Início FILMES Crítica TBT #141 | Os Bad Boys (1995, Michael Bay)

TBT #141 | Os Bad Boys (1995, Michael Bay)

TBT #141 | Os Bad Boys (1995, Michael Bay)

O TBT dessa semana relembra o começo de carreira de famosos astros de Hollywood, Os Bad Boys de 1995 foi o primeiro filme do diretor Michael Bay (Transformers) e também o primeiro grande papel de Will Smith (Um Maluco no Pedaço) nas telas. Além disso, o filme conta com Martin Lawrence e Tea Leoni

SINOPSE 

Os policiais Mike Lowrey (Will Smith) e Marcus Burnett (Martin Lawrence) são encarregados de encontrar um carregamento de heroína que foi roubado. Uma testemunha liga para a delegacia dizendo ser capaz de identificar o ladrão. O pacato Burnett finge ser Lowrey para não perder o caso e acaba tendo que proteger a mulher, enquanto seu parceiro cuida de sua família.

ANÁLISE

Os Bad Boys com certeza foi um marco no cinema de Hollywood. Não somente por apresentar ao público as características do cinema de Michael Bay e o talento de Will Smith, mas também por realçar alguns cliques de ação que viriam a marcar o gênero para sempre. Sendo assim, o longa é o típico filme que vai além das telas e mostra que o cinema de ação tem seus prazeres. 

Nesse sentido, assistir ao primeiro longa de Bay é sem dúvidas uma catarse. Todos os seus maneirismos estão se formando. Seja a criação de personagens caricatos, seja as conhecidas explosões e close ups com slow motion. Logo, o diretor assume seu próprio estilo, criando uma marca que perdura até hoje em Hollywood. 

A direção de Michael Bay parece achar o tom certo na atuação de Will Smith e Martin Lawrence, a dupla tem uma dinâmica infalível que cresce a cada interação entre os personagens. Nesse quesito, é fato que o filme perde quando os policiais Mike e Marcus precisam se separar para o filme andar, mas ainda assim, os momentos em que eles contracenam são sem dúvida a cereja do bolo de Os Bad Boys.   

Isso porque, o longa carrega um tom de comédia, suspense e principalmente ação totalmente caótico que combina com os personagens, apesar de ambos serem totalmente diferentes. Marcus é basicamente um pai de família, mas faz o que é preciso quando se trata de combater o crime. Já Mike sempre quis ser policial e tem o charme a seu favor. 

Os momentos em que a dupla de policias precisa bancar “o bom e o mau policial” trazem os cliques do gênero. Mas quando há a troca de identidades, vemos uma dinâmica totalmente nova que faz o filme crescer. Já Tea Leoni como Julie é sagaz e carismática. A personagem feminina pode até ser tratada como frágil pelos policiais, mas consegue se desvencilhar e mostrar ser uma mulher independente.

Além das características marcantes do diretor, Os Bad Boys mostram tanto a Miami ensolarada do dia, quanto a Miami sombria da noite. Logo, os tons de laranja que evidenciam o mormaço da manhã mostram o duro trabalho dos policiais da cidade. Já os tons de azul da noite trazem os melhores momentos de ação com perseguições de carros e troca de tiros em boate. Felizmente, no melhor estilo Michael Bay de ser. 

VEREDITO

Os Bad Boys não só é um clássico dos filmes de ação, como trouxe aos holofotes nomes como Michael Bay e Will Smith. Com grandes momentos de ação e um tom cômico na medida certa, o longa se consagra. Não à toa rendeu uma continuação e um terceiro filme quase 25 anos depois.

Nossa nota

3,0 / 5,0

Assista o trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Yellow Cab (2021, Pipoca & Nanquim)
Próximo artigoDemolidor: Saiba tudo sobre o Homem Sem Medo
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.