Início SÉRIE Artigo The Witcher: Conheça o Continente, onde a série é ambientada

The Witcher: Conheça o Continente, onde a série é ambientada

93
0
The Witcher

O Continente do mundo de The Witcher, não possui um nome definido. É a área onde os reinos do Norte e o Império Nilfgaardiano residem. Eles estão localizados na partes mais a oeste da costa. Outros lugares do Continente incluem lugares como o deserto Korath, Zerrikania e Haakland. Hannu, Zangwebar, Barsa e Ofir pode ou podem não estar no continente, apesar de ambos serem descritos como “além dos mares”.

Cartógrafos nórdicos por eras disseram que a parte de terra mais ao Sul, era Gemmera e que a terra abaixo pertencia a outro continente. Na época em que a Segunda Guerra Nórdica estourou, essa crença foi abandonada.

O mapa do Continente de The Witcher pode ser visto abaixo; basta clicar no mapa para visualizá-lo em alta resolução:

MARES

Grande Mar

O Grande Mar é o oceano localizado a oeste do Continente. Separado do continente, há uma civilização inteira vivendo embaixo do mar, e também serve como rota de comércio entre reinos distantes, tal como Kovir, Zangwebar ou Fabiola. Sua importância na subsistência de comunidades beira-mar levaram ao crescimento de cultos relacionados ao mar, tal como o culto a Sedna.

Golfo de Praxeda

O Golfo de Praxeda é um mar localização no Mar do Norte. Os rios Targo, Braa e Buina desembocam nele.

Em algum momento num futuro distante, o clima mudou ao ponto de congelar quase que completamente, salvo por Pont Vanis.

Mar do Norte

O Mar do Norte é uma parte do Grande Oceano. E é adjacente aos reinos do norte.



MONTANHAS

The Witcher

Montanhas Amell

Amell é a porção montanhosa que separa os Reinos do Norte do Império Nilfgaardiano e seus estados vassalos. Amell é famosa por suas minas de Jade e Jásper, assim como por seu mármore branco, cujo muitas esculturas élficas são feitas.

Dentro de Amell há muitas passagens, que conectam Toussaint com o Norte e o Sul, tal como a Passagem Theodula, Passagem Cervantes, Passagem Malheur, Passagem Sansmerci e Passagem Mortblanc.

O Monte Gorgon é o monte mais alto da cadeia de montanhas de Amell, cujo cume é constantemente coberto por névoa. O rio Sansretour, Blessure, Newi, Marnadal e Yelena todos nascem em Amell.

Ao sul, está o Vale Sudoth e as montanhas de Mag Turga, ao leste, as Montanhas de Fogo e Tir Tochair, no oeste, o Grande Mar e o rio Yaruga ao norte.

Montanhas Azuis

As Montanhas Azuis ou Cinzas, é uma porção montanhosa que divide os Reinos do Norte de Haakland e Zerrikania. As montanhas formam uma fronteira natural para pelo menos Lyria, Aedirn e Kaedwen. Dol Blathanna, o Vale das Flores, está ao pé das montanhas, e a fonte do rio Yaruga está escondida entre os picos montanhosos.

Os elfos livres fizeram das montanhas seu lar; entre eles estavam Ida Emean aep Sivney e Filavandrel aén Fidháil.

Em parte da montanha rochosa, está localizada a Fortaleza da Kaer Morhen, Ban Ard, Lago Muinne, Dol Blathanna e Gwendeith.

Montanhas dos Dragões

As Montanhas dos Dragões são a parte rochosa mais ao norte dos Reinos do Norte. De acordo com Villentretenmerth, nenhum homem nos dias de hoje foi capaz de ver o outro lado, devido ao fato da região ser remota, e a população de dragões que habita a região que dá nome ao lugar.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Conheça Villentretenmerth, o dragão dourado

Montanhas de Fogo

As Montanhas de Fogo são a porção montanhosa que está mais a oeste do mundo conhecido. Estão a oeste de Tir Tochair e ao norte do Deserto de Korath, ao noroeste do Império Niflgardiano. Ao sudeste está Haakland e Zerrikania.

É dito que as Montanhas de Fogo formam parte do Portão de Solveiga e da Passagem de Elskerdeg.

Montanhas Kestrel

As Montanhas Kestrel separam Kaedwen da Redania, Kovir e Poviss, elas estão a oeste de Kaedwen, e também mais ao norte estão as Montanhas dos Dragões.

Vários rios correm através da montanha, incluindo o Buina e o Braa (que nascem entre o Kestrel e as Montanhas dos Dragões) e o Nimnar.

Mahakam

Mahakam é um estado vassalo e uma região montanhosa entre os reinos de Temeria, Aedirn, Lyria, Rivia e Sodden, e é habitado por duendes, gnomos, seres que lembravam hobbits, chamados de halflings e werebbubbs.

É o exportador mais conhecido de aço e ferro dos reinos do Norte e Nilfgaard, e muitas minas, fundições, forjas, e siderúrgicas estão localizadas nessa área. O ferro de Mahakam é famoso por sua qualidade e é considerado o melhor do mundo. Além de seu ferro, Mahakam é famoso por suas armas, e especialmente gwyhyrs, forjado usando tecnologia de gnomos avançada.

