Início GAMES Crítica CRÍTICA – Hotline Miami (2012, Devolver Digital)

CRÍTICA – Hotline Miami (2012, Devolver Digital)

77
0
CRÍTICA - Hotline Miami (2012, Devolver Digital)

Imagine um jogo com a brutalidade do filme Drive (2011), somado ao gênero top-down shooter, com uma trilha sonora synthwave/eletrônica dos anos 80. É com essa junção de elementos que lhes trago o visceral Hotline Miami, que vai te deixar com as mãos suadas caso não seja rápido no gatilho ao eliminar seus inimigos.

A morte será certa se você não tomar as decisões corretas e rapidamente, o que é extremamente empolgante e deixa o jogador determinado a exterminar – o mais rápido possível – cada inimigo que aparecer na sua frente.

Desenvolvido pelos suecos Jonatan Söderström e Dennis Wedin, as influências para criação do jogo foram o diretor David Lynch, além do filme Drive e o documentário Cocaine Cowboys (2006) e o protagonista Gordon Freeman da série de jogos Half Life.

O game foi originalmente lançado para Microsoft Windows em 2012 e depois para seguintes plataformas OS X, Linux, Android, PlayStation 3, PlayStation 4, PS VITA, Xbox One e Nintendo Switch.

ENREDO

A trama é situada em uma Miami de 1989 e no jogo você assume o personagem sem nome e mudo (os fãs costumam chama-lo de Jacket), que recebe recados em sua secretária eletrônica em seu apartamento determinando que realize massacres contra a máfia russa. Sem questionar o motivo do derramamento de sangue, você vai entrar nesse submundo do crime e tentar entender o por que diabos está realizando esse serviço sujo.

ANÁLISE

Já fazia um tempo que Hotline Miami estava em minha lista infinita de jogos não zerados, seja por falta de tempo ou por outro jogo ter mais prioridade, então aproveitei essa quarentena para sanar de vez essa pendência.

Prepare sua jaqueta old school e sua máscara de galo para jogar Hotline Miami, o indie game que prova o quão grande potencial os gráficos em 2D ainda têm para realizar um excelente jogo; aqui os designers Jonatan Söderström e Dennis Wedin provam para a indústria que não precisa ser um game AAA para se ter uma experiência gamer excelente.

Quem procura um indie game hard e com a pegada nostálgica dos jogos do Super Nintendo e cheio desafios que certamente vai te deixar viciado, com certeza vai amar Hotline Miami.

Após finalizar cada fase, dependendo do seu desempenho e pontuação é liberado uma nova arma ou máscara de animal (coruja, cachorro, cobra e lobo) que contém habilidades especiais; durante boa parte da jogatina utilizei bastante a máscara de lobo, pois sempre iniciava com uma faca.

Jogabilidade

Se prepare para morrer diversas vezes, mas não fique frustrado, com uma jogabilidade rápida de se acostumar, não chega ser igual a Dark Souls onde o jogador morre ainda no tutorial.

A jogabilidade é rápida e precisa, e não sofre com atraso de resposta, e a IA tem a velocidade de “um Super Sayajin”.

Hotline Miami possuí um vasto arsenal de armas de fogo e armas brancas que vão desde faca, fação, taco, katana, espingardas, garrafa de vidro escopeta e metralhadoras. É para nenhum jogador de GTA colocar defeito.

Trilha sonora

A trilha é composta por synthwave/eletrônica que se encaixa perfeitamente com clima oitentista do jogo e vai deixar qualquer jogador determinado a prosseguir, por mais que morra diversas vezes seguidas.

Para um jogo 2D o game tem uma trilha sonora maravilhosa, que certamente vai despertar nostalgia dos filmes dos anos 80 do diretor John Carpenter, e claro a filmes mais contemporâneos como a franquia John Wick.

Ponto negativo

Se você é o tipo de jogador que fica frustrado por morrer diversas vezes seguidas, fique longe de Hotline Miami, pois o game não apresenta um modo de dificuldade easy para quem procura apenas se de desestressar depois de um longo dia cansativo de trabalho.

A IA do game varia e os inimigos se movem de forma desordenada,mas outras vezes seguem de forma estratégica, o que dificulta ainda mais ao realizar um ataque adequado contra os inimigos.

A trama do game deixa muitas brechas abertas e confusas fazendo com que o gamer não saiba ao certo se tudo o que aconteceu durante a gameplay seja uma alucinação da cabeça do personagem ou ele é realmente um vigilante psicopata.

VEREDITO

Posso afirmar que Hotline Miami é um clássico atemporal e que com certeza foi base para influências outros grandes jogos (Ruiner, Mr Shifty e Katana Zero) que tem uma jogabilidade rápida e fluída, mas que possui sua própria identidade.

Os players “sadomasoquistas” de Dark Souls, BloodBorne e Sekiro vão amar esse game por conta da dificuldade hard e das mortes incessantes, além de sentir uma grande satisfação ao avançar para a próxima fase.

Durante a jogatina fiquei imaginado se esse jogo fosse lançado lá em 1997 (ano do lançamento de GTA) o que o ativista e advogado Jack Thompson teria feito para abrir um processo judicial contra os desenvolvedores desse jogo por conta da violência extrema.

Apesar do game ser em 2D certamente haverá gamers que vão tratar com desdém o jogo por conta dessa limitação gráfica, mas ser você tem uma mente aberta para jogos com gráfico retrô garanto que não vai se arrepender ao se aventurar pelo submundo de Hotline Miami.

Nossa nota

O game está disponível para PlayStation 3, PlayStation 4, PS VITA, Xbox One e Nintendo Switch.

E você, já jogou Hotline Miami? Deixe sua avaliação e seus comentários!

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários