Início QUADRINHOS Crítica CRÍTICA | Imperdoável: O Poder do Medo – Vol. 1 (2018, Devir)

CRÍTICA | Imperdoável: O Poder do Medo – Vol. 1 (2018, Devir)

62
0
Imperdoável vol.1

É imprescindível que autores como Alan Moore, Grant Morrison e Garth Ennis revolucionaram a maneira de contar histórias de super-heróis, pois seus personagens tem o tom mais sombrio, com profundidade e muitas vezes atribuídos à aspectos de anti-herói. Caraterísticas essa que não existia durante a Era de Ouro dos Quadrinhos.

Assim como esses consagrados quadrinistas e não menos importantes, o incrível Mark Waid, que tem um currículo excepcional, com obras que são consagradas por todo leitor de quadrinho como Reino do Amanhã (1996, DC) e Quarteto Fantástico (2002, Marvel), além de ser vencedor na categoria de Melhor Escritor do Prêmio Eisner em 2012 por Demolidor (Marvel), Incorruptível (BOOM!) e Imperdoável (BOOM!).

Em Imperdoável, Waid traz uma narrativa tão rápida quanto o raio laser do Superman junto a arte explosiva de Peter Krause. Os personagens são cheios de profundidade e com um super-vilão com poderes do Super-Homem.

Publicada originalmente pela editora Boom! Studios em 2009 e sendo concluída com 37 volumes em 2012. No Brasil a editora Devir passou a publicar, em 2018, e se encontra com quatro encadernados publicados. Essa primeira edição reúne as edições #01 à #08.

ENREDO

Imperdoável vol.1

Aqui acompanhamos o maior super-herói da Terra, Plutoniano, junto com seus aliados, ajudando a salvar o dia de todo o tipo que é perigo. Plutoniano é praticamente indestrutível (assim como o Super-Homem). Contudo o que os seus aliados não esperavam seria que o homem mais forte da Terra fosse enlouquecer e se tornar o maior vilão do planeta.

Com isso seus aliados entraram em uma corrida contra o tempo para tentar impedir os atos genocidas de Plunotiano. Mas o que levou esse ser tão poderoso a se tornar um vilão? Como ele ficou assim? E, afinal de contas, o que torna um herói imperdoável?

VEREDITO

O roteiro de Mark Waid é extremamente frenético e agradável do início ao fim da edição, apresentando ótimas reviravoltas. Certamente os fãs de The Boys vão assemelhar a loucura do Plutononiano ao Capitão Pátria e claro ao Super-Homem que de fato foi fonte de inspiração para criação do personagem.

Nessa primeira edição acompanhamos o desespero dos ex-aliados do Plutonoiano tentando descobrir alguma fraqueza – seja de força ou emocional – para tentar pará-lo e dar fim a destruição em massa que o ex-super-herói vem causando ao planeta.

A arte de Peter Krause é eficiente, seja com a anatomia de cada personagem ou com ritmo frenético de ação em cada página. Quanto à colorização: é atraente, pois apresenta uma mudança de paleta de cores a cada ambiente que a trama apresenta.

Enfim pessoal, Imperdoável é digna de ser acompanhada por qualquer leitor de quadrinho veterano ou novato. Seja por seu ótimo roteiro e sua excelente arte; e de fato eu não vejo a hora dessa obra ser adaptada para o cinema ou série. (Alô Amazon e Netflix! O que estão esperando para adaptar essa obra?).

Nossa nota

Editora: Devir

Autor: Mark Waid

Arte: Peter Krause

Páginas: 256

E você, já leu a HQ? Deixe sua opinião e nota!

Nota do publico
Obrigado pelo seu voto

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários