Início GAMES Crítica PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Scourgebringer (2020, Dear Villagers)

PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Scourgebringer (2020, Dear Villagers)

33
0
PRIMEIRAS IMPRESSÕES - Scourgebringer (2020, Dear Villagers)

Já imaginou se Devil May Cry se fundisse com Celeste e Dead Cells? Scourgebringer é o mais novo game da desenvolvedora Flying Oak Games e será publicado pela Dear Villagers. O game está em acesso antecipado na Steam desde o dia 6 de Fevereiro. Se games plataforma/dungeon crawler são sua praia, vale a pena conferir!

HISTÓRIA

Scourgebringer

O game conta a história de Khyra, a integrante mais forte de seu clã, que em um mundo devastado precisa encontrar o caminho dentre o labirinto de fases em plataforma a fim de evitar a iminente destruição.

Sendo um roguelite de ação ritmada, será necessário algum tempo de jogatina – e algumas ocasionais mortes – a fim de te garantir uma certa fluência por entre as mais diversas salas.

AMBIENTAÇÃO

Scourgebringer

Com uma arte 2D incrível, somos capazes de entender os principais detalhes e os multiníveis de uma mesma dungeon. Como uma incrível homenagem ao gênero metroidvania, Scourgebringer brilha ao nos colocar no controle de Khyra, uma personagem feminina forte, que ao colecionar as gotas de sangue de seus inimigos caídos, são capazes de garantir itens que propiciam a sua progressão.

Com um combate que te deixa tão furioso quanto de olhos abertos, o game nos faz entender o quão necessária e urgente a missão de Khyra é, o que também é recompensador.

A fim de proteger seu mundo e trazer o equilíbrio, a ajuda do droide de combate Blast.32 se faz necessária quando estamos diante de construtos e robôs muito maiores do que a nossa diminuta heroína se mostra ser ao comparada a seus inimigos.

As salas que ganham um mapa durante sua progressão, te garantem um guia por entre o labirinto de salas com duas ondas de inimigos. Ao sermos guiados pelo lugar, temos a chance de adquirir certas habilidades que propicia e ajuda na progressão.

As animações 2D de explosões, os movimentações de Khyra, e dos seus inimigos se mostram claros e extremamente efetivos. Ao nos dar a sensação de fluência de movimentos, assim como de recompensa ao conseguir acertos críticos em inimigos após um atordoamento, a Flying Oak Games mostra ter acertado em cheio ao usar a experiência ganha com seu jogo anterior, Neurovoider e ter polido ao máximo o game, ainda que essa versão recebida para análise seja apenas uma versão Beta.

VEREDITO

Ainda que difícil, o game se mostra recompensador e nos traz de volta a um lugar do passado em que nos pegávamos por horas sentados no sofá da sala tentando passar pelos cruéis níveis de games como La-Mulana, mas com as atualizações que as melhorias ao longo dos anos propiciaram como o belíssimo e igualmente difícil Ori and The Blind Forest e sua continuação. O game se mostra incrivelmente único ao nos animar a ponto de nos deixar na beirada do sofá, a cada dungeon, e a cada boss

As animações 2D pixeladas irá deixar os gamers boquiabertos, devido à sua quantidade de detalhes, assim como a história de Scourgebringer, que nos faz torcer do início ao fim e celebrar cada sucesso de Khyra e nosso.

Nossa nota

E você, já jogou Scourgebringer? Ele pode ser adquirido por R$ 35,99 na Steam, clicando aqui. Deixe seus comentários e sua avaliação!

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto



E ai, você curte o nosso trabalho? Se sim, sabe que ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários