Início FILMES Crítica TBT #47 | Beasts of No Nation (2015, Cary Fukunaga)

TBT #47 | Beasts of No Nation (2015, Cary Fukunaga)

48
0
TBT #47 | Beasts of No Nation (2015, Cary Fukunaga)

A guerra é atroz e nos faz refletir o quão terríveis os homens podem ser na Terra. Muitas vezes, alguns monstros querem assumir o poder por meio do medo e da violência, algo que nos torna cada vez menos humanos. Muitos algozes da sociedade pensavam que a forma mais eficaz de erguer uma nação seria por meio do ódio, mascarando seus interesses, preconceitos e crenças para que uma multidão os siga cegamente.

Beasts of No Nations, retrata a história de um grupo terrorista que recruta novos garotos para ajudá-los no embate que ocorre na África do Sul. O Comandante (Idris Elba) é um ser ardiloso e corrupto, completamente implacável com seus inimigos. Sua liderança é na base da mão de ferro e quem for contra, paga a vida. Agu (Abraham Attah) é um menino inocente que vivia de forma tranquila com sua família até ser “recrutado” obrigatoriamente para a equipe, que o faz se tornar tão mortal quanto seus colegas de grupo.

Beasts of No Nation é um filme visceral, cruel e impactante. Para pessoas sensíveis, é um filme difícil de assistir, pois todos sabemos que em diversos lugares do mundo, a história de Agu é a de tantos outros meninos que, desde cedo, são recrutados para o crime e a violência, principalmente em países de terceiro mundo, nos quais as chances de sucesso são ainda menores para diversos grupos da sociedade.

A África, nossa terra-mãe é o continente que mais sofre com a desigualdade. A vida humana é subvalorizada e a violência é a forma mais fácil de se chegar ao poder. Fukunaga retrata isso muito bem, mostrando que os cidadãos estão de mãos atadas, tendo que abrir mão de seus filhos para não serem mortos e jogados numa vala qualquer, sem defesa por parte de ninguém.



O título do filme diz muito sobre o que temos ao longo dos 136 minutos: homens sem uma nação, vivendo apenas pela lealdade de seu grupo, sem uma bandeira, sem uma terra para defender, apenas a visão cega de um líder sanguinário ao qual foram obrigados a servir.

Em questão de atuações, o filme tem como destaque justamente seus protagonistas. Tanto Elba quanto Attah estão impecáveis, nos mostrando todas as nuances de seus personagens. O primeiro um homem forte, cruel, sem escrúpulos e totalmente desprezível. O segundo uma criança que vê sua juventude roubada, se tornando parte de um grupo que o transforma em um terrorista com sangue-frio. Abraham Attah tem uma atuação monstruosa, unindo a ingenuidade e insegurança de uma criança e a frieza de um assassino, algo invejável para diversos atores unidimensionais que temos por aí.

Beasts of No Nation é um filme necessário nos dias atuais. Vivemos tempos de intolerância e falta de amor ao próximo, algo que o longa nos faz enxergar, retratando uma realidade que está aqui ao lado, mas não queremos enxergar pois preferimos vivermos em nossa bolha.

Nossa nota

Assista ao trailer legendado:

Bests of No Nation é um filme da Netflix e está disponível no catálogo da gigante do streaming. Já assistiu ao longa? Deixe sua avaliação e seus comentários. Lembre-se de conferir também as indicações anteriores do TBT do Feededigno.

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários