CRÍTICA – A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild (2022, Jim Hecht)

    O spin-off da série de filmes A Era do Gelo, iniciada em 2002, chegou ao Disney+ em 28 de janeiro de 2022. A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild é dirigido e roteirizado por Jim Hecht. No elenco estão Simon Pegg (Jogador Número 1), Utkarsh Ambudkar (Tick… Tick… BOOM!), Vincent Tong e Justina Machado (Uma Noite de Crime: Anarquia).

    SINOPSE

    Os irmãos gambás Crash e Eddie retornam ao Mundo Perdido repleto de dinossauros, onde a doninha Buck Wild mora. Longe da sua irmã velha Ellie, os irmãos gambás em busca de emoção partem para encontrar um lugar próprio e juntos com Buck embarcam em uma missão para salvar o Mundo Perdido da dominação do dinossauro Orson.

    ANÁLISE

    Com uma narrativa fraca e uma animação que parece retroceder aos seus antecessores, A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild não acrescenta quase nada à franquia. A Era do Gelo (2002), dirigido por Chris Wedge, se consagrou em meio aos grandes estúdios de animação e conseguiu cair tanto no gosto adulto, como infantil.  

    O mesmo não acontece com o seu spin-off, dirigido e roteirizado por Jim Hecht, que também roteirizou Era do Gelo 2: O Degelo (2006), pois o longa é insosso. A começar pelo título que mais parece um clickbait, as aventuras na realidade são protagonizadas pelos irmãos gambás Crash e Eddie, Buck aparece como terceiro protagonista, sendo quem os leva nas aventuras. 

    O filme até tenta fazer um discurso sobre amadurecimento e a importância de ir em busca das próprias aventuras, mas o roteiro raso evidencia o quanto essa produção sofreu para sair do papel. Como a Disney comprou a 20th Century Fox, o sub-estúdio de animação Sky dono de longas como A Era do Gelo, Robôs (2005) e Rio (2011) estava no pacote. No entanto, o estúdio foi fechado, e as animações passaram para outro setor. 

    Ainda assim, A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild deveria ser uma série, mas devido aos problemas de produção foi encurtado para um filme. Dessa forma, é extremamente difícil ver uma história tão querida pelos fãs se perder por conta de venda e fechamento de estúdios.

    A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild não é de todo ruim, mas sua execução mal planejada faz com que o filme passe batido e seja decepcionante. Até a animação se encontra muito inferior ao filme original de 20 anos atrás. Isso prova o quanto conglomerados da indústria podem ser maléficos para algumas franquias. 

    No entanto, é certo que para o público infantil o filme pode agradar, visto que carrega uma pegada leve e divertida. Mas, sem subjugar demais as crianças, existem coisas que simplesmente são difíceis de engolir. Por isso, A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild sofre para ser no mínimo aceitável até para os menores.

    VEREDITO

    Apesar de contar com o mesmo roteirista do segundo filme da franquia A Era do Gelo, o longa Jim Hecht é entediante, salvo algumas cenas e piadas engraçadas. Em A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild, animação e roteiro deixam muito a desejar. Pelo menos, a presença de Manny, Diego e Sid em algumas cenas servem de nostalgia para tirar a saudade desses personagens tão queridos. 

    Nossa nota

    2,0 / 5,0

    Assista ao trailer de A Era do Gelo: As Aventuras de Buck Wild

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTube. Clique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    TBT #183 | Platoon (1986, Oliver Stone)

    Platoon, de Oliber Stone sem dúvida está na lista dos fãs de filmes de guerra. Veja nossa clássica indicação de TBT!

    CRÍTICA – Amor & Gelato (2022, Brandon Camp)

    Amor & Gelato é a nova aposta de filme de romance da Netflix. Baseado no livro homônimo de Jenna Evans, o longa é dirigido por Brandon Camp.

    Thor: Amor e Trovão | Conheça o elenco do filme

    Agora falta pouco para Thor: Amor e Trovão chegar aos cinemas! Confira neste artigo quem são os personagens e atores envolvidos na produção.

    CRÍTICA – O Apocalipse do Amor (2022, Hilal Saral)

    O Apocalipse do Amor é um filme turco dirigido pela diretora Hilal Saral. Veja o que achamos da produção de estreia da diretora turca.