Início FILMES Artigo Uma Noite de Crime: Confira a ordem cronológica da franquia

Uma Noite de Crime: Confira a ordem cronológica da franquia

Uma Noite de Crime foi uma franquia que iniciou muito bem, pois trazia uma premissa interessante na qual as pessoas em um dia do ano poderiam cometer qualquer crime sem nenhuma punição.

Entretanto, a proposta foi se perdendo e os filmes foram perdendo a qualidade com o passar dos anos. 

De qualquer forma, o quinto longa, Uma Noite de Crime: A Fronteira parece ser o fechamento. Com estreia marcada para o dia 19/08 nos cinemas brasileiros, a obra vem na surdina, mas com alguma expectativa.

Sendo assim, confira a ordem cronológica da história da franquia para poder maratonar:

A PRIMEIRA NOITE DE CRIME (2018)

Abrindo a lista, temos A Primeira Noite de Filme, longa de 2018 e o quarto dentro da linha de filmes. 

Na história, os Novos Pais Fundadores da América testam uma teoria onde em um dia do ano, todos os cidadãos estão liberados para cometer qualquer crime, criando uma “limpa” nos sistemas carcerários norte americanos.

O longa tomou uma surra da crítica, sendo considerado, até o momento, o pior de todos.

THE PURGE (2018-2019, 2 TEMPORADAS)

A série que durou apenas duas temporadas e está disponível na Amazon Prime Video, The Purge passou despercebida no catálogo da Amazon, mas angariou alguns fãs para a franquia.

Na trama, um grupo de pessoas distintas se cruza no expurgo e tem que sobreviver juntos.

The Purge é um prequel para Uma Noite de Crime, filme mais famoso de toda a franquia.

UMA NOITE DE CRIME (2013)

O primeiro filme da franquia, Uma Noite de Crime traz em seu elenco atores renomados como Lena Headey (Game of Thrones) e Ethan Hawke (Dia de Treinamento).

O longa mostra uma família que decide não participar dos expurgos, mas acaba se envolvendo quando um cidadão acaba invadindo sua casa para sobreviver. Agora todos devem se defender de um grupo de assassinos sedentos por sangue.

Considerado o melhor longa de toda a franquia, Uma Noite de Crime trouxe uma boa renda de US$ 89,3 milhões, com um investimento de apenas US$ 3 milhões.

UMA NOITE DE CRIME: ANARQUIA (2014)

O segundo longa da linha de sucessão, mas o quarto título, Uma Noite de Crime: Anarquia, expande a trama, trazendo os sobreviventes para a rua. 

Com um clima ainda mais tenso, o longa dividiu muito as opiniões, por conta de sua violência exacerbada, atuações questionáveis e roteiro fraco. Entretanto, as discussões sociais estabelecidas na obra são bem interessantes para o que foi discutido até então.

Um grupo de pessoas, lideradas por um agente do governo, chamado Leo Barnes, interpretado por Frank Grillo (Capitão América: O Soldado Invernal) tem que juntar forças para sobreviver ao dia mais sangrento dos Estados Unidos.

12 HORAS PARA SOBREVIVER: O ANO DA ELEIÇÃO (2016)

Este filme é uma sequência direta de Uma Noite de Crime: Anarquia, e traz novamente Frank Grillo como o protagonista.

Na trama, uma candidata à presidência quer extinguir os expurgos, causando revolta em diversos grupos que são contra a decisão. Agora ela precisa sobreviver à Noite de Crime com a ajuda de seus agentes, incluindo Barnes na batalha.

O longa é considerado um dos piores da franquia, mesmo que entregue boas cenas de ação. A trama é inferior aos seus antecessores de 2013 e 2014, pois perde o peso dramático.

UMA NOITE DE CRIME: A FRONTEIRA (2021)

A quinta obra vem com uma repercussão muito menor que suas antecessoras. Com Ana de La Reguera (Army of The Dead) e Juan (Tenoch Huerta) como protagonistas, a história subverte a ideia dos expurgos, trazendo preconceitos e discriminação como pauta principal.

No longa, um grupo de pessoas não participa da Noite de Crime, mas após o dia fatídico, eles começam a ser caçados por vários sádicos que querem deixar os Estados Unidos “puro” novamente com uma limpeza étnica. Será que teremos uma escalada de violência finalizada?

O quinto e último filme da franquia até agora não vem tendo o mesmo desempenho dos demais, por exemplo. Todavia, há a possibilidade de crescimento, pois ainda não foi feita a estreia internacional, vamos aguardar os próximos capítulos.

E vocês, estão ansiosos ou não pelo quinto filme? Comentem!

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Palavras que Borbulham como Refrigerante (2021, Kyohei Ishiguro)
Próximo artigoCRÍTICA – Caçadores de Trolls: A Ascensão dos Titãs (2021, Guillermo del Toro)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.