Início FILMES Crítica CRÍTICA – Nasce uma Estrela (2018, Bradley Cooper)

CRÍTICA – Nasce uma Estrela (2018, Bradley Cooper)

1277
0
Nasce uma Estrela+Lady Gaga+Bradley Cooper

A estreia de Bradley Cooper na direção de um longa-metragem acontece contando a história de Nasce uma Estrela (A Star is Born). O filme que chega aos cinemas conta uma bela, romântica e triste história de amor. Simples e até mesmo previsível. Mas que deve provocar lágrimas em muita gente. Porém trata-se da quarta versão desta história; a saber, a primeira foi em 1937, estrelada por Janet GaynorFredric March. A segunda, em 1954, teve Judy Garland e James Mason como protagonistas. Em 1976, terceira versão, temos Barbra Streisand e Kris Kristofferson. E agora, em 2018, é a vez de Lady Gaga e Bradley Cooper.

Nas duas primeiras versões, o enredo colocava um casal de atores, diferentemente das duas últimas, onde temos um casal de cantores. Porém, a receita é a mesma: um homem veterano/decadente e uma mulher jovem/promissora e uma paixão.

O filme é, basicamente, Bradley CooperLady Gaga que interpreta Ally, uma jovem que trabalha em um restaurante mas que sonha em ser cantora. Algumas vezes, ela se apresenta em uma boate de drag queens. Cooper interpreta o astro da música Jackson Maine, que têm problemas com alcoolismo e drogas.

A caminho de casa, após um show, quando sua bebida acaba, Jack resolve entrar em uma boate para comprar outra garrafa. Ali, ele se depara com Ally cantando e fica mexido com sua performance no palco. Ele se aproxima dela para ajudá-la em sua carreira, mas o casal acaba se apaixonando.

Conforme o sucesso de Ally cresce e sua aparência e estilo mudam, os problemas com álcool e drogas de Jack só aumentam. Posso afirmar que trata-se da melhor atuação de Lady Gaga, que foi incrível na pele dessa jovem de temperamento forte, obstinada, decidida. Bradley Cooper nos surpreende com seu talento para uma performance de astro do rock. E, principalmente, cantando.

O elenco coadjuvante também é ótimo! Com diálogos objetivos e perfeitos. Destaque para Sam Elliott, Andrew Dice Clay, Dave Chappelle e Anthony Ramos.

Em sua estreia como diretor, Bradley Cooper faz um ótimo trabalho. O filme está bem redondinho com início  meio e fim. Mas, um projeto como esse, têm poucas chances de dar errado, não é mesmo?!

Devemos nos atentar para o jogo de cores utilizado em Nasce uma Estrela. Apesar da fotografia utilizar-se tons mais frios, a composição de algumas cenas utilizando a cor vermelha retrata, fielmente, o estado de espírito dos personagens em determinados acontecimentos.

O grande acerto e o maior destaque é, certamente, a trilha sonora de Nasce uma Estrela. Resultado da parceria musical de Lady Gaga e diversos músicos, como o cantor Lukas Nelson, da banda de rock Lukas Nelson & Promise of the Real, o DJ White Shadow e até mesmo Bradley Cooper que também canta ao vivo junto com Gaga. O espectador sairá do cinema com vontade de assistir a um show de verdade com os dois. Fica aí minha sugestão para nossa querida “Mother Monster“: Por que não uma turnê ao lado de Cooper?!

Confira o clipe/trailer de Shallow, a música tema e é uma parceria de Cooper e Gaga

Nossa nota

Confira abaixo o trailer oficial legendado:

Nasce uma Estrela chega hoje aos principais cinemas.

O que achou da crítica? Se curtiu, deixe seu comentário e lembre-se de compartilhar com seus amigos e de deixar sua avaliação do filme 😉

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Comentários