CRÍTICA – Mario Strikers: Battle League (2022, Nintendo)

    Mario Strikers: Battle League foi lançado para Nintendo Switch em 10 de junho de 2022. O game é o terceiro da série, que teve anteriormente Super Mario Strikers (2005), para GameCube, e Mario Strikers Charged (2007), para Wii.

    O novo jogo está totalmente geolocalizado para português do Brasil. Leia nosso review a seguir.

    SINOPSE

    Apresentamos o esporte Strike, um tipo de futebol de 5 contra 5 sem nenhuma regra! Vá para cima e tente marcar o máximo de gols usando seus itens, dando entradas nos adversários e superchutaços.

    Personagens clássicos da série Super Mario, como a Peach, Toad e Yoshi vão calçar as chuteiras, entrar em campo e fazer de tudo para marcar gols. Personalize o equipamento dos seus personagens para melhorar os atributos e o visual deles.

    Entre nessa batalha no modo online ou faça uma tabelinha com seus amigos no modo local – mas tome cuidado com o alambrado eletrificado!

    Faça parte de um clube online e lute para ele subir na classificação. Você pode se juntar com até 20 jogadores online e competir contra outros clubes por pontos.

    ANÁLISE DE MARIO STRIKERS: BATTLE LEAGUE

    Mario Strikers: Battle League divide sua experiência em local (solo ou multiplayer) e online. Para curtir as opções pela internet é preciso assinar o Nintendo Switch Online. É importante saber disso porque, sem esse serviço, a experiência é consideravelmente reduzida.

    O novo título da série Strikers apresenta quatro modos: jogo rápido, copas, Clube Strikers e treino. Há ainda a seção de equipamentos, em que as moedas obtidas permitem que você equipe os personagens e melhore seus atributos de forma balanceada. Ou seja, você equipa um item que melhora uma característica e reduz outra – ou usa algum que eleva consideravelmente um atributo e reduz um ponto dos demais.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA – Mario Strikers: Battle League | Conheça personagens e suas habilidades

    O primeiro passo é fazer o treinamento, embora não seja obrigatório. É bem importante treinar para conhecer os tutoriais ensinados pelo FutBot, um robô que descreve os comandos de modo objetivo e funcional. Existem seis treinos básicos e dois profissionais, além da opção de treino livre. Mario Strikers: Battle League é frenético e muito cheio de informações, então por mais que pareça um longo tutorial, ele é efetivo e muito necessário.

    A bola rola pra valer mesmo no modo jogo rápido. Nele, há as opções de amistoso contra CPU, adversário local ou online.

    As copas estão divididas em dois modos (normal e galáctico) e cada um possui seis torneios. A experiência aqui começa pelas de nível normal com cinco copas habilitadas: Canhão, Precisão, Turbo, Músculo e Habilidade. Cada uma traz equipes adversárias com atributos relacionados ao nome da copa melhorados. Na Copa Músculo, os jogadores tem mais atributos de força, por exemplo.

    Após vencer essas cinco, a Copa Campeão é habilitada. Ao superá-la, os créditos do jogo são exibidos, e o Modo Galáctico fica disponível. A diferença de dificuldade entre os modos é gritante, o que exige bastante estratégia na hora de equipar, pois não há um personagem OP por natureza, o que torna a gameplay equilibrada.

    Se você não tiver o Nintendo Switch Online, a experiência basicamente se encerra aqui. E isso é ruim.

    Assista a live de lançamento do jogo que fizemos na nossa Twitch.

    Mario Strikers: Battle League poderia ter se inspirado em jogos de esporte para trazer mais funcionalidades principalmente no modo offline, como por exemplo a possibilidade de criar torneios customizados. A curva de aprendizado é justificadamente longa por conta dos diversos comandos e das partidas frenéticas, mas ela é pouco recompensadora.

    Os únicos desbloqueios que acontecem offline é o do Modo Galáctico e de poucos equipamentos extras. Seria muito legal se fosse possível desbloquear personagens, estádios, mais equipamentos, modos de jogo ou algo colecionável.

    Outro ponto negativo são os replays. A duração das repetições é curta demais, basicamente mostra apenas o chute para o gol. Além disso, senti falta da possibilidade de salvá-los. É um pouco frustrante você querer rever um lance para melhorar sua gameplay, ou simplesmente porque você curtiu o gol, mas não poder salvar.

