Início FILMES Crítica TBT #27 | Constantine (2005, Francis Lawrence)

TBT #27 | Constantine (2005, Francis Lawrence)

706
0
TBT #27 | Constantine (2005, Francis Lawrence)

Constantine, é um dos filmes do selo Warner Bros pré-Universo Estendido DC mais adorados pelos fãs do Hellblazer e do Keanu Reeves. Com uma premissa densa, o diretor Francis Lawrence parece querer sintetizar uma história longa, repleta de subtramas que podia facilmente se desenvolver em dois filmes – pois histórias do personagem, é o que não faltam.

Sendo aclamado até mesmo hoje, 14 anos após seu lançamento, a adorada interação do Exorcista de Demônios e Mestre do Oculto têm seu retorno pedido por fãs do personagem há bastante tempo.

Constantine vem de uma leva de adaptações de quadrinhos pré-UCM e pré-UEDC, ganhando assim, um grande destaque ao ser lançado. Ao ver o sucesso e o vácuo que o personagem deixava, ele ganhou uma série desenvolvida pelos mesmos responsáveis por séries como Arrow, The Flash e outras em 2014. Mas ao ter sua série solo cancelada, ele ficou na geladeira do canal The CW por um tempo, mas o personagem acabou por ser assimilado na equipe de Legends of Tomorrow, e sendo mais bem aproveitado do que previamente em outras séries, inclusive tendo uma participação importante para o enredo da quarta temporada.

Se afastando imensamente da sua contraparte dos quadrinhos, o John Constantine de Keanu Reeves não é um inglês, nem loiro, tampouco tem o senso de humor obscuro do Hellblazer, mas um ponto em comum entre ambas as interações é a adicção a cigarros, sendo esses um dos maiores motes do filme – não a adicção em si, mas as consequências do uso prolongado das substâncias presentes no cigarro. Com um caçador de demônios à beira da morte, sem nada a perder, nem mesmo os mais profundos círculos do inferno são capazes de detê-lo.

John Constantine mais uma vez é chamado para o trabalho por um amigo exorcista, que solicita a ajuda de John, quando o segundo parece não ter mais a habilidade de expulsar demônios.

Os primeiros minutos de filme, estabelecem John rapidamente, e mostra como o personagem é odiado por demônios não só no inferno, mas também pelos que vagam pela Terra. Toda mitologia de Constantine é apenas arranhada em momentos que encontramos um poderoso ocultista como Papa Midnite, anjos como Balthazar e Gabriel, e até mesmo itens extremamente poderosos, como o soco inglês dourado, Escopeta Sagrada, Bafo de Dragão e a Lança do Destino.

Com ótimas atuações de Keanu Reeves, Tilda Swinton e Rachel Weisz, Constantine se tornou um filme cult pelos anos que se seguiram e marcou a carreira de Keanu Reeves até hoje. Se feito da forma certa nos dias atuais, o filme poderia ser bem trabalhado assim como o De Volta ao Jogo, o primeiro filme da franquia John Wick, mostrando toda uma sociedade oculta dos olhos da humanidade.

Constantine foi mais bem recebido pelo público na época de seu lançamento fora do Estados Unidos do que dentro dele. Com uma arrecadação de US $ 230 milhões, tendo um valor de orçamento de apenas US $ 100 milhões.

Nossa nota

Confira o trailer do filme:

 

Já assistiu Constantine? Ele está disponível na Netflix. Conta pra gente o que achou do filme! Você acha que se tivesse uma segunda chance Keanu mandaria tão bem como o Hellblazer?

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Comentários