Início FILMES Crítica CRÍTICA – A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas (2021, Michael...

CRÍTICA – A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas (2021, Michael Rianda)

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas é uma animação original da Netflix e conta com um elenco de peso na dublagem. Olivia Colman(Meu Pai), Maya Rudolph (The Good Place) e Danny McBride (É o Fim), por exemplo, integram o elenco original. O longa é dirigido por Michael Rianda, responsável pela animação de sucesso Gravity Falls, disponível no Disney Plus.

SINOPSE

Katie (Abbi Jacobson) é uma cineasta amadora que tem o objetivo de se tornar uma grande diretora de cinema no futuro. Ela faz parte de uma família nada normal e agora deve enfrentar uma revolução das máquinas com seus pais e irmão desajustados.

Agora eles devem sobreviver juntos e tentar salvar a humanidade de tudo que está acontecendo.

ANÁLISE

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas é uma animação que no primeiro momento causa estranhamento por seus traços que misturam stop-motion com um formato mais dinâmico. Além disso, em algumas cenas, a animação pega trechos reais de vídeos e os transporta diretamente para a tela de nossa tv, e os méritos do filme estão justamente nisso: o longa é extremamente dinâmico e divertido.

Sua trama é simples e bastante usual, pois traz uma família que tem desavenças por suas diferenças, mas que ao longo da jornada vai descobrindo que suas virtudes vem justamente do diferente. Os clichês e breguices estão muito presentes sim, todavia, não atrapalham em nada a experiência do espectador.

O trabalho de dublagem é sensacional, uma vez que o time de estrelas é complementado com nomes já conhecidos como os de Eric Andre e Abbi Jacobson, de Desencanto, também da Netflix.

Os personagens tem características únicas e são bem engraçados em sua essência. A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas bebe de algumas fontes para ter referências como, por exemplo, O Exterminador do Futuro, Kill Bill e paródias sarcásticas de Mark Zuckerberg e o já falecido Steve Jobs, gurus da tecnologia.

A TECNOLOGIA EM A FAMÍLIA MITCHELL E A REVOLTA DAS MÁQUINAS

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas consegue ser complexo em um momento, quando faz a reflexão sobre a tecnologia. 

O fato dela nos fazer reféns em alguns momentos é abordado aqui, entretanto, a animação também mostra o quanto a tecnologia pode fazer a diferença em nossas vidas. Uma das discussões mais interessantes do longa está no fato de que temos que reverenciar o passado e nos atualizar para o presente, construindo um equilíbrio.

Além disso, o filme passa também que a tecnologia pode unir ou afastar, a questão é a forma como a usamos em que acima de tudo, as pessoas que amamos sempre devem estar por perto, mesmo que seja longe.

VEREDITO

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas é divertido, lúdico e competente, pois passa sua mensagem de forma leve e bem construída. 

Por mais que tenha seus problemas, a direção e roteiro conseguem contornar com muito bom humor e carisma, uma vez que trazem excelentes personagens. 

O novo filme da Netflix é o que precisamos agora apara desopilar nesses tempos sombrios. Vale cada minuto e com certeza será um bom entretenimento, pois entrega boas risadas.

Nossa nota

4,5 / 5,0

Confira o trailer do filme:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.