Início QUADRINHOS Crítica CRÍTICA – Biblioteca Will Eisner: O Milagre da Vida (2020, Devir)

CRÍTICA – Biblioteca Will Eisner: O Milagre da Vida (2020, Devir)

104
0
CRÍTICA - Biblioteca Will Eisner: O Milagre da Vida (2020, Devir)

Em todas as artes temos os gênios que ficam imortalizados por toda eternidade por seu trabalho notável, no cinema temos Stanley Kubrick que até hoje seus filmes são um marco na história do cinema, na música temos os inesquecíveis The Beatles que deixaram também sua contribuição para a história da música, na pintura Leonardo Da Vinci também deixou o seu legado para a humanidade.

De todas artes citadas cada mestre deixou o seu nome eternizado na história, sendo assim na nona arte tivermos o pai da criação do termo ghaphic novel o mestre Will Eisner que deixou um trabalho que deve ser conhecido por todo apreciador de quadrinho, a obra Biblioteca Will Eisner: O Milagre da Vida explora temas como solidão, morte, família, depressão, envelhecimento e traição; temas que são recorrentes na sociedade o que deixa o leitor ter empatia com cada história.

Sendo assim a editora Devir vem dando continuidade com a publicação da Biblioteca Will Eisner, com obras clássicas do autor.

Biblioteca Will Eisner: O Milagre da Vida é segundo e último volume a ser publicado – a primeira edição foi Um Contrato com Deus -, a publicação contém obras que já foram lançadas avulsas anteriormente pela Devir.

Nessa edição temos as seguintes histórias:

  • Vida em Outro Planeta;
  • Sete Histórias de Cortiço;
  • Assunto de Família;
  • Pequenos Milagres, e
  • a inédita: Will Eisner Reader.

O que cientistas, espiões, políticos, matadores de aluguel, velhinho aposentados, donas de casa e meninos de rua têm em comum?

Há histórias ocultas nos lugares mais improváveis. Nas ruas de uma vizinhança sofrida, os milagres podem acontecer em qualquer esquina ou beco sujo.

Até mesmo fora daqui, na escuridão que aloja os possíveis sinais de vida inteligente vindos de um outro mundo.

Como as pessoas reagem a isso tudo? De que maneira elas lidam com ressentimentos que estavam soterrados pelo tempo e voltam à tona para destruir qualquer vestígio de esperança?

São contos de incrível coincidência e demasiada sorte recheados de amor, perda, esperança e surpresa reunidos neste belíssimo volume que confirma o saudoso Will Eisner como um verdadeiro mestre no gênero dos quadrinhos.

Por fim, essa nova republicação da editora Devir é uma porta de entrada para quem ainda não conhece o trabalho de Eisner e é uma boa para apresentar para quem tem preconceitos com quadrinhos e que mostra com excelência que a nona arte vai muito além de histórias infanto-juvenis.

Nossa nota

Editora: Devir

Autor: Will Eisner

Páginas: 416

E você, já leu a obra de Will Eisner? Deixe seus comentários e sua avaliação! 

Nota do público
Obrigado pelo seu voto

Se você ainda não tem o mangá, compre pelo nosso link de afiliados da Amazonclicando aqui.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.