Início SÉRIE Crítica CRÍTICA | Falcão e o Soldado Invernal: S1E2 – O Herói Americano

CRÍTICA | Falcão e o Soldado Invernal: S1E2 – O Herói Americano

O Herói Americano

O Herói Americano foi o segundo episódio de Falcão e o Soldado Invernal. Confira nossa análise de tudo que aconteceu.

SINOPSE

Somos apresentados ao novo Capitão América, John Walker (Wyatt Russell), um soldado destemido que agora assume o manto do herói.

Enquanto isso, Sam (Anthony Mackie) e Bucky (Sebastian Stan) perseguem os Apátridas, pois há uma nova ação do grupo na Europa. Lá eles confrontam Karli Morgenthau (Erin Kellyman), uma poderosa antagonista que lidera o grupo.

ANÁLISE

Com um ritmo mais lento, o segundo episódio de Falcão e o Soldado Invernal denominado O Herói Americano cadencia mais a série, pois tem alguns pontos para serem abordados.

Iniciamos vendo os dois lados da moeda, uma vez que somos apresentados de fato a John Walker e Karli Morgenthau, dois novos rostos do Universo Cinematográfico Marvel. O primeiro é determinado, de certa forma imponente e ameaçador, a segunda é uma líder nata que ainda não sabe de seu próprio potencial, mas que é uma rival à altura da nossa dupla de protagonistas.

O roteiro nos deixa diversas pistas do que pode acontecer no futuro, visto que há aqui um teaser de suas personalidades fortes sendo mostrado no texto e os dois atores consegue entregar boas nuances dos dois personagens.

Quanto à dinâmica de Sam e Bucky, há uma naturalidade e sinergia deles, pois existe uma química de Mackie e Stan. Os dois se complementam com o vigor e sarcasmo do Falcão e a forma rabugenta e sisuda do Soldado Invernal, apresentando um humor muito presente em filmes policiais dos anos 80 e 90, principalmente Máquina Mortífera.

O HERÓI AMERICANO

Contudo, o episódio também mostra um tom de seriedade ao abordar o racismo como o seu principal pilar. Na figura de Isaiah Bradley, vemos que houve uma tentativa de criar um Capitão América negro, mas que foi jogada no lixo pelo fato de que isso não poderia ser aceito. O peso da cena protagonizada por Carl Lumbly foi essencial para dar o início necessário de que Sam precisava para começar a se questionar como herói a favor do sistema.

A cena em que o Falcão é abordado pela polícia reforça ainda mais a questão de que o sistema é contra as minorias e que o herói alado deve ser um símbolo de esperança dos oprimidos.

VEREDITO

Com um episódio introspectivo, Falcão e o Soldado Invernal continua se moldando aos novos tempos pós-blip, pois há muito o que mostrar.

Ao abordar temáticas raciais e o sistema norte americano de lidar com símbolos, o episódio foi certeiro em sua proposta mais intimista que, por mais que tenha sido um pouco irregular em seu ritmo, entregou muita qualidade.

Nossa nota

4,8 / 5,0

Confira todos os easter eggs da série clicando aqui.

Falcão e o Soldado Invernal terá seis episódios e todos eles terão crítica no nosso site e no canal do YouTube. Se inscreva clicando aqui e acompanhe também nossa página especial da serie da Disney+.

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorNoites Sombrias #7 | 5 melhores filmes das obras de Stephen King
Próximo artigoOs 10 carros mais incríveis do cinema
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.