Início FILMES Crítica CRÍTICA – Halloween Kills (2021, David Gordon Green)

CRÍTICA – Halloween Kills (2021, David Gordon Green)

Halloween Kills: Novo filme tem estreia adiada e ganha teaser

Halloween Kills é a sequência direta de Halloween, filme de 2018, dirigido por David Gordon Green, que retorna em 2021 juntamente com Jamie Lee Curtis e Judy Greer.

SINOPSE

Após enfrentarem Michael Myers, Laure Strode, sua filha Karen (Judy Greer) e sua neta Allysson (Andi Matichak) acreditam que dessa vez acabaram com o mal em pessoa.

Entretanto, o assassino está mais vivo do que nunca e agora a comunidade se junta para caçá-lo. Será que o caçador virou a presa?

ANÁLISE

Halloween

Halloween foi uma franquia que teve ao longo de sua história uma penca de filmes que foram mudando a trama dos personagens diversas vezes. Em 2018, David Gordon Green jogou tudo que foi feito no lixo e usou apenas ótimo Halloween: A Noite do Terror, de 1978, como base, ignorando os demais. 

Todavia, eis que chegamos em 2021 e Halloween Kills traz de volta vários conceitos apresentados em outros longas, apresentando uma ambiguidade nas escolhas. 

A proposta agora é mostrar que o mal de Michael é contagioso, que ele é uma entidade, superando a barreira do físico. O fato da população se basear no ódio e nos desejos de um homem, na persona de Tommy (Anthony Michael Hall) é uma das licenças poéticas da trama, uma vez que a crítica direta a rede de ódio da sociedade atual é bem forte. 

Contudo, os coadjuvantes não são tão interessantes quanto Laure, que fica escanteada e com o cargo de ser a narradora dos fatos. A protagonista de Halloween fica de fora da festa, um erro bastante crasso da produção. Os personagens escolhidos para contar a história de Halloween Kills não conseguem segurá-la, e a informação de que uma nova obra está em andamento dá mais veemência a isso. Halloween Kills é um longa incompleto.

Como uma obra de slasher, o filme funciona muito bem, pois tem bastante violência gráfica e o gore é garantido. A cena inicial de Michael enfrentando os bombeiros é bastante divertida e elogiável, além da criatividade da equipe de direção nas mortes. Tem muito sangue jorrando na tela. Por fim, o assassino está mais brutal do que nunca, sendo o principal ponto a ser elogiado aqui.

VEREDITO

Halloween Kills é uma farofa sem muito o que dizer, mas que diverte bastante. Por mais que as escolhas de roteiro prejudiquem bastante o longa, para quem gosta do gênero, o filme tem bastante a apresentar. Se quiser ver muito sangue e miolos, a obra é certa para você!

Nossa nota

3,0/5,0

Confira o trailer de Halloween Kills:

Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

Artigo anteriorCRÍTICA – Humankind (2021, Amplitude Studios)
Próximo artigoCRÍTICA – Duna (2021, Denis Villeneuve)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.