas indicações anteriores da campanha #52FilmsByWomen.

 

Comentários