Início FILMES Crítica CRÍTICA – Luca (2021, Enrico Casarosa)

CRÍTICA – Luca (2021, Enrico Casarosa)

luca

Luca é a mais nova animação original da Disney+ e conta com um elenco de vozes formado pelas estrelas infanto-juvenis Jack Dylan Grazer (Shazam!) e Jacob Tremblay (Doutor Sono) como protagonistas.

SINOPSE

Luca (Jacob Tremblay) é um menino-peixe que tem uma vida pacata debaixo d’água. Ao ver que a vida na superfície pode ser cheia de novas experiência, o guri parte para uma jornada de aventuras com seu novo amigo Alberto (Jack Dylan Grazer), um outro membro da espécie de Luca, que é destemido e traz uma nova realidade ao protagonista.

ANÁLISE

Luca é mais uma parceria da Pixar com a Disney, algo que naturalmente já traz bons frutos, pois há diversos exemplos recentes de animações de sucesso como Soul e Raya e o Último Dragão.

Entretanto, há aqui uma jornada bem menos grandiosa, uma vez que as alegorias de Luca tem outro sentido: o de explorar novas experiências. De fato, se enxergarmos de um ponto de vista filosófico, o longa tem a ver muito com a homossexualidade, uma vez que há uma transformação do personagem mirim num mundo onde ele é visto como um monstro. Ao “se transformar” em um garoto normal, Luca pode fazer o que quiser, e como quiser, sem julgamentos alheios. 

Vou além, Luca se trata, e muito, da aceitação de um indivíduo em sua condição, pois há aqui a curiosidade, o medo do julgamento, o medo por parte da família do que o mundo pode oferecer de ruim para quem é diferente, a ida para o “interior” para morar com uma família mais tradicional, são experiências muito similares para quem nasce diferente em um mundo tão cruel. 

Contudo, por mais que suas alegorias tratem de uma temática delicada, Luca é divertido e também nos remete a nossa infância, uma vez que mostra todas as travessuras de um garoto na melhor fase de nossas vidas.

VEREDITO

Luca é uma animação irreverente, divertida e que salta aos olhos pela qualidade de suas formas. 

Com uma trama leve e que traz questionamentos importantes sobre experiências novas e preconceito, a animação nos faz pensar sobre como podemos ser melhores, sem julgamentos ou preconceitos em um mundo muito mais colorido e belo que muitas vezes não conseguimos enxergar. Veja de coração aberto e com muita atenção nas questões filosóficas apresentadas aqui.

Nossa nota

4,0/5,0

Confira o trailer de Luca:

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Solos (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)
Próximo artigoMobius: Conheça o investigador da Autoridade de Variação Temporal
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.