Início LIVROS Crítica CRÍTICA – Hugo & Rose (2015, Bridget Foley)

CRÍTICA – Hugo & Rose (2015, Bridget Foley)

413
0

Rose tinha seis anos quando sofreu um acidente de bicicleta, batendo a cabeça no chão e ficando desacordada por cinco dias. Foi à partir daí que ela conheceu Hugo, o menino que habitava seus sonhos e vivia em uma ilha onde ambos viviam várias aventuras, a Ilha de Hugo. Quando acordou, ela não acreditou que tudo aquilo fosse apenas um sonho, achou que nunca mais o veria novamente. Porém, Rose estava enganada: quando voltou a dormir, Hugo estava lá, assim como a ilha – e foi assim durante anos. Hugo & Rose cresceram em seus sonhos, viveram várias aventuras, sempre com o mesmo objetivo de chegar a Cidade do Castelo.

“Sabia que, em geral, os sonhos vão desaparecendo da nossa consciência exatamente como a areia da praia escorre sob nossos pés quando as ondas fazem o movimento de retorno para o oceano.”

A pequena Rose cresceu e se tornou uma mulher, mãe de três filhos (IsaacAdam e Penny), casada com um cirurgião chamado Josh – que é e sempre foi o marido bom e trabalhador – e Rose não tinha o que reclamar dele. Apesar de sempre estar fora por trabalhar demais no hospital, ela já havia se acostumado com isso e as crianças também.

O fato de estar casada e constituir uma família não impediu Rose de sonhar com Hugo todas as noites. Ela sempre voltava para a Ilha de Hugo. Seu marido sabia de seus sonhos, tendo um pouco de ciúmes, mas ele sabia que eram apenas sonhos. Os filhos deles adoravam ouvir as aventuras que sua mãe vivia com Hugo: ele havia se tornado o herói para as crianças. Sempre que tinham pesadelos, Rose ia até eles e lhes contava a aventura que estava tendo em seu sonho.

“Rose não tinha tanta certeza assim de que tudo ia ficar bem. Na verdade, acreditava que nada ia voltar a ficar bem. Adoraria poder inverter a ordem da sua vida. Poder apertar a tecla “rebobinar” e passar por essas últimas semanas, desfazendo os erros que havia cometido, consertando todos os equívocos.”

Rose vivia um cotidiano de mãe: arrumava casa, arrumava os filhos para eles irem a escola, preparava comida, fazia compras, satisfazia os desejos sexuais do marido, enfim, já havia se acostumado com sua vida assim. Em um dia comum, quando teve que levar seus filhos para o torneio de futebol da escola, que seria na cidade Hemsford, sua vida iria virar de cabeça para baixo. A chuva estragou o torneio de futebol e assim, nossa protagonista teve que levar os filhos para comer alguma coisa. Como a fila do McDonald’s estava enorme, restou apenas uma lanchonete na estrada com o nome “Orange Tastee”. Ao fazer o pedido,  olhou para o caixa e viu, era ele, era Hugo.

Após se deparar com o homem que habitava seus sonhos desde a infância, a vida de Rose começou a mudar repentinamente. Ela passa a viver obcecada em descobrir mais sobre o cara da lanchonete, mas não sabia que tudo aquilo poderia acabar com sua vida. No fim, ela tem que decidir entre sua família e Hugo, uma decisão que terá que tomar antes que algo muito ruim aconteça.

Havia momentos em que sentia falta da terapeuta, momentos em que gostaria de ter alguém com quem conversar sobre a própria vida.”

Um livro que nunca imaginei que ia amar tanto. Encontrei esse livro num sebo que tem em minha cidade, por estar em ótimo estado e em um preço camarada, decidi arriscar e comprar. A capa é linda, a sinopse me chamou a atenção, os personagens são bem desenvolvidos na trama, até mesmo os filhos de Rose tem um desenvolvimento incrível na história do livro.

A cada capítulo, a leitura vai melhorando, e no final a escritora, Bridget Foley, realmente nos surpreende. Se você pensa que esse livro tem um romance clichê e barato, meus amores, vocês estão muito enganados: a história não tem apenas romance, tem aventura, tem tragédia, tem emoção! Um livro que entrou para minha lista de preferidos e com certeza vou levar para o resto da minha vida.

“Rose e Hugo. Partículas binárias. Os dois unidos por algum acidente no universo que fez com que as suas mentes atuassem em positivo/negativo em estado de sono. Os íons do cérebro de ambos acendendo e apagando como vaga-lumes num campo escuro. Seus corpos, com um brilho elétrico, indicando para o outro: “Estou aqui. Estou aqui. Estou aqui.”

Escrito por: Bridget Foley;
Editora: Agir;
Ano: 2015;
Páginas: 364;
Skoob: AQUI;

SINOPSE:

Rose é uma dona de casa como outra qualquer — exceto em seus sonhos. Desde criança ela sonha com a mesma ilha e o mesmo amigo imaginário: um menino corajoso e divertido chamado Hugo. Esses sonhos são tão incríveis que, mesmo depois de adulta e casada, ela usa as maravilhosas aventuras noturnas de Hugo e Rose para acalentar seus filhos na hora de dormir. Todas as noites Rose escapa da monotonia de sua vida cotidiana para se tornar uma versão melhor de si mesma. Até que um dia Rose esbarra com Hugo na vida real. De repente nada mais parece igual. Eis um homem que realmente a conhece, que cresceu com ela. mesmo que nenhum dos dois seja exatamente como nos sonhos do outro. O encontro acidental faz com que a cabeça de Rose seja tomada por uma cascada de dúvidas, mentiras e uma obsessão perigosa que ameaça destruir tudo o que Rose construiu na vida real. Apesar de tentada a abandonar tudo para tentar entender essa conexão extraordinária, Rose se pergunta se Hugo é na vida real o mesmo homem que em seus sonhos. Ou será que no fim esses eventos extraordinários vão acabar ajudando Rose a desvendar quem ela realmente quer ser?

Avaliação: Ótimo

Confira mais críticas de livros. Deixe seu comentário e nos acompanhe nas redes sociais para mais novidades:

Facebook – Twitter – Instagram – Pinterest

Confira mais quotes em nosso parceiro Only Dreams: Resenha com Quotes. Acompanhe as redes sociais também:

Blog – Facebook – Twitter – Instagram