    Jogabilidade e qualidade gráfica

    Como falei antes, os tutoriais são muito importantes porque há uma série de comandos. Todos eles fazem sentido, mas é realmente necessário seguir o passo a passo para aprender com detalhes cada habilidade, especialmente se você não tem o costume de jogar games de esporte.

    A jogabilidade é o ponto mais forte de Mario Strikers: Battle League. As partidas de 5×5 são muito divertidas e rendem horas de diversão (e de competição, se você jogar online).

    O jogo esportivo Mario Strikers: Battle League foi lançado para o Nintendo Switch em 10 de junho de 2022. Confira nosso review.

    Tantos comandos e habilidades ao natural fariam do jogo algo muito divertido, mas a experiência fica ainda melhor (e mais frenética) com o uso de itens como cascos verde e vermelho, banana, bomba e estrela.

    Mesmo assim, ainda acredito que haja espaço para Mario Strikers: Battle League melhorar ainda mais, pois há itens clássicos da franquia que podem ser muito interessantes de ver em campo, como trovão e Bullet Bill. Tomara que as temporadas do Clube Strikers reservem modos de jogo sazonais insanos, tipo o que é feito no Rocket League.

    Vale destacar que mais uma vez a franquia Super Mario conta com ótimos gráficos. As ilustrações dos menus e, principalmente, das cutscenes dos superchutaços são incríveis!

    O modo online de Mario Strikers: Battle League é bom?

    Podemos dizer que o modo online de Mario Strikers: Battle League se divide em dois. Um para amistosos apenas por diversão, outro competitivo (Clube Strikers).

    Você pode criar seu próprio clube ou então fazer parte de um. Existem clubes abertos ao público e outros que precisam da aprovação do dono, e há uma série de filtros interessantes, entre eles a exigência de jogar em português.

    A primeira temporada do Clube Strikers começa apenas em 20 de junho de 2022. Na oportunidade, algumas novidades serão lançadas, como as divisões e os objetivos da temporada.

    Até lá, as partidas nesse modo contam como amistosos, com a diferença de que também dão prêmios que podem ser trocados por equipamentos por você, e por características do estádio se você for o administrador do clube. Caso não seja, poderá votar como forma de sugerir mudanças para o gestor do time.

    Com o que posso avaliar até aqui, consigo afirmar que o modo online é bom por causa dos pontos positivos da gameplay, que expliquei antes. No entanto, mesmo após pouco mais de duas semanas desde o teste com a demo – Mario Strikers: Battle League First Kick – os problemas de conexão persistem. O lag atrapalha demais a experiência, pois basta um segundo de atraso para que um erro fatal seja cometido.

    VEREDITO

    Mario Strikers: Battle League entrega uma experiência frenética com uma jogabilidade e gráficos incríveis. Tudo indica que o Clube Strikers será o coração do jogo, especialmente pela competitividade.

    No entanto, é um jogo incompleto em vários pontos, especialmente para quem não assina o Nintendo Switch Online. O lag também é um grave problema, e que infelizmente tem sido frequente até aqui.

    Nossa nota

    3,7 / 5,0

    Assista ao trailer em português do Brasil de Mario Strikers: Battle League

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    Pokémon GO: Confira a programação da Hora do Holofote em julho/2022

    Entre 18h e 19h nas terças, a Hora do Holofote (Spotlight Hour) destaca um Pokémon e oferece bônus especiais. Veja como será em julho de 2022

    CRÍTICA – Fire Emblem Warriors: Three Hopes (2022, Nintendo)

    Fire Emblem Warriors: Three Hopes é um jogo de JRPG e hack'n'slash lançado em 24 de junho de 2022 para Nintendo Switch. Leia nosso review.

    CRÍTICA – Sonic Origins (2022, Sega)

    Sonic Origins é a mais nova coletânea da Sega. A coletânea conta com os jogos clássicos da franquia com novos modos de jogo.

    Sonic Origins: Conheça os cheats do game

    Sonic Origins foi lançado, além de games conhecidos dos fãs, trazemos cheats para que você os jogue da forma que quiser.