Início FILMES Crítica CRÍTICA – Um Clássico Filme de Terror (2021, Roberto De Feo e...

CRÍTICA – Um Clássico Filme de Terror (2021, Roberto De Feo e Paolo Strippoli)

Um Clássico Filme de Terror

Um Clássico Filme de Terror é um filme italiano original da Netflix e está na lista de mais assistidos no catálogo da gigante do streaming, entrando no radar da crítica brasileira.

SINOPSE

Um grupo de pessoas está em uma viagem para chegar em diversos destinos. Entretanto, após um acidente, eles acabam perdidos no meio da floresta, chegando em uma casa com moradores macabros de uma seita violenta baseada em uma lenda italiana.

ANÁLISE

Um Clássico Filme de Terror é o tipo de obra que já assistimos diversas vezes, pois bebe de várias fontes do gênero de terror. Entretanto, ao mirar na galhofice, mas entregar uma proposta muito série, ele se perde, e muito, na sua metalinguagem.

De positivo, temos a fotografia que é muito bem realizada aqui, com uma paleta de cores que faz uma mistura de tons vivos de dia e cores escuras de noite, usando muito vermelho e amarelo. As atuações são bem competentes e a violência é pesada em alguns momentos.

Todavia, o tom de Um Clássico Filme de Terror é ambíguo, pois o tempo todo o filme é sério, com uma atmosfera sombria e tensa; construído de forma lenta. Contudo, o terceiro ato fica acelerado e o tom muda completamente, tornando o longa uma caricatura aos níveis de Pânico, parecendo uma paródia de si mesmo.

VEREDITO

Um Clássico Filme de Terror

Um Clássico Filme de Terror tenta emular Midsommar e acaba virando mais uma paródia mal feita e que usa de piadas de autobullying para se justificar no final. Entretanto, a obra acaba mais decepcionando do que sendo inovadora, pois ao trazer uma pilha de clichês e ideias que já foram apresentadas em tantos outros filmes como O Massacre da Serra Elétrica e o longa de Ari Aster, ele se torna apenas genérico.

Nossa nota

2,5/5,0

Confira o trailer de Um Clássico Filme de Terror:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA | Loki – S1E6: Por Todo o Tempo. Sempre
Próximo artigoNoites Sombrias #23 | Rua do Medo – 1666: Parte 3 (2021, Leigh Janiak)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.