Início GAMES Crítica CRÍTICA – Neversong (2020, Atmos Games)

CRÍTICA – Neversong (2020, Atmos Games)

71
0

Neversong é um jogo desenvolvido pela Atmos Games e publicado pela Serenity Forge para iOS, Linux, Microsoft Windows, Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One. Neste jogo de aventura, assumimos o controle de Peet que acabar de acordar de um coma e descobre que sua namorada não está em lugar algum, além de descobrir que os adultos são zumbis aprisionados.

Com isso, você vai sair em uma estranha jornada para descobrir o que aconteceu com sua namorada e a verdade sobre o passado de Peet – que vai contar com a ajuda de seus amigos peculiares junto ao seu fiel pássaro de estimação – nessa assustadora fábula onírica.

ANÁLISE – Parece ser uma animação do Tim Burton, mas sem carisma

A jogabilidade é bem simples típica de jogos de ação e aventura, sem nenhuma inovação, mas que não diminui as horas de diversão durante toda a jogatina.

Conforme você for avançando o jogador terá que solucionar diversos quebra-cabeças para avançar para a próxima fase, mas fique tranquilo pois são bem simples e fáceis de serem resolvidos.

Ao finalizar uma fase, o jogador será recompensando com notas de piano, que servem para você tocar o piano e desbloquear equipamentos como taco de baseball e skate, por exemplo, que serão de grande importância para avançar no game e zerá-lo.

Neversong tem uma direção de arte excelente com cores maravilhosas e com um mundo que parece ter tido uma forte influência das animações do diretor Tim Burton. Apesar da influência, infelizmente, os personagens não tem o mesmo carisma de Jack Skellington (O Estranho Mundo de Jack), por exemplo.

Embora a trama seja bem simples e ter um quê de Tim Burton, fiquei confuso em relação ao final. O que certamente merece uma nova investida para prestar mais atenção em alguma ponta solta que possa ter deixado passado despercebido.

Trilha Sonora – Uma trilha sonora relaxante e agradável

A trilha sonora composta por Thomas Brush, criador do jogo, é extremamente agradável, pura, relaxante e melancólica. Esse estilo relaxante muda apenas quando você enfrentar um chefe de fase mudando para uma trilha mais frenética o que deixa o game mais empolgante. O mais legal é a mistura de sons de instrumentos com os da natureza.

PONTO NEGATIVO – Uma tela de loading que é quase um coma de tanta espera

O game brilha em tudo desde o enredo, jogabilidade, trilha sonora e puzzles. Contudo, sua tela de loading é quase um coma de tanta demora e de fato esse foi único ponto negativo em que o game deixou a desejar.

Essa tela de carregamento dura em torno de um minuto, isso só para você avançar para outro ambiente do game. Em certo momento, achei que o jogo havia travado.

Achei estranho um game independente nesse porte de qualidade falhar em um detalhe tão pequeno que é imprescindível para que o jogador tenha uma ótima experiência durante a jogatina.

VEREDITO

Neversong é um ótimo jogo de aventura que soube tirar proveito de um bom enredo, mas que não deixa resposta clara ao seu final. Mesmo que o jogo tenha uma curta durabilidade – cerca de três horas – vai agradar quem procura um jogo curto para ser finalizado.

O game está localizado com legendas em Português-BR. O que é ótimo para quem não tem o inglês afiado.

Apesar de oferecer uma curta experiência, não deixa de ser um ótimo entretenimento que com certeza vai agradar quem aprecia jogos repletos de mistério, bizarrice e com um toque de fábula sombria.

Nossa nota

Assista ao trailer:

E você, já jogou Neversong? Deixem sua nota e opinião! O game está disponível para iOS, Linux, Microsoft Windows, Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One.

Nota do público
Obrigado pelo seu voto

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.