Apesar dos reis de Temeria serem lordes de Mahakam, na prática seus anões e gnomos mantém a região completamente autônoma já que nenhuma nação estrangeira tem a coragem de parar o envio de suprimentos. O poder real está nas mãos de clãs locais governados por anciões escolhidos que regem absolutos por toda a vida. Durante o reinado do Rei Foltest, a posição era de Brouver Hoog.

Além das ricas minas e as fortalezas de tirar o fôlego, o enclave é famoso por seu Festival de Cerveja, que acontece a cada vinte e cinco anos e atrai centenas de participantes de todo o mundo. Essa é a única ocasião onde os portões de Mahakam são abertos para todos. Quando o festival chega ao fim, ninguém pode entrar no enclave, exceto com a permissão do Ancião, que normalmente presenteia o visitante com o Anel do Líder, que o permite ficar em Mahakam quanto tempo quiser.

Tir Tochair

Tir Tochair é um local montanhoso escassamente habitado que divide o Deserto de Korath do norte e as províncias centrais do Império Nilfgaardiano. É conhecido como o maior enclave de gnomos.

De acordo com historiadores do século XIII, pontos avançados de gnomos em Tir Tochair já estavam estabelecidos quando os duendes chegaram nessas terras entre o 3º e o 2º milênio. O encontro entre ambas as raças foi descrito como surpreendentemente pacífico, devido as preferências similares e hábitos. Após a Conjunção das Esferas, a terceira raça a se juntar a eles, foram os halflings.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA | The Witcher: Conheça a Conjunção das Esferas, o importante evento



Partes “Civilizadas”

  • Exploradas

Império Nilfgaardiano

O Império Nilfgaardiano (Ceas’raet aep Nilfgaard na língua Nilfgaardiana) é o mais poderoso império da história do mundo conhecido. É localizado ao sul do Continente, e possui tanto uma economia crescente e um forte, e bem treinado exército com comandantes talentosos. Ele se expandiu em sua grande parte através da conquista de países estrangeiros, que então se tornaram províncias do Império. Os habitantes do Império acreditam que os Nilfgaardianos “reais” são apenas aqueles nascidos no coração do Império, e não aqueles nascidos nas províncias conquistadas.

As províncias são governadas por um administrador ou rei (no caso em que os reis voluntariamente se rendem, eles mantém seu trono, mas está sujeito ao Imperador ou apenas a um vassalo). O império têm se expandido através dos anos, conquistando novas terras e indo em direção ao norte, ao Rio Yaruga durante o reinado do imperador Emhyr Var Emreis.

Na saga The Witcher, o Império é mostrado como um grande antagonista, com muitos do povo livre do Norte expressando seu ódio com fervor. É introduzido em A Espada do Destino, quando ele invade Cintra.

Reinos Nortenhos

The Witcher

Os Reinos do Norte ou Reinos Nortenhos, às vezes são referenciados apenas como os Quatro Reinos, são um grupo de estados governado por humanos ao norte das Montanhas Amell. Seus habitantes são chamados de Nortenhos pelos Nilfgaardianos (sejam eles nascidos no coração do Império, ou das províncias dominadas). Além dos humanos, diversos anões, elfos, gnomos e halflings vivem nos reinos nortenhos como cidadãos de segunda-classe.

Os Reinos do Norte foram invadidos e parcialmente conquistados pelo Império Nilfgaardiano.

Durante a Terceira Guerra Nortenha, apenas o rei Radovid V da Redânia continuou rei coroado entre todos os grandes reinos. Por essa razão, durante essa guerra, os Reinos Nortenhos ficaram conhecidos como Reinos de Radovid.

  • Menos explorados

Reinos Orientais

A leste dos Reinos Nortenhos “civilizados” e do Império Nilfgardiano estão as mais populosamente espaçadas terras vastas do leste. Apesar de não tão distante do reino do oeste, devido ao isolamento por uma enorme cadeia de montanhas quase que intransponíveis, chamadas Montanhas Azuis e Tir Tochair, culturas inteiramente diferentes e exóticas se desenvolveram na região.

Além-mares

Além-mares ou Extremo Sul é um termo geograficamente aplicado às regiões localizadas além dos limites do Continente, ou, para ser mais específico, o Império Nilfgaardiano. O lugar é dividido do Continente por pelo menos dois mares, um deles é o Grande Mar. Devido a sua localização ser tão distante de outras civilizações humanas e não-humanas, locais que naturalmente desenvolveram culturas e idiomas inteiramente únicos.

Extremo Norte

O Extremo Norte é a região está mais além do norte do que os Reinos de Kovir e Poviss, possivelmente além das Montanhas dos Dragões ou centro de sua vizinhança. Os habitantes do local são excepcionalmente hábeis, criando arcos leves e precisos, um exemplo desses arcos é o: Milva’s Bow. Os Nortenhos descrevem pessoas do Extremo Norte como resistentes, em sua grande parte vestindo peles de animais e que falam línguas irreconhecíveis. É um ambiente propício para a existência dos dragões brancos e provavelmente mamutes.



A série The Witcher irá ao ar no dia 20 de Dezembro na Netflix, e sua primeira temporada contará com 8 episódios. O que você espera da série? E conta pra gente também quais monstros você gostaria de ver uma versão live action!

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários