Início GAMES Crítica CRÍTICA – A Fold Apart (2020, Lightning Rod Games)

CRÍTICA – A Fold Apart (2020, Lightning Rod Games)

93
0
CRÍTICA - A Fold Apart (2020, Lightning Rod Games)

Existem diversas pessoas que começaram a ter um relacionamento de amizade, ou amoroso, com ajuda das redes sociais, já que elas ajudam bastante a conectar as pessoas independente do local ou da distância; contundo, não é fácil manter um relacionamento a distância, em essencial pela carência do contato humano que é fundamental para companheirismo.

No entanto, não existirá tecnologia ou rede social no mundo que vá substituir o afeto e carinho humano que é a base da humanidade.

Com isso em mente, em A Fold Apart você terá que quebrar a cabeça – literalmente – com a missão de reatar o relacionamento de um casal de namorados que está tendo uma crise com o relacionamento a distância por meio de adoráveis quebra-cabeças artesanais e com belos gráficos 3D com uma estética papel tátil.

A Fold Apart é o primeiro game do estúdio Lightning Rod Games que é formado por uma equipe de quatro pessoas veterana na indústria e tem mais de 20 anos de experiência trabalhando em estúdios como Eletronic Arts, Disney Interactive, UserJoy e Ubisoft.

O objetivo do estúdio e trazer jogos para a família e que toca os corações e mentes de jogadores de todas as idades. O propósito do estúdio é projetar jogos para serem emocionalmente atraentes e incentivar os jogadores a pensar de formar criativa.

A Fold Apart foi lançado em Abril de 2020 e foi originalmente desenvolvido para Nintendo Switch, Apple Arcade e PC, mas em breve estará disponível para PlayStation 4 e Xbox One.



ENREDO

Depois que as escolhas de carreira os forçam a seguir caminhos separados, um(a) professor(a) e um(a) engenheiro(a) juram fazer com que o relacionamento de longa distância funcione a qualquer custo.

Experimente os dois lados da história enquanto o casal navega pelas complexidades da comunicação e pelos altos e baixos emocionais que a separação traz. Ao virar, dobrar e desdobrar os quebra-cabeças de papel em seus mundos artesanais, você pode ajudar o casal a superar as barreiras emocionais do seu relacionamento.

JOGABILIDADE

Por meio do direcional analógico esquerdo (Nintendo Switch) você comanda ambos os personagens, o cenário vai se movendo junto com personagem conforme avança cada fase ao solucionar cada puzzle.

Os gatilhos R e L ou ZR e ZL, têm a função de virar o papel do cenário para procurar a solução dos quebra-cabeças.

O direcional analógico da direita funciona para dobrar as bordas de cada cenário.

Em cada fase existe um puzzle para ser solucionado e seu objetivo é alcançar uma estrela no verso do papel para só assim avançar de fase.



AMBIENTAÇÃO

O design de ambientação do jogo apresenta belos gráfico em 3D com a estética de papel tátil, os dois personagens são dignos de uma animação da Pixar com relação ao quesito fofura (o personagem masculino lembra bastante o visual Carl Fredricksen de Up: Altas Aventuras). O jogo tem breves cutscenes o que acrescenta muito para construção da trama.

TRILHA SONORA

A trilha sonora fica por conta do compositor Riley Koenig, que por sinal é encantadora e relaxante, e toda composta por piano e violino. Destacando com maestria os sentimentos dos personagens em cada estado de humor (a trilha sonora vai lembrar bastante as animações do Studio Ghibli).



PONTO NEGATIVO

A Fold Apart - A arte de se desdobrar em uma relação | Project NPara quem espera um game de puzzle hard, infelizmente A Fold Apart não apresenta grandes desafios. A dificuldade do jogo vai do fácil ao normal e não apresenta uma dificuldade satisfatória como em outros jogos do gênero (Limbo, The Witness, por exemplo).

Conforme você não consegue solucionar algum puzzle o game te ajuda com dicas para solucionar o quebra-cabeça e você vai avançando o jogo todo basicamente em um “modo automático” e vai avançando sozinho e solucionando os puzzles.

A jogabilidade do game é bastante limitada, sendo apenas possível caminhar para frente ou para atrás com os personagens e avançar cada fase sem nenhuma dificuldade.

Vale lembrar que não é possível correr ou pular, e para subir em uma plataforma você deve apertar o botão quando disponível, isso certamente irá irritar alguns gamers.

VEREDITO

De fato, A Fold Apart trabalha com maestria o que é ter um relacionamento a distância com diálogos que certamente você vai ficar com a sensação de estar conversando com seu par por alguma rede social quando não estão juntos.

Contundo, apesar do game ser o primeiro do estúdio falha no que é proposto como puzzle bem elaborado e possui uma trama bem superficial.

Com apenas 2 horas de gameplay é possível completar os mais de cinquenta quebra-cabeças.

Apesar da indústria ser saturada com jogos puzzle, certamente os amantes do gênero vão adorar o que o jogo propõe por mais simples que seja a solução dos puzzles e vale sim dar uma chance para reatar o lanço desse casal.

Nossa nota

Confira o trailer:

A Fold Apart está disponível para Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One e PC; e conta com legendas em português.

E você, já jogou o game? Deixe seus comentários e sua avaliação!

Nota do público
Obrigado pelo seu voto


Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.