Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – The Flight Attendant (1ª temporada, 2020, HBO Max)

CRÍTICA – The Flight Attendant (1ª temporada, 2020, HBO Max)

The Flight Attendant é uma série lançada em novembro de 2020, mas que só chegou no BR em julho deste ano junto com o serviço HBO Max.

The Flight Attendant é uma série de oito episódios da HBO Max lançada em novembro de 2020, mas que só chegou às terras brasileiras em julho deste ano junto com o streaming. A série é baseada no livro de mesmo nome escrito por Chris Bohjalian e adaptação fica por conta do roteirista Steve Yockey.

No elenco estão Kaley Cuoco que também atua como produtora executiva, Michiel Huisman, Zosia Mamet e Rosie Perez (Aves de Rapina). A produção tem nove indicações ao Emmy 2021, entre elas,  Melhor Série de Comédia, Melhor Atriz em Série de Comédia para Kaley Cuoco e Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Comédia para Rosie Perez. 

SINOPSE

Cassandra Bowden (Kaley Cuoco) é uma comissária de bordo que acorda de ressaca num quarto de hotel em Dubai com um cadáver deitado ao lado dela. Temendo chamar a polícia, ela continua a viver o dia como se nada tivesse acontecido, juntando-se aos colegas de trabalho e embarcando para Nova Iorque. Lá ela é recebida por agentes do FBI e passa a se perguntar se realmente é uma assassina.

ANÁLISE

The Flight Attendant é a típica série de mistério barata que reconhece seu potencial, mas nem tanto suas limitações. Retirada praticamente de um livro de aeroporto, onde a trama de ação chama mais atenção do que a construção, a série da HBO Max não é um primor do gênero, porém sabe ser sagaz.

Isso porque, a série entrega um mistério cheio de reviravoltas que tenta por vezes pegar o espectador desprevenido. Ainda que nem todos os casos e soluções sejam interessantes o suficiente, existe uma curiosidade em querer saber qual será as reações dos personagens a seguir. Isso se dá, em parte, pelo bom elenco.

Kaley Cuoco, sempre lembrada como a simpática Penny de The Big Bang Theory, entrega uma atuação energética. Cassie não só é uma personagem caótica e por vezes egoísta, como também é capaz de cativar o público ao seu favor. Os problemas com alcoolismo são retratados como o verdadeiro estopim para a falta de senso da personagem. 

Nesse sentido, fica até fácil entender porque Cassie faz tantas escolhas duvidosas ao longo da trama, se enrolando cada vez mais em uma teia de aranha sem fim. Em um dos seus voos como aeromoça para Bangkok, a personagem flerta como um dos passageiros, Alex (Michiel Huisman). Ao passar a noite com o misterioso homem, ela acorda sem lembranças da noite passada e com o cadáver de Alex ao seu lado.

The Flight Attendant é uma série lançada em novembro de 2020, mas que só chegou no BR em julho deste ano junto com o serviço HBO Max.

Até aqui parece um mistério digno de Alfred Hitchcock, mas à medida que Cassie vai tentando decifrar o que de fato aconteceu naquela noite, The Flight Attendant dá algumas voltas para entregar um final broxante. A impressão que permanece é o fato da produção saber que seu texto não era impactante e revelador o suficiente, por isso, é necessário forçar até o máximo seus personagens.

Logo, a relação entre Cassie e Alex é explorada de uma forma inesperada, o que garante os melhores momentos da série. Nas cenas em que se passa dentro da cabeça de Cassie é possível ver um trabalho de arte e design que não é visto no mundo real. Ainda que toda trama pareça improvável demais, a direção é monótona. 

Sendo assim, The Flight Attendant reconhece que não é nenhum Hitchcock, mas se diverte ao colocar situações mirabolantes para Cassie resolver. Seu elenco de apoio ganha força com a melhor amiga Ani (Zosia Mamet) e aeromoça Megan (Rosie Perez). 

São papéis interessantes que deixam os acontecimentos com Cassie um pouco mais suportáveis. Em especial, Megan tem um arco que pouco faz sentido se comparado com a série em si, mas que eleva a personagem e ao mesmo tempo aponta para a 2ª temporada.

Ainda assim, é preciso destacar que algumas decisões de roteiro tiram um pouco do esplendor da produção que chega ao final pedinte demais. O fato de tirar todo o peso de Miranda, personagem implacável de Michelle Gomez, pode até parecer um quebra de expectativa. Mas torna a série desinteressante nos acréscimos do segundo tempo. 

VEREDITO

The Flight Attendant é uma ótima série de mistério da HBO Max, mas peca em não apresentar uma direção mais confiante ou um roteiro mais carismático. Por fim, a série ganha com seus personagens intrínsecos, em destaque, Kaley Cuoco como a protagonista Cassie. 

Nossa nota

3,0 / 5,0

Assista ao trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Vidrados (2ª temporada, 2021, Netflix)
Próximo artigoCRÍTICA | O Livro do Espelho de Irina (2020, Ronaldo Santana)
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.